Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Infecções do fígado por trematódeos

Por

Richard D. Pearson

, MD, University of Virginia School of Medicine

Última revisão/alteração completa mar 2020| Última modificação do conteúdo mar 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Certas espécies de trematódeos causam infecções do fígado.

  • As pessoas são infectadas quando engolem cistos contendo larvas de trematódeos em peixe de água doce cru, mal cozido, seco, salgado ou em conserva ou em agrião contaminado.

  • Dependendo da espécie infecciosa e da intensidade da infecção, as pessoas podem ter febre, calafrios, desconforto ou dor abdominal, icterícia, coceira, diarreia e perda de peso.

  • Os médicos diagnosticam a infecção ao verem os ovos de trematódeos nas fezes ou no conteúdo intestinal de uma pessoa.

  • Dependendo do tipo de trematódeo, medicamentos como praziquantel, albendazol ou triclabendazol podem eliminá-los.

Os trematódeos são vermes planos parasitários. Há muitas espécies de trematódeos. Espécies diferentes tendem a infectar diferentes partes do corpo. As infecções do fígado por trematódeos ocorrem na Europa, na África, no leste da Ásia e na América do Sul, mas são raras nos Estados Unidos. (Consulte também Considerações gerais sobre infecções parasitárias).

Os trematódeos que causam infecções do fígado incluem

  • Clonorchis sinensis (trematódeo hepático chinês ou oriental) que causa clonorquíase.

  • Opisthorchis viverrini (trematódeo do fígado do sudeste da Ásia) e O. felineus (trematódeo do fígado de gatos) que causam uma infecção que lembra a clonorquíase

  • Fasciola hepatica, (o trematódeo hepático comum ou o trematódeo hepático de ovinos) que causa fasciolíase e geralmente infecta ovinos e bovinos

O ciclo de vida dos trematódeos é complexo. As pessoas podem contrair infecções por trematódeos hepáticos ao engolirem cistos contendo trematódeos imaturos (larvas) de:

  • Clonorchis sinensis e Opisthorchis em peixe de água doce cru, mal cozido, seco, salgado ou em conserva; Clonorchis sinensis às vezes também em camarão de água doce.

  • Fasciola hepatica ou Fasciola gigantica em cistos em agrião ou outras plantas aquáticas que crescem em água contaminada por ovos no estrume de ovinos ou bovinos.

Depois que os cistos de Clonorchis sinensis e Opisthorchis são engolidos, as larvas deixam os cistos nos intestinos e deslocam-se pelo intestino entrando no duto biliar (o tubo que transporta bile do fígado e da vesícula biliar para o intestino). Depois elas sobem até o duto biliar e chegam ao fígado ou, às vezes, à vesícula biliar. Lá, desenvolvem-se em adultos e produzem ovos. Os adultos podem viver por vinte a trinta anos se a infecção não for tratada. Os ovos são eliminados nas fezes e ingeridos por caramujos. Os caramujos infectados liberam trematódeos imaturos que conseguem nadar (chamados cercárias). As cercárias liberadas de caramujos infectados formam cistos em diversos peixes ou camarões de água doce.

Depois que os cistos de Fasciola hepatica ou Fasciola gigantica são engolidos, eles chegam ao intestino e liberam larvas imaturas. As larvas se movem pela parede do intestino até a cavidade abdominal e o fígado e, em seguida, até os dutos biliares. Lá, desenvolvem-se em trematódeos adultos que produzem ovos. Os ovos são eliminados nas fezes. Na água, os ovos liberam larvas, as quais penetram nos caramujos. Os caramujos infectados liberam trematódeos imaturos (cercárias) que formam cistos em agrião e outras plantas aquáticas.

Sintomas

Inicialmente, os trematódeos hepáticos podem não causar sintomas ou, dependendo do tipo e da gravidade da infecção, podem causar febre, calafrios, dor abdominal, dilatação do fígado, náusea, vômito e urticária. Os trematódeos Fasciola têm mais propensão a causar esses sintomas.

Com o tempo, se os trematódeos adultos bloquearem uma parte suficiente do duto biliar dentro ou fora do fígado, as pessoas podem desenvolver amarelecimento da pele e das áreas brancas dos olhos (icterícia), coceira, diarreia e perda de peso. Às vezes, os trematódeos danificam o fígado, causando formação de tecido cicatricial (fibrose). Outras complicações incluem infecções bacterianas dos dutos biliares, cálculos biliares e pancreatite.

Ocasionalmente, os trematódeos hepáticos infectam a parede do intestino, os pulmões, a pele ou a garganta.

Anos depois, as pessoas infectadas podem desenvolver câncer dos dutos biliares (colangiocarcinoma). Este câncer ocorreu em veteranos da guerra do Vietnã que, durante o período em que serviram no sudeste da Ásia, podem ter ingerido peixe de água doce cru ou mal cozido que transportava trematódeos hepáticos. Ainda não está claro se a infecção por trematódeos hepáticos contribuiu para o desenvolvimento de câncer em veteranos do Vietnã.

Diagnóstico

  • Exame de uma amostra de fezes

  • Exames de imagem do fígado

  • Exames de sangue para anticorpos

Os médicos diagnosticam as infecções por Clonorchis, Opisthorchis ou Fasciola ao verem ovos de trematódeos nos excrementos (fezes) ou no conteúdo intestinal de uma pessoa. Entretanto, pode ser difícil encontrar os ovos nas fezes.

Nos estágios iniciais da infecção por Fasciola hepatica, podem ser feitos exames de sangue para verificar se há anticorpos contra os trematódeos. É possível detectar anticorpos no sangue semanas antes de os ovos aparecerem nas fezes. (Anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico para ajudar a defender o corpo contra ataques, incluindo os de parasitas). Também são realizados exames para medir os níveis de eosinófilos (um tipo de glóbulo branco) no sangue. O número de eosinófilos pode aumentar em pessoas com infecção por trematódeos.

Para investigar os danos no fígado e nos dutos biliares, podem ser feitos exames de imagem do fígado, tais como ultrassonografia, tomografia computadorizada (TC), imagem por ressonância magnética (RM), colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (endoscopic retrograde cholangiopancreatography, ERCP) ou colangiografia. Ocasionalmente, os médicos observam trematódeos adultos no duto biliar ao examinar o interior do trato digestivo com um tubo de visualização (endoscópio) passado pela boca.

Prevenção

Cozinhar muito bem os peixes ou camarões de água doce provenientes de áreas em que ocorrem infecções por Clonorchis e Opisthorchis ajuda a prevenir as infecções por trematódeos hepáticos. Não se deve consumir camarão ou peixe de água doce cru, seco, salgado ou em conserva proveniente dessas áreas. Não se deve comer agriões e outras plantas aquáticas cruas em áreas nas quais o gado ovino ou bovino pode estar infectado por Fasciola.

Tratamento

  • Um medicamento que elimine os trematódeos do corpo (um medicamento anti-helmíntico)

  • Às vezes cirurgia em caso de obstruções nos dutos biliares

As infecções do fígado por trematódeos são tratadas com um medicamento que elimine os trematódeos do corpo. Esses medicamentos incluem

  • Praziquantel ou albendazol para clonorquíase

  • Triclabendazol para fasciolíase

  • Possivelmente nitazoxanida para fasciolíase

Se os trematódeos bloquearem os dutos biliares, pode ser necessária cirurgia.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS