Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Teste eletrofisiológico

Por

Michael J. Shea

, MD, Michigan Medicine at the University of Michigan ;


Thomas Cascino

, MD, MSc, University of Michigan

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O teste eletrofisiológico é utilizado para avaliar anormalidades graves no ritmo ou na condução elétrica do coração (consulte Considerações gerais sobre arritmias cardíacas).

Em pessoas com uma arritmia já documentada ou com suspeita elevada de arritmia, o médico provoca intencionalmente um ritmo cardíaco anormal durante os testes para descobrir se um determinado medicamento pode interromper a perturbação ou se uma cirurgia seria útil para eliminar as conexões elétricas anormais dentro do coração. Se necessário, o médico pode restaurar rapidamente o ritmo normal com um breve choque elétrico no coração (cardioversão). Embora o teste eletrofisiológico seja um procedimento invasivo, o que torna necessário o uso de anestesia, o procedimento é muito seguro: O risco de morte é de um caso em 5.000 pessoas. Esse procedimento demora geralmente entre uma e duas horas.

Como é feito o teste eletrofisiológico

O teste é feito no hospital. Depois de injetar um anestésico local, o médico introduz um cateter com eletrodos muito pequenos em sua ponta através de uma punção com agulha em uma veia na virilha, no braço ou no pescoço. O cateter é introduzido através dos vasos sanguíneos de grande porte até as câmaras do coração com uso de fluoroscopia (um procedimento de radiografia contínua) para orientação. O cateter é usado para registrar o eletrocardiograma (ECG) dentro do coração e para identificar a localização exata das vias de condução elétrica.

Às vezes, durante o procedimento, é feita uma ablação por radiofrequência que usa calor gerado pelas ondas de rádio para destruir quaisquer conexões elétricas anormais no coração e evitar que pessoa tenha mais arritmias, sem a necessidade de tratamento medicamentoso contínuo.

A crioablação é semelhante à ablação por radiofrequência, mas usa congelamento em vez de calor para destruir quaisquer conexões elétricas anormais.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Doença arterial periférica
Vídeo
Doença arterial periférica
O sistema cardiovascular inclui o coração, vasos sanguíneos e sangue. O sangue tem muitas...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrilação Atrial
Modelo 3D
Fibrilação Atrial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS