Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Dor abdominal aguda

Por

Norton J. Greenberger

, MD, Brigham and Women's Hospital

Última revisão/alteração completa mai 2018| Última modificação do conteúdo mai 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A dor abdominal é comum e, geralmente, pouco importante. Dores abdominais graves que surgem rapidamente, porém, quase sempre indicam um problema significativo. A dor pode ser o único sinal da necessidade de cirurgia e deve ser gerenciada rapidamente. A dor abdominal representa uma preocupação particular para pessoas que são muito jovens ou idosas, bem como para aquelas com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) ou que estão utilizando medicamentos que suprimem o sistema imunológico. Adultos mais velhos podem sofrer menos de dores abdominais do que os mais jovens com um distúrbio similar e, mesmo que o quadro clínico seja sério, a dor pode se desenvolver mais gradualmente. Dores abdominais também afetam crianças, incluindo recém-nascidos e bebês, que não podem comunicar o motivo de seu incômodo.

Tipos de dores abdominais

Há diferentes tipos de dores abdominais, dependendo das estruturas envolvidas.

A dor visceral é uma dor originada nos órgãos dentro da cavidade abdominal (que se chamam vísceras). Os nervos das vísceras não respondem a cortes, lacerações ou inflamações. Por outro lado, os nervos respondem ao órgão aumentando de tamanho (como quando o intestino se expande pela presença de gás) ou quando os músculos ao redor se contraem. A dor visceral é geralmente vaga, inerte e causa náuseas. Ela é difícil de identificar. A dor abdominal superior resulta de distúrbios em órgãos como o estômago, duodeno, fígado e pâncreas. A dor abdominal intermediária (próxima ao umbigo) resulta de distúrbios de estruturas como o intestino delgado, a parte superior do cólon e o apêndice. A dor abdominal inferior resulta de distúrbios da parte inferior do cólon e dos órgãos no trato geniturinário.

A dor somática surge da membrana (peritônio) que reveste a cavidade abdominal (cavidade peritoneal). Ao contrário dos nervos nos órgãos viscerais, os nervos no peritônio respondem a cortes e irritação (como sangue, infecção, produtos químicos ou inflamação). A dor somática é aguda e relativamente fácil de ser identificada.

Dor referida é aquela dor percebida longe de sua origem ( O que é a dor referida?). Exemplos de dor referida incluem dor na virilha causada por cálculos renais e dor no ombro causada por presença de sangue ou infecção provocando irritação do diafragma.

O que é a dor referida?

A dor sentida numa área do corpo nem sempre representa exatamente o local do problema pois a dor pode ser referida de outra área do corpo. Por exemplo, a dor provocada por um infarto do miocárdio pode parecer originária do braço, visto que as informações sensoriais do coração e do braço convergem nas mesmas células nervosas da medula espinhal.

O que é a dor referida?

Peritonite

A peritonite é a inflamação da cavidade peritoneal. Ela é muito dolorida e quase sempre indica um distúrbio muito sério ou de risco à vida. Ela pode resultar de qualquer problema abdominal no qual os órgãos estão inflamados ou infeccionados. Exemplos comuns incluem apendicite, diverticulite e pancreatite. Igualmente, sangue e líquidos corporais (como conteúdo intestinal ou urina) causam muita irritação quando passam para a cavidade peritoneal, podendo causar peritonite. Os distúrbios que causam o vazamento de sangue ou líquidos corporais incluem ruptura espontânea de órgãos (como um intestino perfurado ou ruptura de gravidez ectópica) e ferimentos abdominais graves. A pessoa que tem líquido na cavidade peritoneal (o que é denominado ascite) corre o risco de desenvolver uma infecção. Esse tipo de infecção é denominado peritonite bacteriana espontânea.

Quando a peritonite estiver presente por várias horas, a inflamação faz com que líquidos vazem para a cavidade abdominal. A pessoa pode ficar desidratada e entrar em choque. Substâncias inflamatórias liberadas na corrente sanguínea podem afetar vários órgãos, causando inflamação grave dos pulmões, insuficiência renal, insuficiência hepática e outros problemas. Sem tratamento, a pessoa pode morrer.

Causas

A dor pode ter origem em muitas causas, como infecção, inflamação, úlceras, perfuração ou ruptura de órgãos, contrações musculares descoordenadas, bloqueio devido a uma obstrução ou bloqueio do fluxo sanguíneo aos órgãos.

Distúrbios de risco imediato à vida, que exigem diagnóstico e cirurgia rapidamente, incluem

  • Ruptura de aneurisma aórtico abdominal

  • Estômago ou intestino perfurado

  • Bloqueio do fluxo sanguíneo ao intestino (isquemia mesentérica)

  • Ruptura de gravidez ectópica

Distúrbios sérios e quase tão urgentes incluem

Às vezes, distúrbios fora do abdômen também causam dores abdominais. Exemplos incluem ataque cardíaco, pneumonia e torção dos testículos (torção testicular). Problemas menos comuns fora do abdômen que causam dor abdominal incluem cetoacidose diabética, porfiria, anemia falciforme e certas picadas e venenos (como picada da aranha viúva negra, intoxicação por metais pesados ou metanol e picadas de alguns escorpiões).

Dores abdominais em recém-nascidos, bebês e crianças pequenas têm numerosas causas, não encontradas em adultos ( Dor abdominal em recém-nascidos, bebês e crianças pequenas).

Tabela
icon

Dor abdominal em recém-nascidos, bebês e crianças pequenas

Causa da dor

Descrição

Comentários

Peritonite meconial

Inflamação e, às vezes, infecção da cavidade abdominal e de seu revestimento (peritonite), causada por uma perfuração no intestino e vazamento de mecônio (o material fecal de cor verde escura, produzido no intestino antes do nascimento)

Ocorre enquanto os bebês ainda estão no útero ou logo após o nascimento

Bloqueio na saída do estômago (duodeno)

Vômito violento (projétil) ocorrendo após alimentação

Geralmente começa entre o nascimento e quatro meses de idade

Finas membranas que crescem pela parte interior do terço superior do esôfago, a partir de seu revestimento (mucosa)

Dificuldade em engolir sólidos

Vólvulo

Torção de uma alça do intestino

Causa obstrução intestinal e corta o suprimento de sangue para o intestino

Comumente, vômito, diarreia, inchaço abdominal e choros episódicos e excessivos (cólica)

Imperfuração anal (atresia anal)

Estreitamento ou bloqueio da abertura anal

Normalmente detectada por médicos quando os bebês são examinados após o nascimento e geralmente requer cirurgia imediata

Condensação e sobreposição (telescópica) de uma porção do intestino dentro de outra

Causa obstrução intestinal e corta o fornecimento de sangue para o intestino

Causa dor súbita, vômito, fezes sanguinolentas e febre

Normalmente, afeta crianças entre as idades de seis meses a dois anos

Uma obstrução que interrompe completamente ou prejudica seriamente a passagem do conteúdo intestinal

Comumente causada por deficiência congênita, mecônio ou vólvulo em recém-nascidos e bebês

Vários sintomas, dependendo do tipo da obstrução, mas pode incluir dor de cólica no abdômen, distensão abdominal, desinteresse em comer, vômito, constipação grave, diarreia e febre

Avaliação

As informações a seguir podem ajudar as pessoas a decidir quando a avaliação médica é necessária e a saber o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Em pessoas com dores abdominais agudas, certos sintomas e características são motivo de preocupação. Incluem

  • Dor forte

  • Sinais de choque (por exemplo, frequência cardíaca acelerada, baixa pressão arterial, sudorese e confusão)

  • Sinais de peritonite (por exemplo, dor constante que faz a pessoa se curvar e/ou dor que piora com toque suave ou quando há contato com a cama)

  • Inchaço do abdômen

Quando consultar um médico

As pessoas que apresentam sinais de alerta devem ser levadas ao hospital imediatamente. As pessoas que não apresentam sinais de alerta devem consultar um médico no mesmo dia.

O que o médico faz

Os médicos fazem perguntas sobre os sintomas da pessoa e o histórico clínico e fazem um exame físico. O que os médicos encontram durante a avaliação do histórico e o exame físico os ajuda a decidir quais exames devem ser feitos e se de fato são necessários. Os médicos seguem o mesmo processo, mesmo se estiverem avaliando dor leve ou aguda, embora um cirurgião possa ser envolvido logo na avaliação da dor abdominal grave.

Ao avaliarem o histórico clínico ( Histórico em pessoas com dor abdominal aguda), os médicos perguntam sobre a localização ( Causas da dor abdominal por localização) e as características da dor, se a pessoa já teve sintomas parecidos no passado e quais outros sintomas a pessoa apresenta além de dor abdominal. Sintomas como azia, náusea, vômito, diarreia, constipação, icterícia, sangue nas fezes ou na urina, tosse com sangue e perda de peso ajudam a orientar a avaliação do médico. O médico pergunta sobre medicamentos tomados, incluindo aqueles com receita médica e entorpecentes, bem como álcool.

Os médicos perguntam sobre quadros clínicos conhecidos e cirurgias abdominais anteriores. Pergunta-se às mulheres se estão ou poderiam estar grávidas.

Ao conduzirem um exame físico, os médicos primeiro observam a aparência geral da pessoa. Uma pessoa aparentando estar confortável raramente tem um problema sério, ao contrário de quem está ansioso, pálido, suando ou com dor óbvia. O foco do exame é o abdômen, e os médicos inspecionam, dão leves batidas e pressionam (um processo chamado de palpação) a área abdominal. Geralmente, eles examinam o reto e a pelve (nas mulheres) para localizar sensibilidade, massas e sangue.

Os médicos tocam suavemente todo o abdômen para detectar áreas de sensibilidade em particular, assim como a ocorrência de defesa, rigidez, recuo e presença de massa. Ocorre defesa quando a pessoa contrai os músculos abdominais involuntariamente quando o médico toca o abdômen. A rigidez é quando os músculos abdominais ficam contraídos firmemente, mesmo quando o médico não os toca. O recuo é quando a pessoa se encolhe de dor quando a mão do médico é retirada abruptamente. Defesa, rigidez e recuo são sinais de peritonite.

Tabela
icon

Histórico em pessoas com dor abdominal aguda

Perguntas feitas pelos médicos

Possíveis respostas

Possíveis causas ou fontes

Onde dói?

Como é a dor?

Ondas de dor aguda que “dão falta de ar”

Cólica renal ou biliar (episódios de dor intensa nos rins ou vesícula biliar)

Ondas de dor leve com vômito

Dor de cólica que se torna constante

Obstrução intestinal estranguladora (uma obstrução que bloqueia o fornecimento de sangue para o intestino)

Isquemia mesentérica (bloqueio do fluxo sanguíneo em parte do intestino devido a um coágulo sanguíneo ou acúmulo de materiais gordurosos em uma artéria)

Dor aguda e constante que piora com o movimento

Dor dilacerante

Dissecção aórtica (uma laceração na camada interna da aorta)

Dor leve

Infecção renal

Você já teve antes?

Sim

Problemas recorrentes, como úlcera, cálculos biliares, diverticulite ou mittelschmerz (dor durante a ovulação, geralmente no meio do ciclo menstrual)

A dor começou subitamente?

Súbita (“como acender uma lâmpada”)

Ruptura de alguns aneurismas

Menos súbita

Provavelmente outras causas

Qual é a intensidade da dor?

Dor forte

Uma dilaceração (perfuração) em um órgão

Dor aguda, mas um exame físico comparativamente normal

A dor passa para alguma outra parte de seu corpo?

Dor na omoplata direita

Dor na vesícula biliar

Região do ombro esquerdo

Osso púbico ou vagina

Dor renal

Costas

Ruptura de aneurisma aórtico

Às vezes, úlcera perfurada

O que alivia a dor?

Antiácidos

Deitar-se e ficar o mais imóvel possível

Quais outros sintomas ocorrem junto com a dor?

Vômito que ocorre antes da dor, que é seguida por diarreia

Vômito retardado, sem defecação e nem evacuação de gases (flatulência)

Obstrução intestinal súbita (aguda)

Vômito grave que antecede dor intensa na região central superior do abdômen, na região esquerda do tórax ou no ombro

Causas da dor abdominal por localização

Causas da dor abdominal por localização

Exames

Algumas vezes, as pessoas apresentam achados tão significativos que os médicos percebem de imediato que elas precisam de cirurgia. Os médicos evitam tardar em realizar a cirurgia nessas pessoas conduzindo exames. Entretanto, mais frequentemente, os médicos devem realizar exames para ajudar a selecionar entre as diversas causas diferentes sugeridas pelos sintomas e resultados do exame físico da pessoa. Os médicos escolhem os exames com base em suas suspeitas.

  • Todas as garotas e mulheres férteis fazem o exame de gravidez por urina

  • Exames de diagnóstico por imagem com base em diagnóstico suspeito

Um exame de tomografia computadorizada (TC) abdominal ajuda a identificar muitas causas da dor abdominal, mas não todas. Exames de urina (por exemplo, urinálise) são realizados com frequência para procurar sinais de infecção urinária ou cálculos renais. Geralmente, são feitos exames de sangue, mas estes raramente identificam uma causa específica (embora possam ser usados para diagnosticar pancreatite). Uma ultrassonografia é útil se o médico suspeitar de um distúrbio ginecológico.

Tratamento

A causa específica da dor é tratada. Até recentemente, os médicos não achavam conveniente receitar analgésicos para pessoas com dor abdominal aguda até obterem um diagnóstico, pois o analgésico poderia mascarar sintomas importantes. Entretanto, analgésicos são receitados frequentemente agora, enquanto os exames estão em andamento.

Pontos-chave

  • Os médicos procuram primeiro por todas as causas da dor de risco à vida.

  • Os médicos excluem a gravidez em garotas e mulheres férteis.

  • Exames de sangue raramente identificam uma causa específica de dor abdominal aguda.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre a doença celíaca
Vídeo
Considerações gerais sobre a doença celíaca
Modelos 3D
Visualizar tudo
Hemorroidas
Modelo 3D
Hemorroidas

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS