Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre o linfoma

Por

Thomas E. Witzig

, MD, Mayo Medical School

Última revisão/alteração completa mai 2018| Última modificação do conteúdo jun 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os linfomas são cânceres de linfócitos, que residem no sistema linfático e nos órgãos produtores de sangue.

Os linfomas são cânceres de um tipo específico de glóbulos brancos conhecidos como linfócitos. Essas células ajudam a combater infecções. Podem se desenvolver linfomas a partir de linfócitos B ou T. Os linfócitos T são importantes na regulação do sistema imunológico e no combate a infecções virais. Os linfócitos B produzem anticorpos.

Os linfócitos se movem por todas as partes do corpo através da corrente sanguínea e através de uma rede de canais tubulares chamados vasos linfáticos. Espalhados por toda a rede de vasos linfáticos estão os linfonodos, que abrigam aglomerados de linfócitos. Os linfócitos que se tornam cancerosos (células de linfoma) podem permanecer confinados a um só linfonodo ou podem se espalhar para a medula óssea, o sangue, o baço ou praticamente qualquer outro órgão.

Os dois principais tipos de linfoma são

Os linfomas não Hodgkin são mais comuns que os linfomas de Hodgkin. Linfoma de Burkitt e o linfoma cutâneo de células T (LCCT) são subtipos do linfoma de Hodgkin.

Sistema linfático: ajuda a proteger contra as infecções

O sistema linfático constitui uma parte vital do sistema imunológico, juntamente com o timo, a medula óssea, o baço, as amígdalas, o apêndice e as placas de Peyer no intestino delgado.

O sistema linfático consiste de uma rede de gânglios linfáticos que se encontram ligados pelos vasos linfáticos. Este sistema transporta a linfa por todo o organismo.

A linfa é composta por um fluido que penetra os tecidos do organismo através das paredes finas dos capilares. Este fluido contém oxigênio, proteínas, e outros nutrientes que nutrem os tecidos. Uma parte deste fluido volta a entrar nos capilares e outra parte entra nos vasos linfáticos (tornando-se a linfa). Pequenos vasos linfáticos se conectam a vasos maiores acabando por formar o canal torácico. O canal torácico é o maior vaso linfático. Junta-se à veia subclávia e assim devolve a linfa na corrente sanguínea.

A linfa também transporta, para eliminação, substâncias estranhas (como bactérias), células cancerígenas e células mortas ou danificadas que podem estar presentes nos tecidos dentro dos vasos linfáticos e nos órgãos linfáticos. A linfa contém muitos glóbulos brancos.

Todas as substâncias transportadas pela linfa passam por pelo menos um gânglio linfático, onde as substâncias estranhas podem ser filtradas e destruídas antes dos fluidos serem devolvidos na corrente sanguínea. Nos linfonodos, os glóbulos brancos podem se reunir, interagir uns com os outros e com os antígenos e gerar respostas imunológicas às substâncias estranhas. Os linfonodos contêm uma rede de tecidos repletos de células B, células T, células dendríticas e macrófagos. Os micro-organismos prejudiciais são filtrados por esta rede e, então, identificados e atacados pelas células B e pelas células T.

Os linfonodos costumam agrupar-se em zonas em que os vasos linfáticos se ramificam, como o pescoço, as axilas e as virilhas.

Sistema linfático: ajuda a proteger contra as infecções

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Linfoma não Hodgkin
Vídeo
Linfoma não Hodgkin
O sistema linfático é parte do sistema imunológico do corpo, responsável por manter o corpo...
Considerações gerais sobre o sangue
Vídeo
Considerações gerais sobre o sangue

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS