Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre reações adversas medicamentosas

(Efeitos colaterais de medicamentos; Efeitos adversos de medicamentos)

Por

Daphne E. Smith Marsh

, PharmD, BC-ADM, CDE , College of Pharmacy, University of Illinois at Chicago

Última revisão/alteração completa set 2018| Última modificação do conteúdo set 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Reações adversas medicamentosas (efeitos adversos) são quaisquer efeitos indesejados de um medicamento.

No início do século XX, o cientista alemão Paul Ehrlich descreveu um medicamento ideal como uma “bala mágica”. Esse medicamento seria direcionado precisamente ao local da doença e não prejudicaria os tecidos saudáveis. Embora muitos novos medicamentos sejam direcionados de forma mais precisa do que seus antecessores, nenhum deles, até o momento, consegue atingir exclusivamente seu alvo.

A maioria dos medicamentos produzem diversos efeitos, mas geralmente apenas um efeito — o efeito terapêutico — é desejado para o tratamento de uma doença. Os outros efeitos podem ser considerados indesejados, sejam eles intrinsecamente nocivos ou não. Por exemplo, alguns anti-histamínicos, além de controlar os sintomas de alergias, causam sonolência. Quando um medicamento para auxiliar o sono contendo um anti-histamínico é tomado, a sonolência é considerada um efeito terapêutico. Porém, quando um anti-histamínico é tomado para controlar os sintomas de alergia durante o período diurno, a sonolência é considerada um efeito indesejado irritante.

A maioria das pessoas, incluindo profissionais de saúde, referem-se aos efeitos indesejados como efeitos colaterais; outro termo usado é efeito adverso medicamentoso. No entanto, o termo reação adversa medicamentosa é tecnicamente mais adequado para efeitos de medicamentos que são indesejados, desagradáveis, nocivos, ou potencialmente nocivos.

Prevalência de reações adversas medicamentosas

Não surpreendentemente, as reações adversas medicamentosas são comuns. A maioria das reações adversas medicamentosas são relativamente leves e muitas desaparecem quando o medicamento é interrompido ou quando a dose é alterada. Alguns diminuem gradualmente, conforme o corpo se ajusta ao medicamento. Outras reações adversas medicamentosas são mais graves e duram mais. Cerca de 3 a 7% de todas as internações hospitalares nos Estados Unidos são para o tratamento de reações adversas medicamentosas. As reações adversas medicamentosas ocorrem durante 10 a 20% das internações hospitalares e cerca de 10 a 20% dessas reações são graves. Essas estatísticas não incluem o número de reações adversas medicamentosas que ocorrem em pessoas que vivem em casas de repouso e outras instituições de cuidados.

Embora não haja certeza quanto ao número exato de reações adversas medicamentosas, elas representam, claramente, um problema de saúde pública significativo que, com frequência, pode ser evitado.

Reações adversas medicamentosas comuns

Distúrbios digestivos — perda de apetite, náusea, sensação de distensão abdominal, constipação e diarreia — são reações adversas medicamentosas particularmente comuns, pois a maioria dos medicamentos são tomados por via oral e passam pelo trato digestivo. Contudo, quase qualquer sistema de órgãos pode ser afetado. Em pessoas idosas ( Medicamentos e envelhecimento), o cérebro é comumente afetado, muitas vezes resultando em sonolência e confusão.

Identificação e relato de reações adversas medicamentosas

Muitas reações adversas medicamentosas são identificadas quando o medicamento está sendo testado, antes de ser submetido à Food and Drug Administration (agência governamental dos EUA que fiscaliza e controla operações envolvendo alimentos e medicamentos, cuja sigla é FDA) para aprovação. Outras reações adversas medicamentosas, tipicamente aquelas que são incomuns, não são detectadas até que o medicamento esteja no mercado há tempo suficiente para ser utilizado por um grande número de pessoas. Assim, os médicos são obrigados a notificar as suspeitas de reações adversas medicamentosas à FDA.

Tabela
icon

Algumas reações adversas medicamentosas graves

Reação adversa medicamentosa

Tipos de medicamentos

Exemplos

Anemia (resultante da redução da produção ou aumento da destruição de glóbulos vermelhos)

Certos antibióticos

Cloranfenicol

Medicamentos usados ​​para tratar malária ou tuberculose em pessoas com deficiência da enzima G6PD

Cloroquina

Isoniazida

Primaquina

Angioedema (inchaço dos lábios, língua e garganta causando dificuldade respiratória)

Inibidores da ECA

Captopril

Enalapril

Lisinopril

Inibidores da bomba de prótons

Esomeprazol

Lansoprazol

Omeprazol

Medicamentos de controle de natalidade (todas as formas, incluindo adesivos e comprimidos)

Drospirenona/etinilestradiol

Norelgestromina/etinilestradiol

Confusão e sonolência

Sedativos, incluindo muitos anti-histamínicos

Difenidramina

Antidepressivos (especialmente em pessoas idosas)

Amitriptilina

Imipramina

Redução da produção de glóbulos brancos, com o risco aumentado de infecção

Certos medicamentos antipsicóticos

Clozapina

Medicamentos quimioterápicos

Ciclofosfamida

Mercaptopurina

Metotrexato

Vimblastina

Alguns medicamentos usados ​​para tratar distúrbios da tireoide

Propiltiouracila

AINEs (uso repetido de doses excessivas)

Ibuprofeno

Naproxeno

Antibióticos aminoglicosídeos

Gentamicina

Tobramicina

Alguns medicamentos quimioterápicos

Cisplatina

Metotrexato

Antifúngicos

Anfotericina B

Alguns antibióticos

Gentamicina

Tetraciclina (desatualizada)

Alguns analgésicos

Acetaminofeno (uso de doses excessivas)

Alguns medicamentos utilizados no tratamento da tuberculose

Isoniazida

Suplementos de ferro (em quantidades excessivas)

Antidepressivos

Duloxetina

Antibióticos

Tetraciclina

Destruição do tecido muscular (rabdomiólise)

Estatinas

Atorvastatina

Sinvastatina

Úlceras estomacais ou intestinais (com ou sem sangramento)

AINEs

Aspirina

Ibuprofeno

Naproxeno

Anticoagulantes

Heparina

Varfarina

Bifosfonatos

Alendronato

Risedronato

Alguns antibióticos

Penicilina

Quinolona

Anticonvulsivantes

Fenitoína

Ácido valproico

Antiarrítmicos

Amiodarona

Procainamida

Sotalol

Antipsicóticos

Clorpromazina

Haloperidol

Lítio

ECA = enzima de conversão da angiotensina; G6PD = glicose-6-fosfato desidrogenase; AINEs = anti-inflamatórios não esteroides.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre a absorção, metabolismo e excreção...
Vídeo
Considerações gerais sobre a absorção, metabolismo e excreção...
Inaladores
Vídeo
Inaladores
Algumas pessoas sentem dificuldade para respirar devido a uma doença que cause constrição...

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS