Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

oncocercose

(River Blindness)

Por

Richard D. Pearson

, MD, University of Virginia School of Medicine

Última revisão/alteração completa set 2020| Última modificação do conteúdo set 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A oncocercose é uma infecção pelo verme nematódeo Onchocerca volvulus. Ela causa coceira, erupção cutânea, às vezes com formação de cicatriz, assim como sintomas nos olhos que podem levar à cegueira.

  • A infecção se propaga pela picada de moscas negras fêmeas, que se reproduzem em riachos.

  • A infecção pode apenas causar coceira intensa, mas por vezes causa erupção cutânea, aumento dos linfonodos, visão enfraquecida ou cegueira completa.

  • Geralmente, os médicos diagnosticam a infecção ao identificar uma forma imatura do verme em uma amostra da pele.

  • A administração de ivermectina uma ou duas vezes ao ano a pessoas que moram em áreas onde a infecção é comum pode controlar a infecção.

  • Se a oncocercose causar sintomas, o tratamento consiste em uma dose única de ivermectina repetida a cada seis a doze meses até o desaparecimento dos sintomas.

No mundo inteiro, cerca de 21 milhões de pessoas têm oncocercose. Cerca de 14,6 milhões têm doença de pele e 1,15 milhão tem problemas de visão ou cegueira. A oncocercose é a segunda causa principal de cegueira infecciosa no mundo.

A oncocercose é mais comum em áreas tropicais e do sul da África (sub-Saara). Ela ocorre ocasionalmente no Iêmen e em áreas da América do Sul e Central, inclusive sul do México, Guatemala, Equador, Colômbia, Venezuela e Brasil (ao longo da Amazônia). As pessoas que vivem ou trabalham próximo a rios ou riachos de fluxo rápido são as mais propensas a serem infectadas. Além dos residentes, os viajantes de longa permanência nessas regiões, como missionários, voluntários ou pesquisadores em campo, correm risco.

Você sabia que...

  • A oncocercose, ou cegueira dos rios, é uma causa dominante de cegueira no mundo em desenvolvimento.

Transmissão de oncocercose

A oncocercose é transmitida pela picada de moscas negras fêmeas que se reproduzem em riachos de fluxo rápido (daí o termo cegueira dos rios).

O ciclo de infecção começa quando uma mosca negra pica uma pessoa infectada e a mosca é infectada com as formas imaturas do verme chamadas microfilárias. As microfilárias se desenvolvem em larvas na mosca. Quando o mosquito pica outra pessoa, as larvas são transmitidas para a pele daquela pessoa. As larvas se movem sob a pele e formam caroços (nódulos), onde se desenvolvem em vermes adultos em 12 a 18 meses. Os vermes fêmeas adultos podem viver até 15 anos nesses nódulos. Após acasalar, os vermes fêmeas maduros produzem ovos, os quais se desenvolvem em microfilárias que deixam o verme. Um verme pode produzir 1.000 microfilárias por dia. Milhares de microfilárias se movem pelos tecidos da pele e dos olhos e são responsáveis pela doença.

Geralmente, muitas picadas são necessárias antes que a infecção cause sintomas. Assim, a infecção é muito menos provável de se desenvolver em visitantes de áreas afetadas.

Como a infecção é transmitida perto de rios, muitas pessoas evitam essas áreas. Não poder viver ou trabalhar perto de rio afeta sua habilidade de produzir colheitas. Assim, a oncocercose pode contribuir para a falta de alimentos em algumas áreas.

Sintomas

Os sintomas de oncocercose ocorrem quando as microfilárias morrem. A morte delas pode causar coceira intensa, o que pode ser o único sintoma. Pode surgir erupção cutânea com vermelhidão. Ao longo do tempo, a pele pode ficar mais espessa, áspera e enrugada. Ela pode perder sua elasticidade e pigmento em partes da pele. Em casos graves, as pessoas podem desenvolver dobras de pele longas que ficam pendentes ao longo da região inferior do abdômen e superior das coxas (“virilha pendente”). Os linfonodos, incluindo aqueles na área genital, podem ficar inflamados e aumentados. Formam-se caroços (nódulos) contendo vermes adultos e esses caroços podem ser vistos ou sentidos sob a pele. Em geral, esses caroços geralmente não provocam sintomas.

Os efeitos na visão variam de comprometimento leve (embaçamento) até a cegueira completa. O olho pode ficar inflamado e parecer vermelho. A exposição à luz forte pode causar dor. Sem tratamento, a córnea pode se tornar completamente opaca e formar cicatriz, a causa da cegueira. Outras estruturas no olho, incluindo a íris, pupila e retina, podem ser afetadas. O nervo óptico pode ficar inflamado e degenerar.

Se as pessoas ficarem cegas, elas poderão ficar impossibilitadas de trabalhar e prover sua família, e seu período de vida pode sofrer uma diminuição.

Diagnóstico

  • Exame de uma amostra de pele

Geralmente, para diagnosticar oncocercose, uma amostra da pele é retirada e examinada para investigar se há microfilárias. Os médicos usam uma lâmpada de fenda para procurar microfilárias nos olhos.

Podem ser feitos exames de sangue para investigar indícios de infecção, mas nem sempre esses exames são confiáveis ou estão disponíveis.

Os nódulos podem ser removidos e examinados para a presença de vermes adultos, mas esse procedimento é raramente necessário.

Prevenção

Os procedimentos a seguir podem ajudar a reduzir as chances de ser picado por uma mosca negra e, assim, reduzir o risco de oncocercose:

  • Evitar áreas infestadas por mosquitos

  • Usar vestuário de proteção

  • Usar repelentes contra insetos generosamente

A ivermectina administrada uma ou duas vezes ao ano reduz drasticamente o número de microfilárias, evita o desenvolvimento de mais doença e ajuda a controlar a infecção em pessoas que são várias vezes expostas a ela. Essa abordagem comunitária preventiva foi usada em áreas em que a oncocercose é comum.

Tratamento

  • Ivermectina

  • Às vezes, doxiciclina

Para o tratamento de oncocercose, a ivermectina é administrada em dose única por via oral e é repetida a cada seis a doze meses até os sintomas desaparecerem. A ivermectina mata as microfilárias, reduzindo seu número na pele e nos olhos. Ela reduz a produção de microfilárias por vermes adultos por vários meses. Ela não mata vermes adultos, mas doses repetidas podem diminuir a sua fertilidade. Se as pessoas com oncocercose viverem em regiões da África em que o Loa loa é transmitido, os médicos verificam se estão com loíase antes de administrar a ivermectina, pois esta pode causar grave inflamação cerebral (encefalite) em pessoas com loíase.

Às vezes, os médicos também tratam a oncocercose com doxiciclina (um antibiótico), administrado durante seis semanas. A doxiciclina mata as bactérias que vivem dentro dos vermes e que são essenciais para a sobrevivência do verme. Consequentemente, muitas fêmeas de vermes adultos morrem e outras produzem menos ou nenhuma microfilária. Os efeitos colaterais são geralmente leves.

No passado, os nódulos eram removidos cirurgicamente, mas esse tratamento foi substituído pela ivermectina.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS