honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Spotlight on Aging: Osteoarthritis

Spotlight on Aging: Osteoarthritis

Muitos mitos sobre osteoartrite permanecem. Por exemplo, há o mito de ela ser parte inevitável do envelhecimento, como os cabelos grisalhos e as modificações na pele, e resultar em pouca deficiência e o mito de o tratamento não ser eficaz.

A osteoartrite se torna mais comum com o envelhecimento. Por exemplo, conforme a idade, ocorre o seguinte:

  • A cartilagem que reveste as articulações tende a diminuir.

  • As superfícies de uma articulação podem não deslizar bem umas sobre as outras como antes.

  • A articulação pode ser ligeiramente mais suscetível a lesões.

No entanto, a osteoartrite não é uma parte inevitável do envelhecimento. Ela não é causada simplesmente pelo desgaste que ocorre com os anos de utilização da articulação. Outros fatores podem incluir lesão única ou repetida, movimento anormal, distúrbios metabólicos, infecção articular ou outro distúrbio da articulação.

Além disso, a osteoartrite geralmente provoca deficiência na vida adulta.

Tratamento eficaz, como medicamentos para dor (analgésicos), exercícios, fisioterapia e, em alguns casos, cirurgia, está disponível.

Lesão nos ligamentos também é comum com o envelhecimento. Os ligamentos, que se ligam as articulações, tendem a tornar-se menos elásticos com a idade, fazendo as pessoas sentirem suas articulações apertadas ou rígidas. Essa mudança resulta de alterações químicas nas proteínas que compõem os ligamentos. Consequentemente, a maioria das pessoas se tornam menos flexíveis à medida que envelhecem. Os ligamentos tendem a se romper mais facilmente, e quando eles se rompem, se curam mais vagarosamente. As pessoas idosas devem ter o seu regime de exercício avaliado por um treinador ou médico, de modo que os exercícios que podem romper ligamentos sejam evitados.

Às vezes, a dor causada pela osteoartrite não pode ser aliviada por um analgésico simples, como o paracetamol. Podem ser necessários analgésicos mais potentes, como tramadol ou em casos raros opioides, mas os médicos receitam esses medicamentos apenas quando necessário, para evitar problemas com efeitos colaterais e possível dependência. No entanto, esses medicamentos podem causar confusão em pessoas idosas. Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), que são espalhados na pele sobre a articulação afetada, podem ser uma melhor opção para as pessoas idosas. Uma menor quantidade de AINEs é absorvida do que se for tomado por via oral, minimizando o risco de efeitos colaterais.