Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Fraturas do cotovelo

Por

Danielle Campagne

, MD, University of San Francisco - Fresno

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

As fraturas do cotovelo podem envolver o osso do braço (úmero) próximo ao cotovelo, chamadas fraturas da parte distal do úmero, ou o osso maior da região superior do antebraço (rádio), chamadas fraturas da cabeça do rádio.

Fraturas da parte distal do úmero

(fraturas supracondilares)

As fraturas da parte distal do úmero ocorrem na parte inferior do osso do braço (úmero) que faz parte da articulação do cotovelo.

  • Fraturas do úmero distal geralmente resultam de uma queda sobre o braço estendido ou de força direta.

  • Fraturas do úmero distal podem danificar uma artéria no braço, causar sangramento na articulação ou danificar nervos que passam pelo cotovelo, causando dormência e problemas para movimentar a mão e os dedos.

  • Os médicos baseiam o diagnóstico nos resultados do exame físico e nas radiografias.

  • O tratamento envolve consulta com um cirurgião ortopedista e colocação de tala (quando o osso não se moveu ou desalinhou) ou cirurgia (quando os pedaços quebrados estão separados e/ou desalinhados).

As fraturas da parte distal do úmero ocorrem muitas vezes em crianças de 3 a 11 anos de idade. Elas geralmente resultam de uma queda sobre o braço estendido ou força direta.

A fratura costuma estender-se para a articulação e pode causar sangramento na articulação.

A artéria principal do braço (artéria braquial) pode ser danificada, principalmente se os ossos fraturados estiverem separados (deslocados) ou fora de alinhamento. Quando esta artéria é danificada, pode haver desenvolvimento de síndrome compartimental. Consequentemente, o cotovelo e o pulso podem ficar permanentemente rígidos (chamado contratura).

Às vezes, os nervos que percorrem o cotovelo (nervo radial ou mediano) são danificados. Quando o nervo radial é danificado, as pessoas não conseguem levantar sua mão. Quando o nervo mediano (o nervo que fica comprimido na síndrome do túnel do carpo) é danificado, as pessoas podem ter dificuldade em apertar o polegar e o dedo mínimo.

Sintomas

A área do cotovelo fica dolorida e inchada. A capacidade de dobrar o cotovelo pode estar limitada.

As pessoas podem apresentar contusões na parte inferior do antebraço. As contusões sugerem que há lesão a um vaso sanguíneo.

O antebraço e a mão podem estar dormentes, e as pessoas podem não ser capazes de movimentar a mão e os dedos normalmente. Esses sintomas sugerem que há lesão a um nervo.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Radiografias

(Consulte também Diagnóstico de fraturas.)

Se uma pessoa achar que ela ou uma criança fraturou o cotovelo, a pessoa lesionada deve ser examinada por um médico imediatamente.

Você sabia que...

  • Pessoas que possam ter uma fratura no cotovelo devem consultar um médico imediatamente.

Os médicos pedem à pessoa para descrever o que aconteceu e quais são seus sintomas. Os médicos também examinam o cotovelo.

Para determinar se há uma fratura, os médicos tiram radiografias da articulação do cotovelo de diversos ângulos.

Se os médicos suspeitam de fratura do úmero distal, mas ela não aparece nas radiografias, eles imobilizam o cotovelo com uma tala e pedem que a pessoa volte para outras radiografias, geralmente dentro de 7 a 10 dias.

Se os médicos suspeitarem de fratura, eles também verificarão se há danos nos vasos sanguíneos e nos nervos do braço. Por exemplo, eles verificam a pulsação no pulso para verificar se o fluxo sanguíneo para a mão está normal. Para verificar se um nervo foi danificado, eles pedem à pessoa para mover os dedos e a mão e perguntam se a pessoa pode sentir coisas com os dedos.

Tratamento

  • Consulta em um cirurgião ortopedista

  • Geralmente cirurgia para realinhar os ossos fraturados

  • Em casos raros, somente uma tala

Geralmente se consulta um cirurgião ortopedista, pois essas fraturas frequentemente envolvem nervos ou vasos sanguíneos e podem causar problemas a longo prazo.

Se os ossos não tiverem saído do alinhamento, pode-se usar uma tala para imobilizar o osso fraturado. A maioria das pessoas é levada ao hospital para que os médicos determinem se houve lesão de vasos sanguíneos ou de nervos. No entanto, se as pessoas concordarem em retornar para outro exame no dia seguinte, podem ser liberadas para ir para casa.

Geralmente, se os fragmentos fraturados estiverem separados e/ou desalinhados, realiza-se cirurgia (redução aberta com fixação interna, ou ORIF) para realinhar e imobilizar os fragmentos. Uma vez que o alinhamento dos fragmentos fraturados (redução) pode danificar os nervos e vasos sanguíneos adjacentes, geralmente a cirurgia é realizada por um especialista.

Fraturas da região superior do antebraço

(fraturas da cabeça do rádio)

As fraturas da região superior do antebraço podem ocorrer no alto (cabeça) do osso maior do antebraço (rádio) que faz parte da articulação do cotovelo.

  • As fraturas do braço (cabeça do rádio) geralmente resultam de uma queda com o braço estendido.

  • O cotovelo fica dolorido e inchado.

  • Os médicos tiram radiografias de ângulos diferentes, mas essas fraturas são muitas vezes difíceis de ver, então o diagnóstico baseia-se principalmente nos resultados do exame físico.

  • A maioria dessas fraturas pode ser tratada com uma tipoia, mas algumas requerem cirurgia.

  • Exercícios de amplitude do movimento são iniciados assim que possível.

As fraturas da cabeça do rádio geralmente resultam de uma queda com o braço estendido. Elas ocorrem frequentemente em adultos ativos. São mais comuns em adultos do que em crianças.

As fraturas na extremidade inferior dos ossos do antebraço são consideradas fraturas de pulso.

Sintomas

Mover o cotovelo é doloroso e um lado do cotovelo fica sensível ao ser tocado.

O sangue pode vazar na articulação do cotovelo causando inchaço. Muitas vezes, as pessoas não conseguem endireitar totalmente seu braço.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Radiografias

(Consulte também Diagnóstico de fraturas.)

Os médicos pedem à pessoa para descrever o que aconteceu e quais são seus sintomas. Os médicos também examinam o cotovelo.

Para ver se há esta fratura, os médicos tiram radiografias de diversos ângulos. Porém, as fraturas da cabeça do rádio podem ser difíceis de ver, então o diagnóstico baseia-se principalmente no exame físico. Todavia, as radiografias geralmente mostram líquido no interior da articulação do cotovelo, caso haja uma fratura.

Os médicos podem inserir uma agulha no espaço ao redor da articulação do cotovelo e remover líquido (chamado aspiração articular ou artrocentese). Depois de removido o líquido, às vezes, os médicos conseguem determinar se o movimento do cotovelo está limitado por causa de uma fratura ou por causa da dor e dos espasmos musculares.

Os médicos também tentam mover delicadamente o cotovelo para determinar se os ligamentos foram afetados.

Tratamento

  • Geralmente, uma tipoia

  • Exercícios de amplitude de movimento

  • Para fraturas graves, cirurgia

A maioria das fraturas da cabeça do rádio pode ser tratada com uma tipoia. Se a fratura for grave, faz-se a cirurgia.

Os exercícios para movimentar o cotovelo em sua amplitude de movimento completa são iniciados assim que as pessoas conseguirem tolerá-los (muitas vezes depois de alguns dias). Esses exercícios podem prevenir rigidez permanente.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Articulação do ombro
Vídeo
Articulação do ombro
O ombro é formado por ossos, ligamentos, tendões e músculos que fixam o braço ao dorso. Os...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Ossos da mão
Modelo 3D
Ossos da mão

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS