Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Gangrena gasosa

(Clostridial Myonecrosis)

Por

Larry M. Bush

, MD, FACP, Charles E. Schmidt College of Medicine, Florida Atlantic University

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

A gangrena gasosa é uma infecção do tecido muscular com risco à vida causada principalmente pela bactéria anaeróbia Clostridium perfringens e por várias outras espécies de clostrídios.

  • Pode-se desenvolver gangrena gasosa após certos tipos de cirurgia ou lesões.

  • Bolhas gasosas se formam próximas à área infectada, acompanhadas por febre, frequência cardíaca e respiratória aceleradas e, muitas vezes, dor no local da infecção.

  • Os sintomas sugerem o diagnóstico e são geralmente realizados exames de diagnóstico por imagem ou cultura de uma amostra obtida do tecido infectado.

  • O tratamento envolve altas doses de antibióticos e remoção cirúrgica de tecido morto ou infectado.

A gangrena gasosa é uma infecção do tecido muscular por Clostridium, de rápida propagação, que, se não for tratada, leva rapidamente à morte.

Nos Estados Unidos, ocorrem milhares de casos de gangrena a cada ano.

Os clostrídios se desenvolvem quando não há oxigênio presente. Ou seja, são anaeróbios. Assim, eles se reproduzem bem em tecidos moles que foram gravemente danificados e em feridas que são muito profundas. Esses tecidos têm pouco fluxo sanguíneo e, dessa forma, baixos níveis de oxigênio.

A maioria das infecções dos tecidos moles por clostrídios, incluindo gangrena, é causada por Clostridium perfringens. As infecções dos tecidos moles por clostrídios em geral se desenvolvem horas ou dias após uma lesão, mas, às vezes, levam vários dias para aparecer.

Outras infecções dos tecidos moles por clostrídios podem incluir

  • Infecções cutâneas superficiais (celulite), que podem não ser muito dolorosas

  • Infecções mais profundas no tecido fibroso em torno dos músculos, chamadas fasciite (na fáscia) ou miosite (no músculo), que geralmente são dolorosas

As infecções da pele raramente se espalham e se tornam sérias.

Às vezes, as bactérias nos tecidos moles produzem grandes quantidades de gás como produto residual. Os gases podem formar bolhas nos tecidos. Muitas vezes, a infecção bloqueia os vasos sanguíneos pequenos. Como resultado, o tecido infectado morre, causando gangrena. O tecido morto permite que a infecção por clostrídios se dissemine ainda mais rapidamente. A gangrena tem mais possibilidade de desenvolver-se quando o músculo estiver infectado do que quando somente a pele estiver infectada.

Causas

A gangrena gasosa geralmente se desenvolve depois de lesões ou cirurgias. Lesões de alto risco incluem feridas que

  • São profundas e severas

  • Envolvem o músculo

  • Estão contaminadas com sujeira, matéria vegetal em decomposição ou com fezes

  • Contêm tecido esmagado ou morto

Cirurgias de alto risco incluem

  • Operações no cólon ou na vesícula biliar

Raramente, a gangrena gasosa ocorre quando não há nenhuma lesão ou cirurgia, geralmente em pessoas com câncer de cólon, diverticulite ou uma doença que reduza o fluxo sanguíneo para o intestino ou resulte em vazamentos através da parede do intestino. A gangrena pode se desenvolver quando as bactérias que vivem no intestino vazam para fora. As bactérias podem se disseminar amplamente.

Sintomas

A gangrena gasosa causa dor intensa na área infectada. Inicialmente, a área fica inchada e pálida, depois fica avermelhada, cor de bronze e, finalmente, verde-escura. A área fica firme e sensível ao toque. Formam-se bolhas grandes. Bolhas gasosas podem ser visíveis dentro da bolha maior ou ser sentidas sob a pele, geralmente depois que a infecção progride. Líquidos drenados da ferida têm odor putrificado (fétido).

As pessoas rapidamente ficam febris, suadas e muito ansiosas. Elas podem vomitar. A frequência cardíaca e respiratória muitas vezes se acelera. Em algumas pessoas, a pele fica amarelada, indicando icterícia. Esses efeitos devem-se às toxinas produzidas pelas bactérias.

Normalmente, as pessoas permanecem despertas até um estágio muito avançado da doença, quando então apresentam uma grande queda da pressão arterial (choque) e desenvolve-se o coma. A insuficiência renal e morte seguem rapidamente.

Sem tratamento, a morte ocorre em 100% das pessoas infectadas, geralmente dentro de 48 horas. Mesmo com tratamento, cerca de uma em cada quatro pessoas morre.

Diagnóstico

  • Exame e cultura de líquidos da ferida

  • Às vezes, cirurgia exploratória ou biópsia para obter uma amostra de tecido

A suspeita de gangrena gasosa baseia-se nos sintomas e nos resultados de um exame físico.

São tiradas radiografias para verificar se há bolhas gasosas no tecido muscular, ou é realizada uma tomografia computadorizada (TC) ou imagem por ressonância magnética (RM) para verificar se há áreas de tecido muscular morto. Esses achados apoiam o diagnóstico. Porém, bolhas gasosas podem também ocorrer em outras infecções anaeróbias.

Os líquidos da ferida são examinados ao microscópio para verificar a presença de clostrídios e amostras dele são enviadas a um laboratório onde a bactéria, se presente, pode ser cultivada e testada. As culturas podem confirmar a presença de clostrídios. Porém, nem todas as pessoas com clostrídios têm gangrena gasosa.

A confirmação do diagnóstico frequentemente requer cirurgia exploratória ou retirada de uma amostra de tecido para exame ao microscópio (biópsia) para verificar as alterações características no músculo.

Prevenção

Os médicos fazem o seguinte para prevenir a gangrena gasosa:

  • Limpam as feridas completamente

  • Removem corpos estranhos e tecido morto das feridas

  • Dão antibióticos por via intravenosa antes, durante e depois de cirurgia abdominal para prevenir a infecção

Nenhuma vacina pode evitar infecção por clostrídios.

Tratamento

  • Antibióticos

  • Cirurgia para remoção de todo o tecido morto e infectado

Se houver suspeita de gangrena gasosa, o tratamento deve se iniciar de imediato.

São dadas altas doses de antibióticos, geralmente penicilina e clindamicina e todo o tecido infectado e morto é removido cirurgicamente. Cerca de uma em cada cinco pessoas com gangrena gasosa em um membro requer amputação.

O tratamento em câmara de oxigênio de alta pressão (oxigênio hiperbárico) também pode ajudar, mas essas câmaras nem sempre estão imediatamente disponíveis.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS