Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Tifo murino (endêmico)

(Rat-Flea Typhus; Urban Typhus of Malaya)

Por

William A. Petri, Jr

, MD, PhD, University of Virginia School of Medicine

Última revisão/alteração completa jul 2020| Última modificação do conteúdo jul 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

Tifo murino é uma doença por riquétsia causada por Rickettsia typhi e Rickettsia felis e disseminada por pulgas de ratos.

  • As pessoas com tifo murino têm calafrios, febre e dor de cabeça, seguidos, poucos dias depois, por uma erupção cutânea.

  • Para diagnosticar a infecção, os médicos testam uma amostra da erupção cutânea e, às vezes, fazem exames de sangue.

  • O tifo murino é tratado com um antibiótico.

Riquétsias são um tipo de bactéria que consegue viver apenas no interior de células de outros organismos. Murino significa relacionado a ratos e camundongos. Assim as riquétsias que causam tifo murino vivem principalmente em ratos e camundongos (os hospedeiros).

O tifo murino ocorre no mundo todo, embora nem todas as pessoas sejam infectadas. A infecção é transmitida para pessoas por pulgas de ratos, camundongos e gatos.

Nos Estados Unidos, a maioria dos casos de tifo murino ocorre em áreas suburbanas do Havaí, Texas e Califórnia. Nesses estados, as riquétsias frequentemente vivem em gambás e gatos.

Sintomas

Os sintomas de tifo murino começam cerca de 6 a 18 dias após a bactéria entrar no corpo. As pessoas têm calafrios, febre e dor de cabeça. A febre dura cerca de 12 dias. Pode surgir uma erupção cutânea poucos dias depois dos outros sintomas. Primeiro, ela ocorre apenas em alguns lugares do dorso; depois, se alastra para os membros.

O tifo murino raramente causa morte, mas a morte é mais provável em pessoas idosas.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Biópsia e análises da erupção cutânea

  • Exames de sangue

O diagnóstico de tifo murino é sugerido pelos sintomas.

Para confirmar o diagnóstico, os médicos podem fazer um ensaio de imunofluorescência que usa uma amostra retirada da erupção cutânea (biópsia). Ou eles podem usar a técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR) para possibilitar detectar as bactérias mais rapidamente.

Os médicos podem fazer análises de sangue que detectam anticorpos à bactéria. No entanto, a realização do teste apenas uma vez não é o suficiente. O teste deve ser repetido de uma a três semanas mais tarde para verificar a existência de um aumento do nível de anticorpos. Assim, os testes de anticorpos não ajudam os médicos a diagnosticar a infecção imediatamente após alguém ficar doente, mas podem ajudar a confirmar o diagnóstico posteriormente.

Prevenção

Não existe nenhuma vacina para prevenir o tifo murino.

A prevenção de tifo murino envolve medidas para reduzir o contato com pulgas infectadas.

  • Manter roedores e outros animais longe de casa, do local de trabalho e de áreas recreativas, por exemplo, retirando o mato rasteiro, pilhas de pedras, lixo, pilhas de lenha e suprimentos de alimentos (sobretudo ração de animais de estimação)

  • Utilizar luvas se houver manuseio de animais doentes ou mortos

Tratamento

  • Um antibiótico

O tratamento de tifo murino geralmente consiste no antibiótico doxiciclina, administrado por via oral. As pessoas tomam o antibiótico até melhorarem e não terem febre por 48 horas, mas devem tomá-lo durante pelo menos 7 dias.

Cloranfenicol também é eficaz, mas pode causar efeitos colaterais sérios e não está disponível nos Estados Unidos.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS