Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Transtornos convulsivos durante a gestação

Por

Lara A. Friel

, MD, PhD, University of Texas Health Medical School at Houston, McGovern Medical School

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

A maioria das mulheres que tem um transtorno convulsivo bem controlado por medicamentos anticonvulsivantes consegue dar à luz um bebê saudável com segurança. Se essa mulher dormir o suficiente e tomar os medicamentos anticonvulsivantes nas doses adequadas, o número de convulsões normalmente não aumenta durante a gestação e a gravidez geralmente tem um bom resultado. No entanto, essas mulheres estão um pouco mais propensas a

Por outro lado, tomar anticonvulsivantes aumenta o risco de haver deficiências congênitas (consulte a tabela Alguns medicamentos que causam problemas durante a gestação) e pode causar uma leve redução da inteligência do bebê. No entanto, tanto a presença de transtornos convulsivos quanto o uso de medicamentos anticonvulsivantes pode aumentar esses riscos.

Tomar determinados medicamentos anticonvulsivantes (tais como fenitoína, carbamazepina ou fenobarbital) durante a gestação aumenta o risco de o recém-nascido ter doença hemorrágica (que dá origem à tendência de sangrar facilmente). No entanto, se a mulher tomar vitaminas pré-natais com vitamina D e se a vitamina K for dada ao recém-nascido, raramente ocorre doença hemorrágica.

Assim, a mulher com um transtorno convulsivo deve conversar com um especialista sobre como equilibrar os riscos de tomar medicamentos anticonvulsivantes com os riscos de ter convulsões, de preferência antes de engravidar. Algumas mulheres conseguem até interromper o uso de medicamentos anticonvulsivantes com segurança durante a gestação, mas a maioria delas deve continuar a tomar os medicamentos. O risco oriundo de não tomar os medicamentos, ou seja, ter convulsões com mais frequência, o que pode prejudicar o feto e a mulher, geralmente é maior que o risco oriundo de tomar os medicamentos anticonvulsivantes durante a gestação.

O médico receita a menor dose eficaz de medicamentos anticonvulsivantes e utiliza o menor número possível de tipos diferentes de medicamentos anticonvulsivantes. A mulher que toma medicamentos anticonvulsivantes precisa tomar uma dose alta de um suplemento de ácido fólico todos os dias. O ideal é que seja iniciado antes de engravidar. Tomar suplementos de ácido fólico ajuda a reduzir o risco de ter um bebê com um defeito congênito.

O parto normal geralmente é possível. A cesariana é feita apenas se as mulheres tiverem convulsões repetidas durante o parto ou se desenvolverem outras complicações que a tornem necessária.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Ultrassonografia na gestação: Técnica
Vídeo
Ultrassonografia na gestação: Técnica
A ultrassonografia na gestação é usada para detectar os batimentos cardíacos do feto e obter...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Síndrome do Ovário Policístico
Modelo 3D
Síndrome do Ovário Policístico

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS