Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Comentário: Aquela dor de barriga é apendicite? Três sinais a serem observados

Comentário
29/43/22 Parswa Ansari, MD, Hofstra Northwell-Lenox Hill Hospital, New York;

Existem muitas coisas sobre o apêndice que ainda não sabemos.

Muitos profissionais médicos acreditam que é um órgão vestigial, como uma cauda. Os seres humanos podem ter precisado do apêndice em algum momento em um passado distante, mas não agora. Ou pode ser que ele ajude nosso sistema imunológico protegendo as bactérias boas dos nossos intestinos.

Não temos uma compreensão clara do propósito do apêndice em nossos corpos nos dias de hoje. Mas sabemos que ele pode ficar inflamado e infectado, levando à apendicite.

A apendicite é a causa mais frequente de dor abdominal grave e súbita nos Estados Unidos. Mais de 5% da população desenvolverá a doença em algum momento da vida. Na maioria dos casos, a apendicite é causada por um bloqueio no apêndice, que leva à inflamação e infecção. Quando esse bloqueio ocorre, ele costuma ser extremamente doloroso e requer atendimento médico imediato. Caso contrário, há risco de ruptura do apêndice, o que pode representar risco à vida.

Mas há muitas outras causas de dor abdominal, desde uma virose intestinal até uma simples indigestão. Saber quando a dor abdominal pode ser apendicite é fundamental para um tratamento eficaz e no momento certo. Aqui estão três sinais que podem indicar que a sua dor abdominal é apendicite.

1. Dor intensa que surge antes do enjoo ou vômito

Dor é o sintoma mais comum de apendicite. Ao contrário de outros tipos de dor de barriga, o desconforto intenso causado pela apendicite quase sempre vem antes do enjoo ou vômito. Em muitas pessoas, particularmente bebês e crianças, a dor pode ser mais espalhada pelo corpo. A dor pode ser menor em idosos e mulheres grávidas. Outros sintomas a serem observados são febre e perda de apetite.

2. A dor se move do umbigo para a região inferior do lado direito do abdômen.

Depois de algumas horas, o enjoo normalmente passa, e a dor muda para a região inferior do lado direito do abdômen. Essa região é sensível ao toque quando um médico ou outra pessoa a pressiona, e a dor pode, na verdade, aumentar depois que essa pressão é liberada.

3. A dor dura mais de algumas horas

Se a dor durar mais de cinco ou seis horas, vale a pena consultar um profissional de saúde para descartar apendicite. Em caso de enjoo, vômito ou febre, vá ao pronto-socorro. Em caso apenas de dor, ligar para um médico da família é um bom primeiro passo.

Diagnóstico e tratamento da apendicite

Na maioria das vezes, o médico realizará um exame chamado tomografia computadorizada (TC) para confirmar o diagnóstico, mas, em alguns casos, os sintomas são tão claros que os médicos prosseguem com o tratamento com base na descrição do paciente. Tradicionalmente, a cirurgia é recomendada e, em geral, acontece de maneira rápida, dentro de 24 a 48 horas após o início dos sintomas. O objetivo é remover o apêndice antes que ele se rompa e cause mais danos.

A cirurgia costuma ser laparoscópica (minimamente invasiva) e não é uma operação muito complexa. No entanto, considerando que a apendicite é mais comum em adolescentes e indivíduos na faixa dos 20 anos, muitas vezes, é a primeira cirurgia de grande porte pela qual essas pessoas passarão e, como é compreensível, elas estão nervosas. Para a grande maioria dos pacientes, o procedimento não terá complicações e terá uma rápida recuperação. Não existem grandes problemas em viver sem um apêndice, a maioria das pessoas nunca sente falta.

Recentemente, tem havido um maior interesse em tratar a apendicite com antibióticos em vez de cirurgia. Muitas das pesquisas sobre o assunto ainda estão em andamento, mas um estudo descobriu que quase um terço dos pacientes que receberam tratamento antibiótico teve seu apêndice removido cirurgicamente dentro de 90 dias. Para os pacientes que sofrem de apendicite, vale a pena conversar com um médico sobre antibióticos, mas muitos médicos ainda recomendarão cirurgia na maioria dos casos.

O mais importante a se lembrar é que uma dor abdominal prolongada não deve ser ignorada ou tolerada. Se a dor durar mais do que algumas horas, procure um profissional de saúde para garantir que não seja apendicite ou algo pior que uma virose intestinal.

Para mais informações sobre apendicite, visite a página dos Manuais ou a página Fatos Rápidos sobre o assunto