Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Veias varicosas

Por

James D. Douketis

, MD, McMaster University

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

As veias varicosas são veias superficiais das pernas anormalmente dilatadas.

  • Elas podem doer, provocar coceiras ou sensação de cansaço.

  • Os médicos podem detectar veias varicosas examinando a pele.

  • Cirurgia ou o tratamento com injeções podem remover as veias varicosas, mas é comum que novas veias varicosas se formem.

A causa precisa das veias varicosas é desconhecida, mas o principal problema provavelmente é a debilidade nas paredes das veias superficiais (localizadas logo abaixo da pele). Essa debilidade pode ser hereditária. Ao longo do tempo, a debilidade faz com que as veias percam sua elasticidade. As veias se esticam e se tornam mais compridas e largas. Para que possam se acomodar no mesmo espaço que ocupavam quando eram normais, as veias alargadas ficam mais sinuosas. Elas podem surgir como uma protuberância em forma de serpente sob a pele.

A incidência de veias varicosas é maior em mulheres do que em homens e podem surgir pela primeira vez durante a gravidez. Além disso, os seguintes fatores podem contribuir para o desenvolvimento de veias varicosas em pessoas com predisposição:

  • Ficar em pé por tempo prolongado

  • Obesidade

  • O aumento da idade

Mais importante do que o alongamento é o alargamento das veias que faz com que as abas da válvula (cúspides) se separem. Quando a pessoa está em pé, o sangue é puxado para trás pela força da gravidade e não é parado porque as cúspides da válvula estão separadas. Assim, há um refluxo do sangue que rapidamente preenche as veias e faz com que as veias de paredes finas e contorcidas aumentem ainda mais. Algumas das veias comunicantes, que normalmente permitem que o sangue flua apenas das veias superficiais para as veias profundas, também ficam mais largas. Devido ao alargamento, suas cúspides valvares também se separaram. Como consequência, o sangue retorna para as veias superficiais quando os músculos comprimem as veias profundas e ocorre uma distensão adicional das veias superficiais.

Muitas pessoas com veias varicosas também têm aranhas vasculares, que são capilares dilatados.

Válvulas em veias varicosas

Em uma veia normal, as cúspides das válvulas se fecham para impedir o fluxo retrógrado de sangue. Já na veia varicosa, as cúspides não conseguem se fechar porque ela está anormalmente alargada. Consequentemente, o sangue flui na direção errada.

Válvulas em veias varicosas

Sintomas

Além de terem má aparência, as veias varicosas provocam dor e sensação de cansaço nas pernas. No entanto, muitas pessoas, até mesmo algumas com veias bastante aumentadas, não sentem nenhuma dor.

Pode haver prurido na parte inferior da perna e no tornozelo, especialmente quando a perna está aquecida após o uso de meias ou meia-calça. O prurido pode causar arranhões e vermelhidão ou erupção cutânea, que muitas vezes é atribuída à pele seca erroneamente. A dor, às vezes, é pior quando as veias varicosas estão se desenvolvendo do que quando estão totalmente distendidas.

Apenas uma pequena porcentagem das pessoas com veias varicosas têm complicações, como dermatite, trombose venosa superficial e inflamação das veias (flebite) ou sangramento. Pessoas com veias varicosas também podem desenvolver insuficiência venosa crônica.

A flebite pode ocorrer espontaneamente ou resultar de uma lesão. Embora geralmente dolorosa, a flebite que ocorre em veias varicosas raramente é prejudicial.

A dermatite provoca uma erupção avermelhada, escamosa e pruriginosa ou uma área acastanhada, geralmente na parte interna da perna, acima do tornozelo. Um arranhão ou uma lesão pequena, em particular resultante de depilação, podem sangrar ou desenvolver uma úlcera dolorida que não cicatriza. Úlceras também podem sangrar.

Diagnóstico

  • Avaliação do médico

Geralmente é possível ver as veias varicosas projetando-se sob a pele, principalmente quando as pessoas estão de pé.

As veias varicosas podem ser identificadas por ultrassonografia, mas geralmente ela não é feita, a menos que os médicos considerem que também possa haver mau funcionamento das veias profundas (consulte Insuficiência venosa crônica e síndrome pós-flebite). A disfunção das veias profundas é sugerida por alterações da pele ou por edema nos tornozelos. Os tornozelos incham porque há acúmulo de líquido no tecido sob a pele, um quadro clínico chamado edema. As veias varicosas isoladamente não causam edema.

Tratamento

  • Meias de compressão

  • Às vezes, injeção ou terapia a laser

  • Algumas vezes, cirurgia

Embora veias varicosas individuais possam ser removidas ou eliminadas por cirurgia ou terapia de injeção, o distúrbio não pode ser curado. Assim, o tratamento principalmente alivia os sintomas, melhora a aparência e evita complicações. A elevação das pernas — em posição deitada ou utilizando um apoio para as pernas em posição sentada — alivia os sintomas, mas não evita que se formem novas veias varicosas. Em geral, as veias varicosas que aparecem durante a gravidez melhoram consideravelmente de duas a três semanas após o parto. Durante esse período, elas não devem ser tratadas.

As meias elásticas comprimem as veias e evitam seu estiramento e formação de feridas. As pessoas que não desejam se submeter a cirurgia ou terapia de injeção ou que apresentam um quadro clínico que as impeça de realizarem esses tratamentos podem optar por usar meias elásticas.

Terapia com injeção (escleroterapia)

A terapia com injeção sela as veias para que o sangue não possa mais passar por elas. Uma solução, como tetradecilsulfato de sódio, é injetada na veia afetada para causar irritação e produzir um coágulo de sangue (trombo). Basicamente, esse processo produz uma espécie inofensiva de trombose venosa superficial. A cicatrização do coágulo de sangue leva à formação de tecido cicatricial que obstrui a veia. No entanto, o coágulo de sangue pode se dissolver em vez de formar tecido cicatricial e a veia varicosa então reabre-se. Além disso, com frequência surgem novas veias varicosas.

As técnicas atuais de escleroterapia também usam faixas especiais que diminuem o tamanho do coágulo de sangue comprimindo o diâmetro da veia tratada. É mais provável que um coágulo de sangue menor forme tecido cicatricial, como desejado. Outra vantagem dessa técnica é que a compressão adequada virtualmente elimina a dor que geralmente acompanha irritação da veia causada pela técnica.

Embora a escleroterapia exija mais tempo que a cirurgia, tem muitas vantagens:

  • Não é necessário anestesia.

  • As novas veias varicosas podem ser tratadas à medida que surgirem.

  • As pessoas podem realizar suas atividades diárias normais entre os tratamentos.

Tratamento a laser

A terapia com laser também é usada no tratamento de veias varicosas. Essa terapia utiliza uma corrente contínua de luz de alta intensidade concentrada para cortar ou destruir o tecido. O tratamento com laser, às vezes, é usado quando uma pessoa deseja uma melhora estética.

Cirurgia (retirada das veias)

Já não se usa mais cirurgia como tratamento de rotina para veias varicosas. Quando é feita, a intervenção cirúrgica tem como objetivo extrair a maior quantidade possível de veias varicosas. Entretanto, os cirurgiões procuram preservar a veia safena. Esta é a veia superficial mais longa do corpo: ela se estende do tornozelo até a virilha, onde se liga com a veia femoral (a principal veia profunda da perna). Os cirurgiões procuram preservar a veia safena porque ela pode ser usada para procedimentos de revascularização em caso de desenvolvimento de bloqueios nos vasos cardíacos ou de outros vasos principais do coração. Se for necessária a remoção da veia safena, efetua-se um procedimento designado fleboextração. O cirurgião faz duas incisões, uma na virilha e outra no tornozelo, e abre a veia em ambas as extremidades. Um fio flexível é introduzido ao longo de toda a veia e, em seguida, puxado para removê-la.

Para retirar outras veias varicosas, o cirurgião faz incisões em outros locais. Como as veias superficiais desempenham uma função menos significativa do que as veias profundas no retorno do sangue ao coração, sua remoção não afeta a circulação se as veias profundas estiverem funcionando normalmente.

A remoção de veias varicosas é um procedimento demorado, então, a pessoa geralmente recebe uma anestesia geral. Essa técnica alivia os sintomas e previne complicações, mas deixa cicatrizes. Quanto mais extensa for a intervenção, mais tempo decorre até que apareçam novas veias varicosas. No entanto, a extração de veias varicosas não elimina a tendência do desenvolvimento de novas veias varicosas.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Compreenda a regurgitação valvar mitral
Vídeo
Compreenda a regurgitação valvar mitral
Uma válvula mitral normal, à esquerda, regula o fluxo de sangue do átrio para o ventrículo...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Cateterismo da artéria pulmonar
Modelo 3D
Cateterismo da artéria pulmonar

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS