Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Luxações dos ossos da mão

(Wrist Dislocation; Perilunate Dislocation; Lunate Dislocation)

Por

Danielle Campagne

, MD, University of San Francisco - Fresno

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os ossos na base da mão (ossos carpais), geralmente o lunar ou capitato, saem de sua posição normal.

  • Essas luxações costumam ocorrer quando uma força intensa é aplicada ao pulso e ele é flexionado para trás.

  • O pulso e a mão ficam doloridos e podem parecer disformes e as pessoas não conseguem movê-los normalmente.

  • Os sintomas e as circunstâncias da lesão sugerem o diagnóstico, mas os médicos tiram radiografias para confirmá-lo.

  • Os médicos recolocam os ossos no lugar com as mãos sem fazer uma incisão, aplicam uma tala e encaminham a pessoa a um ortopedista, pois muitas vezes é necessário cirurgia.

Os ossos carpais (pulso) estão localizados na base da mão, entre os ossos do antebraço (rádio e ulna) e os ossos metacarpos longos da mão. Existem oito ossos carpais pequenos.

Dois dos ossos carpais sofrem comumente luxação:

  • O capitato (que é o maior osso da mão, localizado no meio da parte inferior da palma)

  • O lunar (que está localizado entre o capitato e a extremidade da ulna)

A luxação do capitato é chamada luxação perilunar. As luxações perilunares são mais comuns do que as luxações lunares.

Essas luxações resultam de uma força intensa que faz o pulso flexionar para trás, geralmente uma queda sobre uma mão estendida ou uma lesão em um acidente de carro.

Ossos no pulso

Ossos no pulso

Sintomas

Quando esses ossos são deslocados, o pulso e a palma da mão ficam doloridos. As pessoas não conseguem mover o pulso e a mão normalmente. O pulso geralmente parece disforme e a mão incha.

Os dedos podem formigar e parecer dormentes, pois o osso deslocado exerce pressão no túnel do carpo (uma passagem estreita de tecido fibroso) e nos nervos e vasos sanguíneos que ele contém (causando a síndrome do túnel do carpo). O fornecimento de sangue para os ossos do pulso pode ser reduzido ou interrompido, e o tecido ósseo pode morrer. Com o passar do tempo, a articulação do pulso pode se deteriorar, causando artrite incapacitante.

Diagnóstico

  • Radiografias

O diagnóstico e o tratamento imediatos das luxações do pulso podem ajudar a reduzir o risco de complicações, tais como artrite e necrose do tecido ósseo.

As pessoas devem dirigir-se ao pronto-socorro se acharem que deslocaram esses ossos.

As pessoas podem aguardar até um dia, antes de decidirem se chamam o médico, se o pulso tiver aspecto normal e se movimentar normalmente e a dor puder ser controlada com medicamentos sem receita. Todavia, se os sintomas perdurarem por mais de um dia, elas devem procurar um médico.

Os médicos suspeitam de luxações perilunar e lunar baseados nos sintomas e nas circunstâncias da lesão. São tiradas radiografias para confirmar o diagnóstico.

Tratamento

  • Manipulação para recolocar os ossos no lugar

  • Uma tala

  • Encaminhamento a um ortopedista

  • Geralmente reparo cirúrgico

Os médicos recolocam os ossos do pulso no lugar com as mãos, sem fazer uma incisão (chamado redução fechada). Depois é aplicada uma tala para imobilizar o pulso e o cotovelo. Geralmente os médicos também encaminham a pessoa imediatamente a um ortopedista.

A maioria das luxações perilunares e lunares precisa ser reparada cirurgicamente, pois as pessoas fazem melhor uso da mão após o reparo cirúrgico.

A recuperação normalmente demora meses.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS