Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Lesões da bexiga

Por

Noel A. Armenakas

, MD, Weill Cornell Medical School

Última revisão/alteração completa set 2019| Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Uma lesão na bexiga surge frequentemente quando se forma uma lesão na pélvis, como pode acontecer num acidente com um veículo a alta velocidade ou numa queda. As lesões penetrantes, geralmente causadas por disparos, raramente lesionam a bexiga. Além disso, uma lesão da bexiga pode ocorrer de forma não intencional durante uma intervenção cirúrgica que envolva a pélvis, a parte inferior do abdômen ou a vagina (tal como a retirada do útero [histerectomia], parto por cesariana ou a retirada do cólon [colectomia]).

Complicações

Se as lesões na bexiga não forem prontamente tratadas, podem surgir complicações como as seguintes:

Sintomas

Os sintomas mais frequentes de uma lesão na bexiga são a presença de sangue visível na urina, dificuldade de urinar e dor na pélvis e na parte inferior do abdômen ou durante a micção. Se a parte mais baixa da bexiga (onde está localizado o músculo que ajuda a controlar a micção) for lesionada, a pessoa pode urinar com frequência ou sofrer de incontinência urinária.

Diagnóstico

  • Cistografia, geralmente com tomografia computadorizada (TC) ou radiografias padrão

O diagnóstico de lesão na bexiga pode ser melhor constatado por cistografia, procedimento no qual um meio de contraste radiopaco, um líquido que fica visível em radiografias, é injetado na bexiga; por meio de TC ou radiografias padrão procura-se a origem da perda de urina (consulte Exames de imagem do trato urinário). As lesões da bexiga que ocorrem durante um procedimento cirúrgico costumam ser identificadas rapidamente no momento da cirurgia e não são necessários exames de diagnóstico por imagem da bexiga.

Tratamento

  • Cateterismo para drenar a bexiga

  • Às vezes, cirurgia

As lesões menos graves da bexiga, sejam elas provocadas por contusões ou pequenos rasgões (lacerações) específicos, podem ser tratadas através da introdução de um cateter pela uretra durante 5 a 10 dias. O cateter drena a urina continuamente para que a bexiga não fique cheia, o que facilita a sua cicatrização.

Para lesões mais graves da bexiga ou qualquer outra lesão que tenha como resultado perdas de urina para a cavidade abdominal, deve-se realizar uma intervenção cirúrgica com objetivo de determinar o grau da lesão e reparar todas as lacerações. A urina pode, então, ser drenada da bexiga de forma mais eficaz usando-se um ou, raramente, dois cateteres. Os cateteres são inseridos pela uretra (um cateter transuretral) e/ou diretamente na bexiga através da pele que reveste a parte inferior do abdômen (cateter suprapúbico). Esses cateteres são retirados após 7 ou 10 dias ou depois de a bexiga estar satisfatoriamente curada. Se surgirem complicações, estas devem ser tratadas.

Quando uma lesão da bexiga é identificada durante um procedimento cirúrgico, esta deve ser tratada nesse mesmo momento.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Terapia de células-tronco alogênicas
Vídeo
Terapia de células-tronco alogênicas
Células-tronco são células ímpares localizadas na medula óssea ou no sangue periférico capazes...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Ruptura da coifa dos rotadores
Modelo 3D
Ruptura da coifa dos rotadores

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS