Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Sobrecarga de ferro secundária

(Secondary Hemochromatosis)

Por

James Peter Adam Hamilton

, MD, Johns Hopkins University School of Medicine

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

A sobrecarga de ferro secundária ocorre quando o ferro se acumula no organismo porque as pessoas ingerem suplementos de ferro em demasia, recebem grande número de transfusões de sangue ou têm um distúrbio no qual não conseguem formar glóbulos vermelhos de maneira eficiente.

  • As pessoas com frequência se sentem fracas e cansadas.

  • O diagnóstico ocorre com exames de sangue para medir os níveis de ferro.

  • O tratamento é feito geralmente com fármacos que se ligam ao e removem o ferro do corpo (quelação).

Complicações graves são menos prováveis do que nas pessoas com hemocromatose, um distúrbio genético que causa sobrecarga de ferro. (Consulte também Considerações gerais sobre a sobrecarga de ferro). Contudo, algumas pessoas desenvolvem complicações que envolvem o coração, o fígado e órgãos endócrinos.

Causas

A sobrecarga de ferro secundária normalmente ocorre em pessoas com distúrbios que prejudicam a produção de glóbulos vermelhos, tais como:

Em tais distúrbios, às vezes, o organismo eleva a quantidade de ferro que absorve. Contudo, o organismo nem sempre pode usar todo o ferro devido à dificuldade de produzir novos glóbulos vermelhos. Em tais casos, pode ocorrer sobrecarga de ferro.

O ferro pode se acumular no organismo quando as pessoas ingerem ferro demais a partir de:

  • Terapia à base de ferro administrada em quantidades excessivas ou por muito tempo

Homens e mulheres após a menopausa geralmente não precisam tomar suplementos de ferro. Caso ingiram suplementos, podem desenvolver excesso de ferro no corpo, ainda que geralmente não o suficiente para causar perigo.

Sintomas

As pessoas com sobrecarga de ferro leve em geral não apresentam sintomas. Outras se sentem fracas ou fadigadas. A sobrecarga de ferro grave causa os mesmos sintomas que os da hemocromatose:

Diagnóstico

  • Exames de sangue

A sobrecarga de ferro secundária é diagnosticada por exames que medem os níveis sanguíneos de:

  • Ferro

  • Ferritina, uma proteína que armazena ferro

  • Transferrina, a proteína que transporta o ferro no sangue quando o ferro não se encontra dentro dos glóbulos vermelhos

Tratamento

  • Remoção do sangue ou quelação

A meta do tratamento é reduzir o teor de ferro do corpo. No caso de algumas pessoas, o tratamento é a remoção de sangue (flebotomia). Contudo, muitas pessoas com sobrecarga de ferro secundária também têm anemia. Uma vez que a flebotomia piora a anemia, essas pessoas recebem terapia quelante.

A quelação de ferro pode ser administrada por via oral usando-se deferasirox ou deferiprona ou por uma infusão de deferoxamina, a qual pode ser administrada sob a pele (via subcutânea) ou em uma veia (via intravenosa). Às vezes, deferasirox e deferiprona podem ser administrados juntos.

Medicamentos quelantes de ferro administrados por via oral são muito eficazes em baixar os níveis de ferro no corpo. Os efeitos colaterais da quelação oral incluem dores abdominais, diarreia e erupções cutâneas. O tratamento às vezes causa danos ao fígado e aos rins. Assim, são realizados exames de sangue periodicamente para monitorar o funcionamento desses órgãos.

A infusão de deferoxamina para quelação de ferro é geralmente administrada durante a noite. Os efeitos colaterais incluem indigestão, pressão arterial baixa e reação alérgica grave (anafilaxia). Às vezes, as pessoas sofrem perda da audição e da visão com o uso prolongado.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS