Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Polipeptídeos

Por

Brian J. Werth

, PharmD, University of Washington School of Pharmacy

Última revisão/alteração completa jul 2020| Última modificação do conteúdo jul 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os polipeptídeos compreendem uma classe de antibióticos usados para tratar diversos tipos de infecções. Os polipeptídeos incluem:

  • Bacitracina

  • Colistina

  • Polimixina B

A maioria das bactérias possui uma capa externa (parede celular) que as protege. A bacitracina age impedindo que as bactérias formem essa parede. A colistina e a polimixina B agem rompendo a membrana celular situada abaixo dessa parede em algumas bactérias. Consequentemente, as bactérias morrem.

A bacitracina é usada principalmente para tratar infecções cutâneas superficiais causadas por Staphylococcus aureus. Ela é aplicada diretamente na pele (uso tópico).

A colistina e a polimixina B comumente causam lesão renal; assim, são usadas apenas para infecções graves nas quais as bactérias são resistentes a todos os outros antibióticos e não há alternativas mais seguras disponíveis. Quando a colistina ou a polimixina B é usada, ela é administrada pela veia (via intravenosa). Em alguns casos, a colistina pode ser inalada usando-se um nebulizador.

Tabela
icon

Polypeptides

Medicamento

Usos comuns

Alguns efeitos colaterais

Bacitracina

Colistina

Polimixina B

Infecções dos ouvidos, dos olhos ou da pele

Infecções da bexiga (a polimixina B pode ser usada para irrigação da bexiga)

Infecções sérias causadas por bactérias suscetíveis que são muito resistentes a inúmeros outros antibióticos (colistina e polimixina B administradas por injeção)

Dano ao rim e aos nervos (quando administrada por injeção)*

* Os antibióticos polipeptídeos são geralmente aplicados diretamente nos ouvidos, na pele ou nos olhos, mas a colistina e a polimixina B são às vezes administradas por injeção quando as bactérias são resistentes a todos os outros antibióticos e não há alternativas mais seguras disponíveis. A bacitracina não está disponível para injeção.

Uso de polipeptídeos durante a gravidez e a amamentação

Com bacitracina, considera-se que o risco para o feto durante a gravidez e para o recém-nascido durante a amamentação seja discreto, pois a bacitracina é de uso tópico e há pouca absorção do medicamento pela corrente sanguínea. Sua segurança, contudo, não foi estabelecida. O mesmo é verdadeiro para a polimixina B e a colistina quando são aplicadas de forma tópica.

A polimixina B e a colistina devem ser tomadas por injeção durante a gravidez apenas se os benefícios do tratamento superarem os riscos. Com polimixina B, não foram observados efeitos prejudiciais no feto em estudos com animais; porém, ainda não foram realizados estudos bem definidos em mulheres grávidas. Com colistina, foram observados efeitos prejudiciais no feto em estudos com animais (consulte também Uso de medicamentos durante a gravidez).

Não se sabe se o uso de poliximina B ou colistina por injeção durante a amamentação é seguro (consulte também Utilização de medicamentos durante a amamentação).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS