Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Fatos rápidos

Doença inflamatória pélvica (DIP)

Por

The Manual's Editorial Staff

Última revisão/alteração completa set 2019| Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha os detalhes completos
Recursos do assunto

O que é a doença inflamatória pélvica (DIP)?

A DIP é uma infecção no útero, nos tubos que conectam os ovários ao útero (trompas de Falópio) ou em ambos. A DIP pode também atingir os ovários (as glândulas sexuais onde os óvulos são armazenados) e a corrente sanguínea.

  • A DIP é causada por uma infecção adquirida durante uma relação sexual, chamada de DST (doença sexualmente transmissível)

  • Bactérias (micróbios) da vagina (canal vaginal) entram no útero

  • A mulher tem dor na parte inferior do ventre e, geralmente, secreção vaginal (corrimento espesso que sai da vagina)

  • A DIP pode causar dificuldade para engravidar (infertilidade)

  • A DIP costuma ocorrer em mulheres sexualmente ativas e pode ser muito grave

  • O médico usa antibióticos para tratar a DIP

O que causa a DIP?

A DIP é causada por bactérias da vagina. A mulher adquire essas bactérias quando tem relações sexuais com um parceiro que tem uma DST. Geralmente, a DST é gonorreia ou clamídia. Às vezes, o parceiro não tem nenhum sintoma, mas mesmo assim pode transmitir a DST à mulher.

Quais são os sintomas da DIP?

Os sintomas costumam ocorrer no final da menstruação ou durante alguns dias após a menstruação ter acabado. A DIP pode ser grave, mas mesmo assim não causar sintoma algum ou apenas sintomas leves.

Sintomas da DIP no estágio inicial

Sintomas da DIP no estágio avançado

  • Dor intensa na parte inferior do ventre

  • Febre (geralmente abaixo de 38,9° C, mas pode ser mais alta)

  • Enjoo e vômitos

  • Secreção vaginal de cor amarelo-esverdeada ou aspecto purulento

  • Dor durante a relação sexual ou ao urinar

A DIP pode causar outros problemas?

Sim. A infecção na DIP pode se disseminar no interior do ventre e ao redor do fígado. Às vezes, uma bolsa de pus (abscesso) se forma nas trompas de Falópio.

A DIP pode causar a formação de tecido cicatricial nas trompas de Falópio. Esse tecido cicatricial pode impedir que a mulher engravide. Se houver formação de tecido cicatricial dentro do ventre (adesões), o intestino pode ficar preso no tecido cicatricial e sofrer uma torção que faz com que ele fique bloqueado (obstrução intestinal).

Além disso, se a mulher tiver DIP e engravidar, ela tem mais propensão de ter uma gravidez ectópica. Na gravidez ectópica, o bebê se desenvolve fora do útero. Se o bebê estiver se desenvolvendo dentro de uma das trompas de Falópio em vez de no útero, após algumas semanas de crescimento, o bebê causa uma ruptura da trompa. O bebê morre, e haverá um sangramento tão intenso na trompa que a mulher pode morrer também.

Como o médico sabe que a mulher está com DIP?

O médico faz perguntas e geralmente realiza um exame pélvico. Durante o exame pélvico, o médico olha dentro da vagina e utiliza um pequeno instrumento chamado espéculo para mantê-la aberta. É possível que o médico:

  • Colete uma amostra do líquido no colo do útero usando um cotonete para examiná-la quanto à presença de gonorreia e clamídia

  • Solicite exames de sangue

Se o médico acredita que a mulher pode ter um abscesso ou uma gravidez na trompa de Falópio, geralmente ele realiza um exame de ultrassom.

De que maneira o médico trata a DIP?

Uma vez que as DSTs (gonorreia e a clamídia) são as causas mais prováveis da DIP, o médico receita antibióticos para tratar essas DSTs. Geralmente, uma única injeção é administrada e, depois, a mulher toma antibióticos por via oral em casa por várias semanas. Se a mulher não começar a se sentir melhor no prazo de 48 horas, é possível que ela precise ser internada no hospital. A mulher possivelmente será internada imediatamente no hospital se ela:

  • Tiver sintomas graves ou febre alta

  • Tiver um abscesso nas trompas de Falópio

  • Estiver vomitando e não consegue tomar medicamentos por via oral

Se a mulher estiver tomando medicamentos para tratar a DIP, ela não pode ter relações sexuais até que os dois critérios a seguir tenham sido atendidos:

  • Ela terminou de tomar todo o medicamento

  • O médico declarou que a infecção se resolveu

Enquanto ela estiver tomando o medicamento, a mulher deve pedir a seus parceiros sexuais recentes que façam exames para gonorreia e clamídia.

Como é possível prevenir a DIP?

Nem sempre é possível evitar a DIP, mas para reduzir o risco de apresentá-la, a mulher deve:

  • Ter relações sexuais com apenas um parceiro

  • Utilizar preservativos e espermicidas durante a relação sexual

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS