Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Vacina contra a varíola

Por

Margot L. Savoy

, MD, MPH, Lewis Katz School of Medicine at Temple University

Última revisão/alteração completa out 2020| Última modificação do conteúdo out 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

Nos Estados Unidos, a vacinação rotineira com a vacina contra varíola foi interrompida em 1972 porque a varíola foi erradicada. Uma vez que os efeitos protetores da vacina desaparecem depois de aproximadamente dez anos, a maioria das pessoas encontra-se, atualmente, suscetível à varíola.

Como amostras do vírus foram armazenadas, algumas pessoas temem que a varíola possa ser usada por terroristas como arma biológica. No entanto, até que ocorra um surto na população, a vacina contra a varíola é recomendada somente para pessoas que tenham um alto risco de exposição, tais como funcionários de laboratórios e de assistência à saúde que trabalham com o vírus da varíola ou materiais relacionados.

Foi preparada uma quantidade suficiente de vacina contra a varíola para vacinar toda a população dos Estados Unidos, se necessário.

A vacina contra a varíola contém o vírus vivo vaccínia, o qual é aparentado ao vírus da varíola e proporciona imunidade contra este.

A vacina é mais eficaz quando administrada antes da exposição. No entanto, a vacina também pode ser benéfica se administrada até quatro dias após a exposição e pode ajudar a prevenir a doença ou limitar sua gravidade.

Para obter mais informações, consulte os Centros de Controle e Prevenção de Doenças) (CDC) Varíola: Declaração de prevenção e tratamento.

Administração

Para administrar a vacina contra varíola, os médicos rapidamente aplicam quinze picadas em uma pequena área com uma agulha especialmente desenhada que foi mergulhada na vacina. Depois o local da vacina é coberto com um curativo para evitar a disseminação do vírus vaccínia para outros locais do corpo ou para outras pessoas.

A vacinação é considerada bem-sucedida se surgirem pequenas bolhas cerca de sete dias depois. Se elas não surgirem, as pessoas recebem outra dose.

A vacinação é perigosa para algumas pessoas, sobretudo aquelas com o sistema imunológico debilitado (como as que têm AIDS ou que tomam medicamentos que suprimem o sistema imunológico), aquelas com afecções na pele (principalmente eczema), aquelas com inflamação ocular e aquelas que estão grávidas.

Efeitos colaterais

Febre, sensação geral de indisposição (mal-estar) e dores musculares são comuns na semana após a vacinação.

Há efeitos colaterais sérios em cerca de 1 em cada 10.000 pessoas não vacinadas anteriormente e a morte ocorre em uma ou duas por milhão.

Mais informações

O seguinte é um recurso em inglês que pode ser útil. Vale ressaltar que O MANUAL não é responsável pelo conteúdo desse recurso.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS