Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Queimaduras

Por

Steven E. Wolf

, MD, University of Texas - Southwestern Medical Center

Última revisão/alteração completa nov 2018| Última modificação do conteúdo nov 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A queimadura é uma lesão produzida nos tecidos corporais devido ao contato com o calor, eletricidade, radiação ou substâncias químicas.

  • As queimaduras causam vários graus de dor, bolhas, inchaço e perda de pele.

  • As pessoas que sofrem queimaduras pequenas e superficiais podem apenas precisar limpá-las e aplicar um creme antibiótico.

  • As queimaduras profundas e extensas podem causar complicações sérias, tais como choque e infecções graves.

  • As pessoas com queimaduras profundas e extensas podem precisar receber líquidos intravenosos, cirurgia e reabilitação, frequentemente em uma unidade para queimados.

(Consulte também Queimaduras no olho.)

As queimaduras são causadas, geralmente, pelo calor (queimadura térmica), como fogo, vapor, alcatrão ou líquidos quentes. As queimaduras provocadas por substâncias químicas são semelhantes às queimaduras térmicas, ao passo que as queimaduras causadas por radiação, luz solar e eletricidade tendem a ser significativamente diferentes. Os eventos associados com uma queimadura, tais com saltar de um prédio em chamas, ser atingido por resíduos ou estar envolvido em um acidente com veículo a motor, podem causar outras lesões. Além disso, pessoas que foram queimadas por fogo, geralmente respiram fumaça do fogo (inalação de fumaça). O fumo pode sufocar as pessoas, mas também contém diferentes substâncias químicas produzidas pela substância em queima. Alguns desses produtos químicos, tais como monóxido de carbono e cianeto, podem ser tóxicos.

Geralmente, as queimaduras térmicas e químicas ocorrem devido ao contato de uma fonte de calor ou de substâncias químicas com parte da superfície corporal, com mais frequência, a pele. Deste modo, a pele aguenta a maior parte dos danos. No entanto, uma queimadura superficial grave pode penetrar em estruturas profundas do organismo, como a gordura, os músculos ou os ossos.

Quando os tecidos são queimados, há uma perda de líquido para o seu interior a partir dos vasos sanguíneos, causando inchaço. Além disso, a pele danificada e outras superfícies corporais são facilmente infectadas, pois já não podem continuar a agir como barreira contra os microrganismos invasivos.

Mais de dois milhões de pessoas nos Estados Unidos necessitam de tratamento para queimaduras a cada ano e entre 3.000 e 4.000 morrem devido a queimaduras graves. Pessoas idosas e crianças pequenas são particularmente vulneráveis. Quando as crianças ou as pessoas idosas sofrem queimaduras, os médicos consideram também a possibilidade de a pessoa ter sofrido abusos (consulte Negligência e abuso infantil e Maus tratos a idosos).

Classificação

As queimaduras são classificadas de acordo com definições rigorosas e geralmente aceitas. As definições classificam a profundidade da queimadura e a extensão do dano aos tecidos.

Profundidade da queimadura

A profundidade da lesão causada por uma queimadura é descrita como sendo de primeiro, segundo ou terceiro graus:

  • As queimaduras de primeiro grau são as mais superficiais. Estas afetam apenas a camada exterior da pele (epiderme).

  • As queimaduras de segundo grau (também chamadas queimaduras de espessura parcial) chegam à camada média da pele (derme). As queimaduras de segundo grau são, por vezes, adicionalmente descritas como superficiais (que envolvem a parte mais superficial da derme) ou profundas (que envolvem as partes superficiais e as partes profundas da derme).

  • As queimaduras de terceiro grau (também chamadas queimaduras de espessura total) envolvem as três camadas da pele (epiderme, derme e camada de gordura). Geralmente, as glândulas sudoríparas, os folículos capilares e as extremidades nervosas são igualmente destruídos.

Avaliando a extensão de uma queimadura

Para determinar a gravidade de uma queimadura, os médicos calculam a porcentagem da superfície do corpo com queimaduras de segundo ou terceiro graus. Para os adultos, utiliza-se a regra dos nove. Este método divide quase todo o corpo em seções de 9% ou de 2 vezes 9% (18%). Para as crianças, utilizam-se gráficos que ajustam essas porcentagens conforme a idade da criança (tabelas de Lund e Browder). Este ajuste é necessário, pois as diferentes zonas do corpo crescem em um ritmo distinto.

Avaliando a extensão de uma queimadura

Gravidade da queimadura

As queimaduras são classificadas como leves, moderadas e graves. Estas classificações podem não ter correspondência com a compreensão comum desses termos. Por exemplo, os médicos podem classificar uma queimadura como leve mesmo que provoque dores significativas à pessoa e interfira em atividades comuns. A gravidade determina o prognóstico de cura e a probabilidade de complicações. Os médicos determinam a gravidade da queimadura pela sua profundidade e pela porcentagem da superfície do corpo afetada por queimaduras de segundo e terceiro graus. Utilizam-se tabelas especiais para se estabelecer a porcentagem de superfície corporal correspondente a diversas partes do corpo. Por exemplo, num adulto, o braço constitui, mais ou menos, 9% do corpo. Utilizam-se tabelas diferentes para as crianças porque as suas proporções corporais são diferentes.

  • Queimaduras leves: todas as queimaduras de primeiro grau, da mesma forma que as queimaduras de segundo grau que representam menos de 10% da superfície corporal, costumam ser classificadas como leves.

  • Queimaduras moderadas e graves: as queimaduras que envolvem mãos, pés, a face ou os genitais, as queimaduras de segundo grau que envolvem mais de 10% da superfície corporal e todas as queimaduras de terceiro grau que envolvem mais de 1% do corpo são classificadas como moderadas ou, mais frequentemente, como graves.

Sintomas

Os sintomas de uma ferida de queimadura variam dependendo da profundidade da queimadura:

  • As queimaduras de primeiro grau são avermelhadas, apresentam inchaço e causam dor. A superfície queimada fica pálida ao ser suavemente tocada, mas não se formam bolhas.

  • As queimaduras de segundo grau são rosa ou avermelhadas, apresentam inchaço e causam dor intensa. No prazo de 24 horas (frequentemente dentro de pouco tempo após a queimadura), surgem bolhas que liberam um líquido transparente. A superfície queimada pode ficar pálida com a pressão do toque.

  • As queimaduras de terceiro grau não costumam doer, porque os nervos foram destruídos. A pele torna-se ressequida ou pode ficar branca, negra ou apresentar uma cor vermelho brilhante. A superfície queimada não fica pálida quando é pressionada e os pelos podem ser facilmente extraídos de sua raiz, sem dor.

O aspecto e os sintomas das queimaduras profundas podem piorar durante as primeiras horas ou até mesmo dias depois de a queimadura ter ocorrido.

Você sabia que...

  • As queimaduras mais profundas podem causar a menor dor, pois os nervos que detectam a dor são destruídos.

Diagnóstico

  • Avaliação da profundidade e extensão da ferida

  • Às vezes, exames de sangue e urina

Os médicos examinam as pessoas hospitalizadas com frequência para verificar o surgimento de complicações e avaliar a profundidade e gravidade da ferida de queimadura. Em pessoas com queimaduras extensas, faz-se a medição frequente da pressão arterial, da frequência cardíaca e do volume de urina para avaliar o grau de desidratação ou choque e a necessidade de administrar líquidos intravenosos. Os médicos realizam exames de sangue para monitorar os eletrólitos do corpo e contagem de células sanguíneas. O eletrocardiograma (ECG) e a radiografia ao tórax também são necessários. São realizados exames ao sangue e à urina para detectar proteínas causadas pela destruição do tecido muscular (rabdomiólise) que por vezes ocorre com queimaduras de terceiro grau.

Complicações

As queimaduras leves são geralmente superficiais e não causam complicações. No entanto, as queimaduras profundas de segundo e terceiro graus incham e demoram mais tempo para curar. Além disso, as queimaduras mais profundas podem causar a formação de tecido cicatricial. Este tecido cicatricial encolhe (contrai-se) à medida que cura. Caso se formarem cicatrizes em um membro ou dedo, a contratura resultante pode restringir o movimento de articulações próximas.

As queimaduras graves e algumas queimaduras moderadas podem causar sérias complicações devido a uma grande perda de líquidos e a dano aos tecidos. Estas complicações podem demorar horas ou dias para surgirem. Quanto mais profunda e extensa a queimadura, mais graves são os problemas que tende a causar. Crianças pequenas e adultos mais velhos tendem a ser afetados de maneira mais séria por essas complicações do que outros grupos etários. Em seguida, são apresentadas algumas complicações de algumas queimaduras moderadas e graves:

  • Em pessoas com queimaduras muito extensas acaba ocorrendo desidratação, pois o líquido é filtrado do sangue para os tecidos queimados e, caso as queimaduras sejam profundas e extensas o suficiente, para todo o corpo.

  • Ocorre choque se a desidratação for grave.

  • Os desequilíbrios químicos podem resultar de queimaduras extensas.

  • Por vezes, ocorre destruição do tecido muscular (rabdomiólise) com queimaduras de terceiro grau. O tecido muscular liberta mioglobina, uma das proteínas dos músculos, para o sangue. Se estiver presente em concentrações elevadas, a mioglobina danifica os rins.

  • As infecções podem complicar as feridas de queimaduras. Por vezes, a infecção pode disseminar-se pela corrente sanguínea e causar doença grave ou até mesmo morte.

  • As queimaduras profundas de terceiro grau originam superfícies espessas, com crostas (escaras). As escaras podem retrair excessivamente, interrompendo o fornecimento de sangue para os tecidos saudáveis ou dificultando sua oxigenação.

  • A temperatura corporal pode ficar perigosamente baixa (hipotermia) quando são administrados líquidos frios para tentar corrigir a desidratação, especialmente se a pessoa estiver exposta a um ambiente frio de pronto-socorro enquanto os médicos avaliam e tratam as queimaduras graves.

Tratamento

  • Para queimaduras menores, esfriar a ferida com água em temperatura ambiente por vários minutos, seguido de cuidados e compressas na ferida

  • Para queimaduras graves, hospitalização e tratamento das complicações, bem como das queimaduras

Antes de se tratar uma queimadura, o agente causador deve ser eliminado, de forma a evitar dano adicional. Por exemplo, o fogo deve ser apagado. Toda a roupa afetada deve ser imediatamente retirada, em especial vestimentas fumegantes (como camisas de fibra sintética derretidas), cobertas com uma substância quente (com alcatrão) ou ensopadas com substâncias químicas.

Às vezes é necessária a hospitalização para tratamento ideal de queimaduras. Por exemplo, num hospital fica mais fácil elevar um braço ou uma perna gravemente queimada acima do nível do coração para prevenir o inchaço. Além disso, a hospitalização é frequentemente necessária no caso de queimaduras que impeçam a pessoa de realizar atividades básicas diárias, como caminhar ou comer, ou queimaduras que causem dor intensa. Queimaduras graves, queimaduras profundas de segundo e terceiro graus, queimaduras que afetam pessoas muito jovens ou muito idosas e queimaduras que afetam mãos, pés, face ou genitais são mais bem tratadas nos centros para queimados. Estes centros são hospitais especialmente equipados e dotados de pessoal especializado para tratar das vítimas de queimaduras.

Queimaduras superficiais leves

Queimaduras superficiais menores são resfriadas imediatamente com água em temperatura ambiente por vários minutos, se possível. A queimadura deve ser limpa com cuidado para evitar a infecção. Se a sujeira estiver profundamente impregnada, os médicos podem administrar analgésicos ou anestesiar localmente a zona e, em seguida, limpar a queimadura com uma escova.

Muitas vezes, o único tratamento necessário é a aplicação de um creme antibiótico, como sulfadiazina de prata. O creme previne a infecção e constitui uma barreira para impedir a entrada de mais bactérias na lesão. Em seguida, aplica-se um curativo esterilizado para proteger a zona queimada do pó e de lesões adicionais. Se necessário, administra-se uma vacina antitetânica.

Os cuidados domiciliares consistem em manter a queimadura limpa para prevenir infecções. Além disso, muitas pessoas tomam analgésicos, às vezes opiáceos, pelo menos durante alguns dias. A queimadura pode ser envolvida em um curativo não adesivo ou gaze esterilizada. É necessário retirar a gaze sem que esta adira, embebendo-a em água.

Queimaduras pequenas e superficiais

A maior parte das pessoas com queimaduras leves tenta tratá-las em casa, em vez de ir ao médico. Na verdade, para tratar queimaduras superficiais leves que estejam limpas, pode ser necessário apenas aplicar medidas simples de primeiros socorros. Geralmente, uma queimadura limpa é aquela que apenas afeta a pele limpa e não contém nenhuma partícula de sujeira ou de comida. Água corrente em temperatura ambiente sobre a queimadura pode ajudar a aliviar a dor. É possível prevenir a infecção cobrindo a queimadura com um creme antibiótico sem prescrição médica e um curativo esterilizado não aderente.

Com frequência, recomendam-se exame e tratamento médico quando é necessária a vacina antitetânica. Da mesma forma, o médico deve examinar uma queimadura se esta apresentar qualquer uma das seguintes características:

  • Seu tamanho é maior do que a mão aberta da pessoa

  • Contém bolhas

  • Escurece ou rasga a pele

  • Afeta face, mãos, pés, genitais ou pregas cutâneas

  • Não está completamente limpa

  • Causa dor que não é aliviada com paracetamol

  • Causa dor que não diminui ao fim de um dia após ter ocorrido a queimadura

Queimaduras profundas leves

Assim como as queimaduras mais superficiais, as queimaduras profundas menores são tratadas com creme antibiótico. Por vezes, os médicos não utilizam creme antibiótico, mas aplicam, em vez disso, curativos esterilizados especiais que podem permanecer no local de vários dias a uma semana. Alguns destes curativos contêm prata, que ajuda a matar as bactérias. Outros curativos são ligeiramente porosos, o suficiente para permitir a drenagem do líquido da queimadura, mas não para permitir a passagem de bactérias. Qualquer pele morta e bolhas rompidas devem ser removidas por um profissional de saúde antes de se aplicar o creme antibiótico ou o curativo. Além disso, se um braço ou uma perna profundamente queimado for mantido em elevação acima do coração durante os primeiros dias, reduz-se o inchaço e a dor. A queimadura pode necessitar de hospitalização ou controle hospitalar ou ambulatorial frequente, possivelmente com uma frequência diária durante os primeiros dias.

Pode ser necessário um enxerto de pele para substituir a pele queimada que não sara. Outros enxertos de pele são úteis para cobrir e proteger temporariamente a pele, à medida que esta se cura sozinha. Em um procedimento de enxerto de pele, um pedaço de pele saudável é retirado de fontes como

  • uma área não queimada do corpo da pessoa (autoenxerto)

  • pessoa falecida (aloenxerto)

  • animal (xenoenxerto)

Os autoenxertos podem ser pedaços sólidos de pele ou enxertos em malha. Para um enxerto em malha, os médicos utilizam uma ferramenta para fazer múltiplas incisões pequenas e espaçadas de forma regular no pedaço de pele. As incisões permitem que a pele doadora seja distendida para cobrir uma área muito maior (frequentemente várias vezes a área do pedaço de pele original). Os enxertos em malha são utilizados em áreas onde o aspeto não é tão preocupante, quando as queimaduras envolvem mais de 20% da superfície corporal e quando a pele doadora é escassa. Os enxertos em malha saram com um aspeto irregular tipo grelha, por vezes com cicatrização excessiva. Após a remoção do tecido morto e após a ferida ter sido limpa, um cirurgião cose ou grampeia o enxerto de pele sobre a área queimada. Pode também ser utilizada pele artificial. Os autoenxertos são permanentes.

No entanto, os aloenxertos e os xenoenxertos são rejeitados após 10 a 21 dias pelo sistema imunológico do paciente e a pele artificial é removida. Apesar de os aloenxertos e xenoenxertos proporcionarem proteção temporária à pele em fase de cicatrização, deve ser colocado, mais tarde, um autoenxerto se a ferida for de espessura total e demasiado grande para sarar por si mesma. A pele queimada pode ser substituída a qualquer momento após vários dias da ocorrência da queimadura.

Normalmente, é necessário recorrer à fisioterapia e à terapia ocupacional para impedir a imobilidade causada pelas cicatrizes ao redor das articulações e para ajudar as pessoas a se moverem se o movimento das articulações for limitado. Iniciam-se os exercícios de alongamento nos primeiros dias após a queimadura. Aplicam-se talas para se assegurar a imobilidade de algumas articulações, de forma que repousem na posição menos propensa a causar contraturas. Essas talas são retiradas apenas quando as articulações se movem. Contudo, caso tenha sido realizado um enxerto de pele, a terapia não deve ser iniciada nos primeiros três dias após os enxertos terem se fixado, com o objetivo de não causar obstáculos à sua cura. Os curativos volumosos que exercem pressão sobre a queimadura podem prevenir o aparecimento de cicatrizes grandes.

Queimaduras graves

As queimaduras graves, com risco de morte, requerem atenção imediata. Uma pessoa que tenha entrado em choque no seguimento da desidratação deve receber oxigênio através de uma máscara facial.

São administradas grandes quantidades de líquidos intravenosos imediatamente em pessoas que sofrem desidratação, choque ou queimaduras que cobrem uma grande área do corpo. São também administrados líquidos em caso de destruição do tecido muscular. Os líquidos diluem a mioglobina do sangue, prevenindo danos extensos nos rins. Por vezes, administra-se um produto químico (bicarbonato de sódio) por via intravenosa, com o intuito de ajudar a dissolver a mioglobina e, assim, prevenir também danos adicionais nos rins.

Pode ser necessário realizar um procedimento cirúrgico para abrir com um corte escaras que interrompem o suprimento de sangue para um membro ou que dificultam a respiração. Este procedimento é chamado escarotomia. A escarotomia costuma causar algum sangramento, mas produz pouca dor, uma vez que a queimadura que originou a escara destruiu as terminações nervosas da pele.

O tratamento da pele é extremamente importante. É essencial manter a superfície queimada limpa, porque a pele danificada é infectada com facilidade. A limpeza pode ser conseguida através de um jato de água suave sobre as queimaduras, periodicamente. As feridas são limpas e os curativos mudados em vários intervalos (geralmente uma vez por dia ou com menos frequência), dependendo do tipo de curativo. Assim como no caso de queimaduras profundas menores, são necessários enxertos de pele para cobrir as queimaduras que não saram.

É importante para a cura seguir uma dieta equilibrada que inclua quantidades adequadas de calorias, proteínas e nutrientes. Pessoas que não conseguem consumir quantidades suficientes de calorias podem beber suplementos dietéticos ou recebê-los por meio de um tubo introduzido pelo nariz até ao estômago (sonda nasogástrica) ou, com menos frequência, a nutrição pode ser recebida por via intravenosa. Geralmente, administram-se suplementos vitamínicos e minerais.

É necessária fisioterapia e terapia ocupacional.

A depressão é tratada. Visto que as queimaduras graves demoram muito tempo para curar e podem causar desfiguração, a pessoa afetada pode entrar em depressão. A depressão pode ser, muitas vezes, atenuada com medicamentos, psicoterapia ou ambos.

Prognóstico

As queimaduras de primeiro grau e algumas queimaduras de segundo grau curam-se em dias ou semanas sem deixarem cicatrizes. As queimaduras profundas de segundo grau e as queimaduras pequenas de terceiro grau demoram semanas para se curarem e, normalmente, causam cicatrizes. A maior parte requer enxertos de pele. As queimaduras que afetam mais de 90% da superfície corporal ou mais de 60% numa pessoa idosa, são normalmente mortais.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Ligamento cruzado anterior
Vídeo
Ligamento cruzado anterior
O ligamento cruzado anterior, ou LCA, está localizado no centro do joelho, junto do ligamento...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Ruptura da coifa dos rotadores
Modelo 3D
Ruptura da coifa dos rotadores

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS