Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Algumas causas de estupor e coma

Algumas causas de estupor e coma

Quadro clínico

Processo

Efeitos

Distúrbios no cérebro

Convulsões que se repetem com frequência ou duram um longo tempo podem

  • Estimular excessivamente o tecido cerebral, interrompendo a transmissão normal dos impulsos nervosos

  • Ocasionalmente, causam febre alta, o que pode contribuir adicionalmente para o mau funcionamento do cérebro

Tais convulsões podem lesionar o tecido cerebral.

O estado de consciência fica, frequentemente, comprometido durante uma convulsão.

Após uma convulsão, a maioria das pessoas sente-se sem energia (letárgica) e confusa, e algumas sentem-se fracas ou estão paralisadas. Elas podem permanecer dessa forma por minutos até horas após a convulsão.

Acidentes vasculares cerebrais ocorrem quando o fluxo sanguíneo para partes do cérebro, incluindo o tronco cerebral, é bloqueado.

Se o fluxo de sangue para a parte superior do tronco cerebral for bloqueado, é possível perder a consciência de forma repentina, resultando em coma. Se o fluxo de sangue para todo o tronco cerebral estiver bloqueado e não for restaurado em vários minutos, a maior parte ou a totalidade do tronco cerebral é danificada, podendo resultar em morte.

Acidentes vasculares cerebrais podem resultar de hemorragia no cérebro (hemorragia intracerebral) ou entre as camadas do tecido de revestimento do cérebro (hemorragia subaracnoide).

O sangue pode danificar diretamente ou aumentar a pressão no tecido cerebral.

A consciência pode ser prejudicada, resultando em coma. Convulsões também podem ocorrer. Mesmo uma pequena quantidade de sangramento no tronco cerebral pode provocar coma.

Um grande tumor ou abscesso pode empurrar o cérebro contra as estruturas relativamente rígidas dentro do crânio e pressionar o tecido cerebral, fazendo com que ele não funcione corretamente. Às vezes, a pressão empurra o tecido cerebral através de uma abertura natural nas camadas relativamente rígidas de tecido que dividem o cérebro em partes. Essa protrusão anormal do tecido cerebral é chamada de hérnia cerebral.

Os tumores podem invadir e danificar diretamente o tecido cerebral e causar inchaço, que prejudica a comunicação entre diferentes áreas do cérebro.

Se as áreas do cérebro que controlam a consciência são afetadas, ocorre coma.

Outras doenças

Parada cardíaca ou parada respiratória

Na parada cardíaca, o coração para de bombear. Como resultado, não chega sangue suficiente ao cérebro, e o cérebro fica privado de oxigênio, pois o sangue transporta oxigênio para os tecidos do organismo.

Na parada respiratória, a pessoa para de respirar. Como resultado, não entra oxigênio suficiente no sangue e o cérebro é privado de oxigênio.

Geralmente, parada respiratória e cardíaca ocorrem juntas.

Perde-se a consciência dentro de um ou dois minutos. Se pessoas forem privadas de oxigênio por até 4 a 5 minutos, a perda de oxigênio desencadeia a morte de células nervosas em determinadas partes do cérebro. Ocorre coma, o qual pode rapidamente se tornar irreversível.

Doenças do coração e do pulmão, se forem graves

Doenças cardíacas graves (tais como insuficiência cardíaca) podem reduzir o fluxo sanguíneo para o cérebro.

Doenças pulmonares graves (como doença pulmonar obstrutiva crônica, edema pulmonar, embolia pulmonar e ataques de asma graves e de longa duração) podem reduzir a quantidade de oxigênio no sangue.

Com qualquer tipo de doença, o cérebro pode não receber oxigênio suficiente. A falta de oxigênio pode causar delirium ou coma, dependendo da quantidade de oxigênio no sangue.

Se os rins ou fígado não conseguem remover os resíduos tóxicos do sangue como fazem normalmente, os resíduos se acumulam no sangue e provocam o mau funcionamento do cérebro.

Com o passar do tempo, a hipertensão arterial danifica os vasos sanguíneos no cérebro.

Tratar a insuficiência renal ou hepática crônica geralmente pode reverter o coma causado por elas.

Se o coma resultar de insuficiência hepática aguda e grave, o cérebro incha porque há acúmulo de líquido nas células cerebrais. Geralmente, resulta em morte.

Se vasos sanguíneos do cérebro forem danificados, o fluxo de sangue e o suprimento de oxigênio para o cérebro são reduzidos. Além disso, pode haver ruptura de vasos sanguíneos danificados, resultando em acidente vascular cerebral (devido à hemorragia no cérebro).

Anormalidades metabólicas

O diabetes pode fazer o nível de açúcar no sangue ficar muito alto (hiperglicemia) ou, quando o tratamento for muito agressivo, muito baixo (hipoglicemia - veja abaixo).

Além disso, quando não há insulina suficiente, como pode ocorrer no diabetes tipo 1, o corpo decompõe células adiposas para produzir energia. Durante o processo, são produzidas cetonas. As cetonas tornam o sangue ácido demais, um quadro denominado cetoacidose diabética.

Pode resultar em estupor ou coma.

Sem tratamento, a cetoacidose ou hipoglicemia diabética pode resultar em coma e morte.

O nível de açúcar no sangue é anormalmente alto. Altos níveis de açúcar no sangue podem causar desidratação, drenando líquido do cérebro e provocando seu encolhimento.

Pode resultar em estupor ou coma.

O nível de açúcar no sangue é anormalmente baixo. O cérebro não funciona bem ou é danificado se for privado de açúcar, que é sua principal fonte de energia em combinação com o oxigênio.

Pode resultar em coma. As pessoas com hipoglicemia devem ser tratadas de imediato para prevenir dano permanente ao cérebro ou morte. O tratamento consiste em administrar-lhes glicose (um açúcar) por via intravenosa

O nível de sódio no sangue é alto. Em geral, a hipernatremia é devida à desidratação e pode reduzir a quantidade de água nas células cerebrais.

Uma quantidade anormal de água nas células cerebrais interfere nas reações químicas que ocorrem no cérebro. Pode resultar em estupor ou coma.

O nível de sódio no sangue é baixo. Hiponatremia pode ser devida ao seguinte:

  • Beber muita água (por exemplo, durante trotes de universitários)

  • Reter muita água (como pode ocorrer em certos distúrbios do coração, rins, fígado e distúrbios hormonais)

  • Perder muito sódio na urina ou no trato digestivo (por exemplo, quando ocorre diarreia)

A hiponatremia pode aumentar a quantidade de água nas células cerebrais e causar inchaço do cérebro.

Uma quantidade anormal de água nas células cerebrais interfere nas reações químicas que ocorrem no cérebro. O dano ao cérebro e a extensão desse dano depende da rapidez com que a quantidade de água nas células cerebrais aumenta. Se a quantidade aumenta lentamente, o cérebro pode ser capaz de se ajustar, e o dano é geralmente evitado.

A glândula da tireoide é hipoativa.

Hipotireoidismo não tratado pode provocar confusão mental e raciocínio mais lento.

A confusão pode progredir para estupor e coma.

A deficiência de nutrientes, como tiamina ou determinados eletrólitos ou minerais (como magnésio)

Deficiência de vitamina tiamina ou um mineral como magnésio faz com que as células nervosas no cérebro apresentem mau funcionamento. Alguns minerais (incluindo magnésio) também são eletrólitos. Eletrólitos ajudam a regular as funções dos nervos e músculos e manter o equilíbrio ácido-base no corpo.

A deficiência de tiamina pode resultar em confusão, estupor e coma. Os músculos dos olhos podem não funcionar normalmente resultando em visão dupla.

Níveis muito baixos ou elevados de determinados eletrólitos ou minerais (como magnésio) podem provocar sonolência, fraqueza, e, raramente, convulsões e coma.

Infecções

Encefalite (infecção do cérebro)

Meningite (infecção das camadas de tecido que recobrem o cérebro e a medula espinhal)

Sepse (uma resposta generalizada grave a uma infecção pela corrente sanguínea)

Infecções do trato urinário em pessoas mais velhas

Se o tecido cerebral torna-se infectado, o cérebro pode perder a capacidade funcional.

Outras infecções, como a sepse, podem causar febre alta, o que pode provocar disfunção cerebral ou pode danificar o tecido cerebral.

As alterações no cérebro relacionadas à idade tornam as pessoas idosas mais suscetíveis a distúrbios na função mental causados por doenças menos graves, tais como infecções do trato urinário.

Pode resultar em coma.

Em pessoas idosas, as infecções do trato urinário podem causar confusão, desorientação e delirium.

Acidentes e lesões

Asfixia

O cérebro é privado de oxigênio.

Perde-se rapidamente a consciência e pode ocorrer coma e morte em seguida.

Traumatismo craniano pode causar danos ao cérebro das seguintes formas:

  • Agitar o cérebro, possivelmente interrompendo a comunicação entre as células do mesmo, mas não causando qualquer lesão física evidente (como em uma concussão)

  • Lesão dos pequenos vasos sanguíneos no cérebro (como em uma equimose ou contusão)

  • Cortar ou esmagar o tecido cerebral

  • Causar sangramento grave no cérebro (como ocorre em uma hemorragia intracerebral) ou entre os tecidos que revestem o cérebro (como ocorre em uma hemorragia subaracnoide)

O sangue pode irritar diretamente o tecido cerebral ou pode se acumular como uma massa (hematoma), o que pressiona o cérebro (como no hematoma epidural ou subdural).

Dependendo da lesão, coma pode se desenvolver imediatamente ou gradualmente ao longo de várias horas. Convulsões podem também resultar, particularmente se uma grande quantidade de sangue vazar dos vasos sanguíneos e entrar em contato direto com o tecido do cérebro, irritando-o.

Temperatura corporal acima de 40 °C (104 °F), como ocorre em febre alta ou insolação, pode danificar o cérebro.

Pode resultar em coma. As células nervosas morrem muito mais rapidamente quando a temperatura do corpo está muito alta.

Temperatura corporal abaixo de 36 °C (96,8 °F) abranda a função cerebral. Temperatura corporal abaixo de 26,7 °C (80 °F) causa coma.

No entanto, as baixas temperaturas podem algumas vezes proteger o cérebro, ao diminuir o dano causado por falta de sangue ou de oxigênio. Além disso, as células nervosas morrem muito mais lentamente quando a temperatura corporal é muito baixa. Por exemplo, uma criança pode se recuperar totalmente após ser submersa por 30 minutos em um lago gelado. Ter sido submersa por muito tempo em água quente é, geralmente, fatal.

Pode resultar em estupor ou coma, mas, se as pessoas sobrevivem, geralmente não há danos permanentes.

Substâncias

O álcool diminui a função cerebral. Consumido em grandes quantidades, pode afetar o tecido cerebral, direta ou indiretamente, diminuindo tanto a respiração que o nível de oxigênio no sangue se torna baixo o suficiente para causar danos cerebrais.

Um nível alto de álcool no sangue, especialmente quando se excede 0,2%, pode causar estupor ou coma.

Monóxido de carbono ou substâncias similares inalados em grande quantidade

Monóxido de carbono liga-se à hemoglobina nos glóbulos vermelhos do sangue. Ele toma o lugar do oxigênio e impede que os glóbulos vermelhos do sangue transportem oxigênio para os tecidos, incluindo o cérebro.

Grave intoxicação por monóxido de carbono pode causar coma ou danos cerebrais irreversíveis, porque o cérebro não recebe oxigênio suficiente.

Medicamentos

Muitos medicamentos, mesmo se não administrados em doses elevadas, podem retardar o funcionamento do cérebro, às vezes pela desaceleração da respiração. Incluem

  • Altas doses de barbitúricos

  • Opiáceos (incluindo morfina)

  • Sedativos (tais como o diazepam)

  • Combinação destes medicamentos uns com os outros ou com álcool

  • Superdosagem de maconha, incluindo maconha medicinal

Pode resultar em coma. Se tratado precocemente, este tipo de coma pode ser completamente revertido.