Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Abscesso pulmonar

Por

Sanjay Sethi

, MD, University at Buffalo SUNY

Última revisão/alteração completa mar 2020| Última modificação do conteúdo mar 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

Um abscesso pulmonar é uma cavidade com pus no pulmão, rodeada por tecido inflamado e causada por uma infecção.

  • Um abscesso pulmonar geralmente é causado por bactérias que normalmente vivem na boca e são inaladas até os pulmões.

  • Os sintomas incluem fadiga, perda de apetite, suores noturnos, febre, perda de peso e tosse com expectoração.

  • O diagnóstico geralmente é determinado com uma radiografia torácica.

  • As pessoas geralmente precisam tomar antibióticos por várias semanas até que o abscesso pulmonar desapareça.

Causas

Um abscesso pulmonar costuma ser causado por bactérias que normalmente colonizam a boca ou a garganta e são inaladas (aspiradas) para o interior dos pulmões, resultando em uma infecção. Muitas vezes, uma doença na gengiva (periodontal) é a fonte das bactérias que causam um abscesso pulmonar.

O corpo tem muitas defesas (como a tosse) para ajudar a impedir que as bactérias cheguem aos pulmões. A infecção ocorre principalmente quando a pessoa está inconsciente ou muito sonolenta por causa de sedação, anestesia, uso de álcool ou drogas ou por causa de alguma doença no sistema nervoso sendo, portanto, menos capaz de tossir para eliminar as bactérias aspiradas.

Em pessoas com sistema imunológico deficiente, um abscesso pulmonar pode ser causado por organismos que não são normalmente encontrados na boca ou garganta, como fungos ou Mycobacterium tuberculosis (o organismo que causa a tuberculose). Outras bactérias que podem causar abscessos pulmonares são estreptococos e estafilococos, incluindo Staphylococcus aureus resistentes à meticilina (methicillin-resistant Staphylococcus aureus, MRSA), que é uma infecção grave.

O bloqueio (obstrução) das vias aéreas também pode levar à formação de abscessos. Se os ramos da traqueia (brônquios) forem bloqueados por um tumor ou um corpo estranho, pode-se formar um abscesso porque as secreções (muco) podem se acumular por trás da obstrução. Algumas vezes, bactérias entram nessas secreções. A obstrução impede que as secreções carregadas de bactérias sejam tossidas e expelidas pelas vias aéreas.

Com menor frequência, abscessos ocorrem quando bactérias ou coágulos sanguíneos infectados se deslocam através da corrente sanguínea até o pulmão a partir de outro local infectado no corpo (embolia pulmonar séptica).

Normalmente, as pessoas desenvolvem apenas um abscesso pulmonar em consequência de aspiração ou obstrução das vias aéreas. Se vários abscessos se desenvolverem, eles geralmente surgirão no mesmo pulmão. Quando uma infecção atinge os pulmões através da corrente sanguínea, no entanto, podem se desenvolver vários abscessos disseminados em ambos os pulmões. Esse problema é mais comum entre pessoas que usam drogas injetáveis com agulhas sujas ou métodos sem esterilização.

Finalmente, a maioria dos abscessos sofre ruptura em uma das vias aéreas, produzindo uma grande quantidade de escarro que é expelido pela tosse. Um abscesso rompido deixa uma cavidade no pulmão, que é preenchida por líquido e ar. Algumas vezes, um abscesso se rompe drenando para dentro do espaço entre os pulmões e a parede torácica (espaço pleural), enchendo o espaço com pus, uma condição conhecida como empiema. Muito raramente, se um abscesso destruir a parede de um vaso sanguíneo, pode haver uma hemorragia grave.

Sintomas

Normalmente, os sintomas surgem lentamente. No entanto, dependendo da causa do abscesso, os sintomas podem ocorrer repentinamente. Os sintomas iniciais incluem

  • Fadiga

  • Perda de apetite

  • Sudorese durante a noite

  • Febre

  • Tosse com expectoração

O escarro pode ter mau cheiro (pois as bactérias que vêm da boca ou da garganta tendem a produzir odores desagradáveis) ou filetes de sangue. As pessoas também podem sentir dor torácica ao respirar, especialmente se o revestimento no exterior dos pulmões e interior da parede torácica (pleura) estiver inflamado. Muitas pessoas apresentam esses sintomas por semanas ou meses antes de procurarem atendimento médico. Essas pessoas têm abscessos crônicos e, além de outros sintomas, perdem uma quantidade substancial de peso e apresentam febre e suores noturnos diariamente. Por outro lado, abscessos pulmonares causados por Staphylococcus aureus ou MRSA podem ser fatais em poucos dias, às vezes em horas.

Diagnóstico

  • Radiografias do tórax

  • Às vezes, tomografia computadorizada (TC) torácica

As radiografias torácicas quase sempre revelam um abscesso pulmonar como uma cavidade cheia de líquido e ar. No entanto, na radiografia, um abscesso pulmonar pode parecer com outros quadros clínicos, como câncer ou sarcoidose. Às vezes, o abscesso só é encontrado quando é feita uma TC torácica.

Os médicos podem colher uma amostra do escarro e tentar cultivar (cultura) o organismo causador do abscesso, mas esse teste geralmente não é útil, exceto para descartar certos organismos.

Uma broncoscopia pode ser feita para obter amostras de secreções pulmonares ou tecidos para cultura se, por exemplo,

  • Antibióticos não parecerem ser eficazes

  • Houver suspeita de obstrução das vias aéreas (por exemplo, obstrução de um brônquio por um tumor)

  • O sistema imunológico da pessoa estiver comprometido

Se o sistema imunológico estiver comprometido, organismos que, em geral, não causam abscessos pulmonares, podem estar causando o abscesso. Organismos incomuns devem ser identificados o quanto antes, porque seu tratamento é diferente do tratamento dos organismos que costumam causar abscessos pulmonares.

Tratamento

  • Antibióticos

O tratamento requer antibióticos. Na maioria dos casos, os antibióticos são inicialmente administrados pela veia (por via intravenosa - IV) e, em seguida, por via oral após melhora do quadro clínico da pessoa e desaparecimento da febre. O tratamento com antibióticos continua até os sintomas desaparecerem e uma radiografia do tórax indicar que o abscesso desapareceu. Em geral, essa melhora requer três a seis semanas de tratamento com antibióticos, mas um tratamento mais prolongado pode ser necessário.

Quando houver suspeita de o abscesso ser o resultado de um tumor ou um corpo estranho obstruindo uma via aérea, às vezes uma broncoscopia é usada como tratamento, como na remoção de um corpo estranho.

Ocasionalmente, um abscesso que não responde a antibióticos ou um empiema que precisa ser drenado através de um tubo inserido através da parede torácica. O tubo pode ser colocado com o uso de broncoscopia ou inserido por cirurgia. Raramente, pode ser necessário remover tecido pulmonar infectado cirurgicamente. Algumas vezes, um lobo inteiro de um pulmão, ou mesmo um pulmão inteiro, tem de ser removido.

A maioria das pessoas é curada. O tratamento é menos propenso a ser bem-sucedido quando a pessoa está debilitada ou tem o sistema imunológico comprometido ou quando um brônquio é obstruído por um tumor.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

PRINCIPAIS