Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Alguns medicamentos que causam problemas durante a gestação *

Alguns medicamentos que causam problemas durante a gestação *

Exemplos

Possíveis problemas

Medicamentos ansiolíticos

Benzodiazepínicos (como diazepam, alprazolam ou lorazepam)

Quando o medicamento é tomado no final da gestação, respiração muito lenta ou síndrome da abstinência (causando irritabilidade, tremores e reflexos exagerados) no recém-nascido

Antibióticos

Aminoglicosídeos (como amicacina, gentamicina, neomicina, estreptomicina e tobramicina)

Danos aos ouvidos do feto (ototoxicidade), causando surdez

Em mulheres ou fetos com deficiência de G6PD, a ruptura de glóbulos vermelhos

Possivelmente, a síndrome do bebê cinzento (um distúrbio grave e frequentemente fatal)

Fluoroquinolonas (como ciprofloxacino, ofloxacino, levofloxacino e norfloxacino)

Possibilidade de anomalias dos ossos e articulações (observadas apenas em animais)

Em mulheres ou fetos com deficiência de G6PD, a ruptura de glóbulos vermelhos

Em mulheres ou fetos com deficiência de G6PD, a ruptura de glóbulos vermelhos

Sulfonamidas (como sulfassalazina e trimetoprima-sulfametoxazol)

Quando os medicamentos são administrados no final da gravidez, icterícia e, sem tratamento, danos cerebrais (querníctero) no recém-nascido

Com a sulfassalazina, o risco de problemas é muito menor

Em mulheres ou fetos com deficiência de G6PD, a ruptura de glóbulos vermelhos

Crescimento ósseo mais lento, amarelamento permanente dos dentes e aumento do risco de surgirem cáries na criança

Ocasionalmente, insuficiência hepática na gestante

Defeitos do cérebro e da medula espinhal (defeitos do tubo neural), como espinha bífida

Inibidores do fator Xa, como rivaroxabana, apixabana ou edoxabana

Possível risco de sangramento na gestante ou no feto

Heparina

Trombocitopenia (uma redução no número de plaquetas, que ajudam o sangue a coagular) na gestante, possivelmente resultando em sangramento excessivo

Varfarina

Defeitos congênitos, incapacidade intelectual, catarata e outros problemas nos olhos no feto

Problemas de sangramento no feto e na gestante

Antidepressivos

Bupropiona

Efeitos nocivos observados em animais, mas as evidências relacionadas ao risco de haver defeitos congênitos em recém-nascidos são conflitantes

Citalopram

Se o citalopram for tomado durante o primeiro trimestre, há um aumento do risco de haver defeitos congênitos (principalmente defeitos cardíacos)

Se o citalopram for tomado durante o terceiro trimestre, síndrome de abstinência (que inclui tontura, ansiedade, irritabilidade, fadiga, náusea, calafrios e dores musculares) e hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido (as artérias que alimentam os pulmões permanecem estreitas após o parto, limitando o fluxo sanguíneo para os pulmões e, assim, a quantidade de oxigênio na corrente sanguínea)

Escitalopram

Se o citalopram for tomado durante o terceiro trimestre, síndrome de abstinência e hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido

Fluoxetina

Se a fluoxetina for tomada durante o terceiro trimestre, síndrome de abstinência e hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido

Paroxetina

Se a paroxetina for tomada durante o primeiro trimestre, há um aumento do risco de haver defeitos congênitos, principalmente defeitos cardíacos

Se o medicamento for tomado durante o terceiro trimestre, síndrome de abstinência e hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido

Sertralina

Se a sertralina for tomada durante o terceiro trimestre, síndrome de abstinência e hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido

Venlafaxina

Se a venlafaxina for tomada durante o terceiro trimestre, síndrome de abstinência

Drogas antieméticas (usadas para aliviar as náuseas)

Doxilamina e piridoxina (vitamina B6)

Não há aumento do risco de haver defeitos congênitos

Meclizina

Defeitos congênitos observados apenas em animais

Ondansetrona

Nenhuma evidência de defeitos congênitos em animais

Se a ondansetrona for tomada durante o primeiro trimestre, possível risco de haver doença cardíaca congênita

Prometazina

Nenhuma evidência de defeitos congênitos em animais

Possível risco de sangramento no recém-nascido

Medicamentos antifúngicos

Anfotericina B

Não há aumento do risco de haver defeitos congênitos; porém, nenhum estudo com desenho adequado foi feito em gestantes

Fluconazol

Não há aumento do risco de haver defeitos congênitos após uma única dose baixa

Se doses altas forem tomadas durante a maior parte ou durante todo o primeiro trimestre, há um aumento do risco de haver defeitos congênitos, como anomalias no coração, rosto, crânio, costelas e membros

Miconazol

Não há um aumento no risco de haver defeitos congênitos se ele for aplicado na pele

Terconazol

Não há aumento do risco de haver defeitos congênitos

Medicamentos anti-hipertensivos

Antagonistas da aldosterona (medicamentos que bloqueiam a ação do hormônio aldosterona), como a espironolactona e a eplerenona

No caso da espironolactona, possível desenvolvimento de características femininas em fetos masculinos

No caso da eplerenona, não há aumento do risco de haver defeitos congênitos em animais; porém, nenhum estudo com desenho adequado foi feito em gestantes

Quando os medicamentos são tomados no final da gestação, danos aos rins do feto, redução na quantidade de líquido ao redor do feto em desenvolvimento (líquido amniótico) e defeitos do rosto, dos membros e dos pulmões

Se alguns tipos de betabloqueador forem tomados durante a gestação, redução da frequência cardíaca, níveis baixos de glicose no sangue e, possivelmente, crescimento inadequado do feto (restrição do crescimento) e nascimento prematuro

Baixa pressão arterial na mãe

Se os bloqueadores dos canais de cálcio forem tomados durante o primeiro trimestre, defeitos congênitos nos dedos das mãos e/ou dedos dos pés

Se os medicamentos forem tomados no final na gestação, crescimento inadequado do feto

Uma redução nos níveis de oxigênio, sódio e potássio e no número de plaquetas no sangue do feto

Crescimento inadequado do feto

Medicamentos antipsicóticos

Haloperidol

Efeitos nocivos em animais

Se o haloperidol for tomado durante o primeiro trimestre, possivelmente defeitos congênitos nos membros

Se o haloperidol for tomado durante o terceiro trimestre, aumento do risco de ocorrer:

  • Movimentos repetitivos e involuntários (sintomas extrapiramidais)

  • Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido, porque a passagem do medicamento através da placenta é interrompida depois do nascimento

Lurasidona

Não há nenhuma evidência de efeitos nocivos em animais

Se a lurasidona for tomada durante o terceiro trimestre, aumento do risco de ocorrer:

  • Movimentos repetitivos e involuntários

  • Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido, porque a passagem do medicamento através da placenta é interrompida depois do nascimento

Olanzapina

Se a olanzapina for tomada durante o terceiro trimestre, aumento do risco de ocorrer:

  • Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido, porque a passagem do medicamento através da placenta é interrompida depois do nascimento

Risperidona

Não há evidência de aumento do risco de haver defeitos congênitos; porém, nenhum estudo com desenho adequado foi feito em gestantes

Se a risperidona for tomada durante o terceiro trimestre, aumento do risco de ocorrer:

  • Movimentos repetitivos e involuntários

  • Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido, porque a passagem do medicamento através da placenta é interrompida depois do nascimento

Carbamazepina

Certo risco de defeitos congênitos, incluindo defeitos do tubo neural (como espinha bífida)

Problemas de sangramento no recém-nascido (doença hemorrágica do recém‑nascido), que podem ser prevenidos se a gestante tomar vitamina K oralmente todos os dias por um mês antes do parto ou se o recém-nascido receber uma injeção de vitamina K logo após o nascimento.

Lamotrigina

Não há aumento do risco de haver defeitos congênitos

Levetiracetam

Anomalias ósseas de pequeno porte observadas em animais

Nenhum estudo foi feito em gestantes

Fenobarbital

Alguns dos mesmos que para carbamazepina

Fenitoína

Aumento do risco de haver defeitos congênitos (como fenda labial e defeitos cardíacos)

Problemas de hemorragia no recém-nascido

Trimetadiona

Alto risco de haver defeitos congênitos (como fenda palatina e defeitos do coração, do crânio, do rosto, das mãos e do abdômen)

Risco de haver aborto espontâneo

Valproato

Algum risco de haver defeitos congênitos, incluindo fenda palatina, defeitos do tubo neural (por exemplo, meningomielocele) e defeitos cardíacos, na face, no crânio, na coluna vertebral e nos membros

Medicamentos quimioterápicos

Actinomicina

Possibilidade de haver defeitos congênitos (observados apenas em animais)

Bussulfano

Defeitos congênitos, como subdesenvolvimento da mandíbula inferior, fenda palatina, desenvolvimento anormal dos ossos do crânio, defeitos da coluna vertebral, defeitos do ouvido e pé torto

Crescimento inadequado do feto (restrição do crescimento)

Clorambucila

Mesmo que para o bussulfano

Colchicina

Possibilidade de haver defeitos congênitos (observados em animais)

Anomalias no esperma dos filhos do sexo masculino

Ciclofosfamida

Mesmo que para o bussulfano

Doxorrubicina

Problemas cardíacos, dependendo da dose tomada

Defeitos congênitos

Mercaptopurina

Mesmo que para o bussulfano

Metotrexato

Mesmo que para o bussulfano

Vimblastina

Possibilidade de haver defeitos congênitos (observados apenas em animais)

Vincristina

Possibilidade de haver defeitos congênitos (observados apenas em animais)

Medicamento de estabilização do humor

Se o lítio for tomado durante o primeiro trimestre, aumento do risco de defeitos congênitos (principalmente do coração)

Se o lítio for tomado no final da gestação, letargia, redução do tônus muscular, má alimentação, hipoatividade da glândula tireoide e diabetes insípido nefrogênico no recém-nascido

Aspirina e outros salicilatos

Ibuprofeno

Naproxeno

Quando os medicamentos são tomados em doses maiores, há a possibilidade de ocorrer aborto no primeiro trimestre, atraso no início do trabalho de parto, fechamento prematuro da conexão entre a aorta e a artéria para os pulmões (ductus arteriosus), icterícia, enterocolite necrosante (danos ao revestimento do intestino) e, ocasionalmente, danos cerebrais ao feto (querníctero) e problemas de sangramento na mulher durante e após o parto e/ou no recém-nascido.

Quando os medicamentos são tomados no final da gravidez, uma redução na quantidade de líquido em torno do feto em desenvolvimento.

Caso sejam tomadas doses baixas de aspirina, não há risco significativo de haver defeitos congênitos

Buprenorfina

Não há evidência de aumento do risco de haver defeitos congênitos; porém, ela pode causar outros efeitos nocivos no feto ou no recém-nascido

Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido, porque a passagem do medicamento através da placenta é interrompida depois do nascimento

Codeína

Hidrocodona

Hidromorfona

Meperidina

Morfina

Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido

Se uma dose alta for administrada no prazo de uma hora antes do parto, possivelmente sonolência e redução da frequência cardíaca no recém-nascido

Metadona

Inquietação, irritabilidade, tremores, dificuldade para respirar e problemas de alimentação (sintomas de abstinência) no recém-nascido

Clorpropamida

Gliburida

Metformina

Tolbutamida

Um nível de açúcar no sangue muito baixo no recém-nascido

A insulina tem normalmente preferência

Hormônios sexuais

Danazol

Quando esse medicamento é tomado no início da gestação, masculinização dos genitais do feto feminino, às vezes exigindo cirurgia para correção

Progestinas sintéticas (mas não as doses baixas usadas em contraceptivos orais)

Mesmos que para o danazol

Tratamento cutâneo

Isotretinoína

Defeitos congênitos, como defeitos cardíacos, orelhas pequenas e hidrocéfalo (às vezes chamado de água no cérebro)

Deficiência intelectual

Risco de abordo espontâneo

Fármacos para a tireoide

Metimazol

Uma glândula tireoide aumentada ou hipoativa no feto

Defeitos no couro cabeludo do recém-nascido

Propiltiouracila

Uma glândula tireoide aumentada ou hipoativa no feto

Danos no fígado da mãe

Iodo radioativo

Destruição da glândula tireoide no feto

Quando o medicamento é administrado perto do fim do 1º trimestre, uma glândula tireoide aumentada e muito hiperativa no feto

Aumento do risco de ocorrer câncer infantil

Triiodotironina

Glândula tireoide aumentada e hiperativa no feto

Vacinas

Possível infecção da placenta e do feto em desenvolvimento

Riscos em potencial, mas desconhecidos

Outros medicamentos

Corticosteroides

Possibilidade de fenda labial quando esses medicamentos são tomados no primeiro trimestre

Hidroxicloroquina

Não há um aumento do risco nas doses geralmente utilizadas

Isoniazida

Possíveis efeitos nocivos no fígado ou danos aos nervos periféricos (causando alterações na sensação e/ou fraqueza)

Loratadina

Possivelmente, nos filhos do sexo masculino, um defeito congênito na uretra no qual a abertura da uretra está no local errado (hipospádia)

Pseudoefedrina (um descongestionante)

Estreitamento dos vasos sanguíneos na placenta, possivelmente reduzindo a quantidade de oxigênio e nutrientes que o feto recebe, resultando em crescimento inadequado antes do nascimento

Possível risco de haver defeito na parede do abdômen que permite aos intestinos saírem do corpo (chamado de gastrosquise)

Vitamina K

Em mulheres ou fetos com deficiência de G6PD, destruição de glóbulos vermelhos (hemólise)

*A menos que seja medicamente necessário, não se deve usar medicamentos durante a gestação. Contudo, os medicamentos podem ser indispensáveis para a saúde da gestante e do feto. Nesses casos, a mulher deve conversar com um profissional da saúde sobre os riscos e os benefícios do uso de medicamentos controlados que esteja tomando antes de parar de tomar. Ela não deve interromper o uso por conta própria.

Opioides são utilizados para o alívio da dor. Contudo, eles também provocam uma sensação exagerada de bem-estar e, se usados excessivamente, podem levar à dependência e ao vício.

G6PD = glicose-6-fosfato desidrogenase.