Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Medicamentos utilizados para tratar a doença de Parkinson

Medicamentos utilizados para tratar a doença de Parkinson

Medicamento

Alguns efeitos colaterais

Comentários

Precursor da dopamina

Levodopa (administrado com carbidopa)

Para levodopa: movimentos involuntários (da boca, da face e dos membros), pesadelos, baixa pressão arterial quando a pessoa fica de pé (hipotensão ortostática), constipação, náusea, sonolência, confusão, alucinações, paranoia, palpitações e rubor.

Se esses medicamentos forem interrompidos de repente, síndrome neuroléptica maligna (com febre alta, pressão sanguínea alta, rigidez muscular, lesão muscular e coma), que pode pôr em risco a vida.

Esta combinação é a base do tratamento. A carbidopa auxilia no aumento da eficácia de levodopa e reduz seus efeitos colaterais. Depois de muitos anos, a eficácia da combinação pode diminuir.

Agonistas da dopamina

Pramipexol

Ropinirol

Sonolência, náusea, hipotensão ortostática, movimentos involuntários, confusão, comportamento obsessivo-compulsivo, impulsos novos ou aumentados (como apostas) e alucinações

Quando esses medicamentos são interrompidos de repente, ocorre a síndrome maligna neuroléptica.

No início da doença, esses medicamentos podem ser usados individualmente ou com pequenas doses de levodopa para possivelmente retardar os efeitos colaterais. Posteriormente, na doença, os agonistas da dopamina são úteis quando os efeitos “on-off” de levodopa a tornam menos eficaz. Esses medicamentos são especialmente úteis em pessoas com menos de 60 anos.

Apomorfina

Náusea grave, vômito e nós (nódulos) embaixo da pele no local da injeção

Este medicamento de ação rápida é injetado embaixo da pele. É usado como terapia de resgate para reverter o efeito “off” da levodopa.

Rotigotina

Sonolência, náusea, hipotensão ortostática, confusão, comportamento obsessivo-compulsivo, impulsos novos ou aumentados (como apostas), alucinações, ganho de peso (possivelmente devido à retenção de líquidos) e algumas vezes irritação da pele onde o adesivo é aplicado

A rotigotina está disponível como um adesivo da pele. É usado sozinho, no início da doença. O adesivo é usado continuamente, por 24 horas, depois é removido e substituído. O adesivo deve ser colocado em locais diferentes, todos os dias, para reduzir o risco de irritação na pele.

Inibidores da MAO-B

Rasagilina

Náusea, insônia, sonolência e inchaço devido ao acúmulo de líquido (edema)

A rasagilina pode ser usada individualmente para adiar o uso da levodopa, mas geralmente é administrada como um complemento a levodopa. Na melhor situação, a rasagilina é modestamente eficaz.

Selegilina

Quando administrada com levodopa, piora os efeitos colaterais da levodopa, incluindo náusea, confusão, insônia e movimentos involuntários

A selegilina pode ser usada individualmente para adiar o uso da levodopa, mas geralmente é administrada como um complemento da levodopa. No melhor dos casos, a selegilina é modestamente eficaz.

Inibidores da COMT

Entacapona

Opicapona

Tolcapona

Quando administrada com levodopa, possivelmente piora os efeitos colaterais da levodopa, incluindo náusea, confusão e movimentos involuntários

Diarreia, dor nas costas e urina laranja

Raramente com tolcapona, risco de lesão hepática

Esses medicamentos podem ser utilizados como suplemento da levodopa nas fases avançadas da doença, e para prolongar o intervalo entre as doses de levodopa. São utilizados apenas com levodopa.

Quando a tolcapona é utilizada, os médicos periodicamente realizam exames de sangue para avaliar a eficiência da função hepática ou se há lesões (exames hepáticos)

Medicamentos anticolinérgicos*

Benztropina

Triexifenidilo

Antidepressivos tricíclicos (como amitriptilina), usados caso a depressão também precise ser tratada.

Algumas anti-histaminas (como difenidramina)

Sonolência, confusão, boca seca, visão turva, tontura, constipação, dificuldade em urinar, perda do controle da bexiga e regulação irregular da temperatura do corpo

Esses medicamentos podem ser dados individualmente em fases iniciais para jovens cujo sintoma incômodo é o tremor. Esses medicamentos podem reduzir o tremor, mas não têm influência nos movimentos lentos, nem no alívio da rigidez muscular.

Os médicos procuram evitar o uso desses medicamentos em pessoas idosas, pois os efeitos colaterais são particularmente preocupantes em idosos.

Medicamento antiviral

Amantadina

Náusea, tontura, insônia, ansiedade, confusão, edema, dificuldade em urina, piora do glaucoma e descoloração graduada da pele, devido aos vasos sanguíneos dilatados (livedo reticular)

Raramente, quando o medicamento é cessado ou a dose é reduzida, síndrome maligna neuroléptica

A amantadina é usada individualmente nos estágios iniciais para doença moderada, mas pode se tornar ineficiente depois de vários meses. Posteriormente, é usado para suplementar a levodopa e para diminuir os movimentos involuntários devido à levodopa.

* Medicamentos anticolinérgicos são raramente utilizados para tratar a doença de Parkinson, uma vez que eles são apenas levemente eficazes e apresentam efeitos colaterais incômodos.

COMT = catecol O-metiltransferase; MAO-B = monoamina oxidase tipo B.