Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre aneurismas aórticos e dissecção aórtica

Por

Mark A. Farber

, MD, FACS, University of North Carolina;


Thaniyyah S. Ahmad

, MD, MPH, University of North Carolina

Última revisão/alteração completa mai 2019| Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A aorta, que tem cerca de 2,5 cm de diâmetro, é a maior artéria do corpo. Ela recebe sangue rico em oxigênio do ventrículo esquerdo e o distribui para todo o corpo, exceto para os pulmões (que recebem sangue do ventrículo direito). Logo após a sua saída do coração, a aorta se ramifica em artérias menores que transportam sangue para a cabeça e para os braços. Então, ela se curva para baixo e se ramifica em artérias menores adicionais ao longo de seu trajeto do ventrículo esquerdo até a parte inferior do abdômen, na parte superior do osso do quadril (pelve). Neste ponto, a aorta se ramifica nas duas artérias ilíacas, que fornecem sangue às pernas.

Os distúrbios da aorta incluem

  • Aneurismas: protuberâncias em áreas debilitadas das paredes da aorta

  • Dissecção: separação das camadas da parede da aorta

Esses distúrbios podem causar morte imediata, porém, geralmente demoram vários anos para se desenvolverem.

Os aneurismas também podem surgir em outras artérias do tronco, dos braços e das pernas (o que é conhecido como doenças periféricas), como as artérias atrás do joelho (artérias poplíteas) e as artérias principais das coxas (artérias femorais). Também podem surgir aneurismas nas artérias que irrigam a cabeça (artérias carótidas), nas artérias que irrigam o cérebro (artérias cerebrais) e nas artérias que irrigam o músculo cardíaco (artérias coronarianas).

A ruptura de um aneurisma no cérebro pode provocar hemorragia subaracnoide.

Aneurismas aórticos

  • A pressão do sangue dentro da artéria faz com que qualquer região debilitada na parede da artéria forme uma protuberância com aparência de balão em seu exterior.

  • Se não forem tratados, os aneurismas podem se romper e provocar dor e hemorragia interna.

Localização

Os aneurismas podem se desenvolver em qualquer local ao longo da aorta. Três quartos dos aneurismas aórticos se desenvolvem no segmento que passa pelo abdômen (aorta abdominal) e os restantes ocorrem no segmento que passa pelo tórax (aorta torácica).

Em idosos, é mais provável que os aneurismas surjam nos locais onde as artérias se ramificam (por exemplo, onde a aorta abdominal se ramifica nas artérias ilíacas) ou nas zonas de tensão (por exemplo, na artéria poplítea). Os aneurismas podem ser redondos (saculares) ou tubulares (fusiformes). A maioria deles são fusiformes.

Onde ocorrem os aneurismas aórticos?

Os aneurismas podem se desenvolver em qualquer local ao longo da aorta. A maior parte se desenvolve na aorta abdominal. Os demais surgem na aorta torácica, especialmente na aorta ascendente.

Onde ocorrem os aneurismas aórticos?

Causas

A causa mais comum de aneurismas aórticos é

Causas menos comuns incluem

  • Lesões na aorta, mais frequentemente devido a um acidente com veículo a motor

  • Doenças inflamatórias da aorta (aortite)

  • Distúrbios hereditários do tecido conjuntivo, tais como síndrome de Marfan

  • Algumas doenças infecciosas, como sífilis

Em pessoas com síndrome de Marfan, é mais provável que se desenvolva um aneurisma no primeiro segmento da aorta, quando ela emerge do coração (a aorta ascendente). Em idosos, quase todos os aneurismas ocorrem em pessoas com aterosclerose. A hipertensão arterial, frequente em idosos, e o tabagismo aumentam o risco de formação de um aneurisma.

Complicações

As consequências dependem do tamanho da ruptura. Uma ruptura grande pode ser fatal rapidamente, já uma ruptura pequena (também denominada vazamento) pode causar sintomas de alerta que permitem que as pessoas procurem ajuda médica.

É frequente a formação de um coágulo sanguíneo (trombo) no aneurisma, pois o fluxo sanguíneo em seu interior é lento. O coágulo pode se estender ao longo de toda a parede do aneurisma. Um coágulo sanguíneo pode se desprender (convertendo-se em um êmbolo), viajar pela corrente sanguínea e obstruir artérias. Aneurismas nas artérias poplíteas estão mais propensos a formarem êmbolos do que aneurismas em outras artérias. Ocasionalmente, forma-se um depósito gradual de cálcio na parede de um aneurisma, facilitando a sua observação em radiografias.

Dissecção aórtica

A dissecção aórtica ocorre quando o revestimento interno da aorta se separa (rompe) de sua camada intermediária, permitindo que o sangue penetre entre essas camadas, separando (dissecando) a camada intermediária da parede externa, ainda intacta. Como resultado, um novo canal falso se forma na parede da aorta. Praticamente todas as pessoas que têm uma dissecção aórtica sentem dor — tipicamente uma dor súbita e extrema, muitas vezes descrita como dilacerante. Com o avanço da dissecção ao longo da aorta, ela pode fechar os pontos em que uma ou mais artérias se ramificam a partir da aorta, bloqueando o fluxo de sangue. As consequências variam de acordo com as artérias obstruídas.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Valvuloplastia mitral
Vídeo
Valvuloplastia mitral
O coração é um músculo pulsante que bombeia sangue para todo o corpo. No interior do coração...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Pulso arterial
Modelo 3D
Pulso arterial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS