Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Hemorragia gastrointestinal

(Hemorragia GI)

Por

Parswa Ansari

, MD, Hofstra Northwell-Lenox Hill Hospital, New York

Última revisão/alteração completa abr 2021| Última modificação do conteúdo abr 2021
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Hemorragia pode ocorrer em qualquer região do trato digestivo (gastrointestinal [GI]), da boca ao ânus. O sangue pode ser facilmente visto a olho nu (exposto) ou ocorrer em quantidades muito pequenas para ser visível (oculto). O sangue oculto é detectado apenas por meio do exame de uma amostra de fezes com substâncias químicas especiais Exame de sangue oculto nas fezes O sangramento no sistema digestivo pode ser causado por algo insignificante, como uma leve irritação, ou grave, como um câncer. Substâncias químicas podem ser utilizadas para detectar uma quantidade... leia mais .

Hematêmese é um termo que significa que há sangue visível no vômito (hematêmese), o que indica que a hemorragia provém do aparelho digestivo superior, normalmente do esôfago, estômago ou da primeira parte do intestino delgado. Quando se vomita sangue, este pode apresentar um tom vermelho vivo se a hemorragia for ativa e contínua. Alternativamente, o sangue vomitado também pode ter aspecto de borra de café. Ele resulta de hemorragia que diminuiu ou parou, e o sangue se parece com borra de café porque foi parcialmente digerido pelo ácido no estômago.

É possível que o sangue também seja expelido do reto:

  • Na forma de fezes negras e escuras (melena)

  • Na forma de sangue vermelho vivo (hematoquezia)

  • Em fezes que aparentemente estão normais se a quantidade de sangue for inferior a algumas colheres de chá por dia

A ocorrência de melena é mais provável quando a hemorragia tem origem no esôfago, estômago ou intestino delgado. A cor negra da melena resulta do sangue exposto aos ácidos e às enzimas do estômago por várias horas e das bactérias que se alojam normalmente no intestino grosso. A melena pode continuar por vários dias depois de a hemorragia cessar.

A ocorrência de hematoquezia é mais provável quando a hemorragia tem origem no intestino grosso, embora também possa ser decorrente de uma hemorragia muito rápida originada nas regiões superiores do trato digestivo.

A pessoa que perdeu apenas uma pequena quantidade de sangue pode se sentir bem no demais. Porém, a perda considerável e súbita de sangue pode ser acompanhada de pulso acelerado, pressão arterial baixa e redução do fluxo urinário. A pessoa também pode apresentar as mãos e pés frios e úmidos. A hemorragia grave pode reduzir o fluxo de sangue para o cérebro, causando confusão, desorientação, sonolência e até mesmo pressão arterial extremamente baixa (choque Choque O choque é um quadro clínico com risco à vida, em que o fluxo sanguíneo é baixo, diminuindo o fornecimento de oxigênio e causando danos a esses órgãos e, às vezes, morte. A pressão arterial... leia mais ). A perda lenta e crônica de sangue pode causar sinais e sintomas de baixa contagem sanguínea (anemia Considerações gerais sobre a anemia Anemia é um quadro clínico em que o número de glóbulos vermelhos é baixo. Os glóbulos vermelhos contêm hemoglobina, uma proteína que lhes permite transportar oxigênio dos pulmões para todas... leia mais ), tais como fraqueza, cansaço fácil, palidez, dor torácica e tontura. É possível que pessoas com doença cardíaca isquêmica de base venham a desenvolver dor torácica (angina) ou um ataque cardíaco (infarto do miocárdio) devido ao menor fluxo de sangue para o coração

Causas da hemorragia gastrointestinal

Existem três classes de causas de hemorragia digestiva:

  • Trato digestivo superior

  • Trato digestivo inferior

  • Intestino delgado

As causas mais comuns são de difícil especificação, pois variam conforme a área da hemorragia e a idade da pessoa.

Entretanto, em geral, as causas mais comuns de hemorragia digestiva alta são

As causas mais comuns de hemorragia digestiva baixa são

Pessoas com doença hepática Considerações gerais sobre a doença hepática A doença hepática pode manifestar-se de formas muito diversas. As manifestações características incluem Icterícia (cor amarelada da pele e da parte branca dos olhos) Colestase (diminuição ou... leia mais crônica (causada por transtorno por uso de álcool ou hepatite crônica), que têm distúrbios de coagulação sanguínea hereditários Distúrbios de coagulação hereditários incomuns Hemofilia é o distúrbio de coagulação hereditário mais comum (consulte também Considerações gerais sobre os distúrbios de coagulação sanguínea). A hemofilia envolve uma deficiência hereditária... leia mais ou que estão tomando determinados medicamentos são mais propensas a ter sangramento por qualquer causa e, possivelmente, mais grave. A doença hepática aumenta a probabilidade de sangramento, pois quando o fígado funciona mal, produz uma quantidade menor de proteínas que ajudam o sangue a coagular (fatores de coagulação do sangue Fatores de coagulação sanguínea Hemostase é a maneira como o corpo faz com que vasos sanguíneos lesionados parem de sangrar. Ela inclui a coagulação do sangue. Muito pouca coagulação pode fazer uma pequena lesão sangrar excessivamente... leia mais ). Medicamentos que podem causar ou piorar a hemorragia incluem anticoagulantes (por exemplo, a heparina, a varfarina, a dabigatrana, a apixabana, a rivaroxabana e a edoxabana), medicamentos que afetam a função plaquetária (por exemplo, a aspirina e determinados medicamentos anti-inflamatórios não esteroides [AINEs] e o clopidogrel) e medicamentos que afetam a barreira de proteção do estômago contra ácidos (por exemplo, os AINEs).

Avaliação da hemorragia gastrointestinal

A hemorragia digestiva geralmente requer avaliação por um médico. As seguintes informações podem ajudar as pessoas a decidirem se a avaliação médica é necessária e a saberem o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Em pessoas com hemorragia digestiva, certos sintomas e características são motivo de preocupação. Incluem

Quando consultar um médico

A pessoa com hemorragia digestiva deve consultar um médico imediatamente, a menos que o único sinal de hemorragia seja a presença de sangue no papel higiênico após a defecação. Se a pessoa com tais achados não tiver sinais de alerta e se sentir bem no demais, esperar um ou dois dias não é prejudicial.

O que o médico faz

Primeiro, os médicos fazem perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, o médico faz um exame físico. O que ele encontra durante a avaliação do histórico e o exame físico geralmente sugere uma causa para a hemorragia digestiva, além dos exames que podem ser necessários ( Algumas causas e características da hemorragia gastrointestinal Algumas causas e características da hemorragia gastrointestinal Hemorragia pode ocorrer em qualquer região do trato digestivo (gastrointestinal [GI]), da boca ao ânus. O sangue pode ser facilmente visto a olho nu (exposto) ou ocorrer em quantidades muito... leia mais Algumas causas e características da hemorragia gastrointestinal ).

O histórico enfoca a identificação de qual é a fonte da hemorragia, bem como sua velocidade e causa. O médico precisa saber quanto sangue foi perdido (por exemplo, algumas colheres de chá ou vários coágulos) e com qual frequência ocorre perda de sangue. É perguntado à pessoa com hematêmese se havia sangue quando ela vomitou pela primeira vez ou somente após ela ter vomitado algumas vezes sem sangue.

O médico pergunta à pessoa com hemorragia retal se houve evacuação de sangue puro, se o sangue estava misturado com fezes, pus ou muco ou se o sangue apenas estava cobrindo as fezes. Pergunta-se à pessoa com diarreia sanguinolenta se ela fez viagens recentes ou sobre outras possíveis formas de exposição a outros agentes que podem causar doenças do trato digestivo (por exemplo, intoxicação alimentar).

Em seguida, o médico pergunta sobre sintomas de desconforto abdominal, perda de peso, se a pessoa tem hemorragias ou hematomas facilmente, além de sintomas de anemia (por exemplo, fraqueza, cansaço fácil [propensão à fadiga] e tontura).

O médico precisa ser informado sobre qualquer hemorragia, anterior ou atual, no trato digestivo, bem como dos resultados das colonoscopias já realizadas (exame completo do intestino grosso, reto e ânus, usando-se um tubo flexível para visualização). A pessoa deve informar ao médico se ela tem doença inflamatória intestinal Considerações gerais sobre a doença intestinal inflamatória (DII) Na doença intestinal inflamatória, o intestino fica inflamado, geralmente causando dor abdominal e diarreia recorrentes. Os dois principais tipos de doença intestinal inflamatória (DII) são... leia mais , tendência a hemorragias ou doença hepática, bem como se está utilizando algum medicamento que aumente a propensão a hemorragias (por exemplo, aspirina, AINEs ou anticoagulantes) ou que possa causar doença hepática crônica (por exemplo, álcool).

O exame físico enfoca os sinais vitais da pessoa (como pulso, respiração, pressão arterial e temperatura) e outros indicadores de choque ou redução no volume de sangue em circulação (hipovolemia — frequência cardíaca acelerada, respiração ofegante, palidez, sudorese, pouca produção de urina e confusão) e anemia.

O médico também procura pequenas manchas de coloração vermelho arroxeado (petéquias) parecidas com hematomas (equimoses) na pele, que são sinais de distúrbios hemorrágicos. O médico também procura sinais de doença hepática crônica (por exemplo, angiomas de aranha, líquido na cavidade abdominal [ascite Ascite A ascite consiste em um acúmulo de líquido (ascítico) que contém proteínas dentro do abdômen. Muitos distúrbios podem causar ascite, mas o mais comum é o aumento da pressão arterial nas veias... leia mais ] e palmas avermelhadas) e hipertensão portal Hipertensão portal A hipertensão portal é definida como um aumento anormal da pressão sanguínea na veia porta (a veia de grande calibre que transporta o sangue do intestino ao fígado) e suas ramificações. A cirrose... leia mais (por exemplo, aumento do tamanho do baço e dilatação das veias da parede abdominal).

Tabela
icon

Exames

A necessidade dos testes depende do que os médicos encontrarem na anamnese e no exame físico, particularmente se estiverem presentes sinais de alerta.

Há quatro principais abordagens com respeito aos exames para hemorragia digestiva:

  • Exames de sangue e outros exames laboratoriais

  • Endoscopia digestiva alta para hemorragia do trato GI superior

  • Colonoscopia para hemorragia do trato GI inferior (a menos que claramente causada por hemorroidas)

  • Angiografia, se a hemorragia for rápida ou grave

A contagem de plaquetas sanguíneas da pessoa ajuda a indicar quanto sangue foi perdido. Uma contagem baixa de plaquetas é um fator de risco para hemorragia. Outros exames de sangue incluem tempo de protrombina (TP), tempo de tromboplastina parcial (TTP) e exames do fígado, que ajudam, todos, a detectar problemas com a coagulação sanguínea. O médico geralmente não faz exames de sangue em pessoas com hemorragias menores causadas por hemorroidas.

Se a pessoa vomitou sangue ou material escuro (que pode representar sangue parcialmente digerido), às vezes, o médico passa um pequeno tubo plástico oco pelo nariz da pessoa até o estômago (tubo nasogástrico – Intubação do trato digestivo Intubação do trato digestivo A intubação do trato digestivo é o processo de passagem de um tubo de plástico flexível pequeno (sonda nasogástrica) através do nariz ou boca até o estômago ou intestino delgado. Esse procedimento... leia mais Intubação do trato digestivo ) e suga o conteúdo para fora do estômago. Conteúdo sanguinolento ou rosado indica hemorragia digestiva alta ativa e material escuro ou como borra de café indica que a hemorragia diminuiu ou parou. Às vezes, não há sinal de sangue, mesmo caso a pessoa tenha sangrado bem recentemente. Um tubo nasogástrico pode ser inserido em qualquer pessoa que não vomitou, mas que perdeu uma grande quantidade de sangue pelo reto (caso a origem não seja uma hemorroida óbvia), pois o sangue pode ter se originado no trato digestivo superior.

Se o tubo nasogástrico revelar sinais de hemorragia ativa, ou se os sintomas da pessoa sugerirem que a hemorragia tem origem no trato digestivo superior, o médico normalmente realiza uma endoscopia digestiva alta. A endoscopia Endoscopia A endoscopia é um exame das estruturas internas através de um tubo flexível para visualização (endoscópio). A endoscopia também pode ser utilizada para tratar vários distúrbios porque o médico... leia mais digestiva alta é um exame visual do esôfago, estômago e do primeiro segmento do intestino delgado (duodeno) usando-se um tubo flexível chamado endoscópio. Uma endoscopia digestiva alta permite que o médico visualize a fonte da hemorragia e que, frequentemente, a trate; geralmente, é realizada sem a inserção de um tubo nasogástrico.

É possível que a pessoa com sintomas característicos de hemorroidas precise apenas de uma sigmoidoscopia (exame da parte inferior do intestino grosso, reto e ânus que utiliza um endoscópio). Todas as demais pessoas com hematoquezia devem se submeter a uma colonoscopia (exame de todo o intestino grosso, reto e ânus usando-se um endoscópio).

Ocasionalmente, a endoscopia (superior e inferior) e a colonoscopia não indicam a causa da hemorragia. Há ainda outras opções para encontrar a fonte da hemorragia. É possível que o médico faça uma endoscopia do intestino delgado (enteroscopia). Se a hemorragia for rápida ou grave, o médico às vezes faz uma angiografia Angiografia Na angiografia, raios X são usados para produzir imagens detalhadas dos vasos sanguíneos. Algumas vezes, é chamada de angiografia convencional para diferenciá-la da angiografia por tomografia... leia mais . Durante a angiografia, o médico usa um cateter para injetar um meio de contraste numa artéria, que pode ser visto em radiografias. A angiografia ajuda o médico a diagnosticar hemorragias no trato digestivo superior e permite que ele realize determinados tratamentos (por exemplo, embolização e infusão vasoconstritora — Estancamento de hemorragias Estancamento de hemorragias Hemorragia pode ocorrer em qualquer região do trato digestivo (gastrointestinal [GI]), da boca ao ânus. O sangue pode ser facilmente visto a olho nu (exposto) ou ocorrer em quantidades muito... leia mais Estancamento de hemorragias ). O médico também pode injetar hemácias com marcadores radioativos na pessoa (exame de medicina nuclear Cintilografia Na cintilografia são utilizados radionuclídeos para produzir imagens. Um radionuclídeo é uma forma radioativa de um elemento, o que significa que ele é um átomo instável que se torna mais estável... leia mais ). Com o uso de uma câmera especial para a varredura, o marcador radioativo pode, às vezes, indicar a localização aproximada da hemorragia. Antes de fazer uma angiografia ou cirurgia, é possível que o médico faça também um exame denominado angiotomografia Angio-TC Na tomografia computadorizada (TC), que antigamente era chamada de tomografia axial computadorizada (TAC), uma fonte de raios X e um detector de raios X giram em torno da pessoa. Nos aparelhos... leia mais Angio-TC . Durante esse procedimento, um tipo de exame de imagem denominado tomografia computadorizada (TC) e um meio de contraste radiopaco são utilizados para gerar imagens dos vasos sanguíneos e, às vezes, consegue mostrar a localização da hemorragia.

O médico pode fazer uma série de radiografias detalhadas do intestino delgado. Outra opção é o exame de cápsula endoscópica Exame de cápsula endoscópica O exame de cápsula endoscópica (endoscopia sem fio) é um procedimento em que a pessoa ingere uma cápsula alimentada por bateria. A cápsula contém uma ou duas pequenas câmeras, uma luz e um transmissor... leia mais , na qual a pessoa engole uma pequena câmera que fotografa o intestino enquanto passa por ele. O exame de cápsula endoscópica é especialmente útil no intestino delgado, mas não é muito útil no cólon nem no estômago, pois esses órgãos são visualizados com mais facilidade utilizando a endoscopia.

Tratamento da hemorragia gastrointestinal

Há duas metas para tratar a pessoa com hemorragia digestiva:

  • Substituir o sangue perdido por líquidos injetados na veia (via intravenosa) e, às vezes, realizar uma transfusão de sangue

  • Estancar qualquer hemorragia em andamento

A hematêmese, hematoquezia ou melena devem ser tratadas como emergência. Pessoas com hemorragia digestiva grave devem ser admitidas em uma unidade de terapia intensiva Tipos de unidades O paciente que precisa de tipos específicos de cuidado pode ser colocado em unidades de cuidados especiais. As unidades de terapia intensiva (UTI) são para pacientes que estão gravemente doentes... leia mais (UTI) ou em outras unidades onde podem ser monitoradas de perto e devem ser examinadas por um gastroenterologista e um cirurgião.

Reposição de líquidos e de sangue

Estancamento de hemorragias

A maioria das hemorragias digestivas cessa sem tratamento. Às vezes, porém, isso não acontece. O tipo e a localização da hemorragia dizem ao médico qual tratamento aplicar. Por exemplo, o médico pode, com frequência, estancar uma hemorragia de úlcera péptica durante uma endoscopia usando um dispositivo que aplica uma corrente elétrica para produzir calor (eletrocauterização), sondas de aquecimento ou injeções de determinados medicamentos. Se a endoscopia não estancar a hemorragia, pode ser necessário realizar uma cirurgia.

No caso de varizes esofágicas Varizes esofágicas Varizes esofágicas são veias dilatadas no esôfago que podem causar uma hemorragia importante. Varizes esofágicas são causadas por hipertensão arterial nos vasos sanguíneos no fígado e ao redor... leia mais Varizes esofágicas (veias alargadas no esôfago), o médico tenta estancar a hemorragia através de bandagem endoscópica, escleroterapia por injeção, colocação de um tubo com balões para comprimir as varizes ou realiza um procedimento de derivação portossistêmica intra-hepática transjugular Tratamento A hipertensão portal é definida como um aumento anormal da pressão sanguínea na veia porta (a veia de grande calibre que transporta o sangue do intestino ao fígado) e suas ramificações. A cirrose... leia mais . Às vezes, a pessoa com varizes esofágicas recebe injeções do medicamento octreotida para ajudar a estancar a hemorragia. É possível também que antibióticos sejam administrados.

O médico às vezes consegue controlar hemorragias digestivas baixas graves e contínuas causadas por divertículos ou angiodisplasias durante uma colonoscopia com o auxílio de grampos, um dispositivo de eletrocauterização, coagulação com uma sonda de aquecimento ou por meio de injeção de noradrenalina. Pólipos podem ser removidos através de um laço de arame ou eletrocauterização. Se esses métodos não funcionarem ou forem impossíveis, o médico realiza uma angiografia Exames Hemorragia pode ocorrer em qualquer região do trato digestivo (gastrointestinal [GI]), da boca ao ânus. O sangue pode ser facilmente visto a olho nu (exposto) ou ocorrer em quantidades muito... leia mais Exames , durante a qual passa um cateter pelo vaso com hemorragia e, então, injeta fragmentos químicos de uma esponja gelatinosa ou uma mola de arame para bloquear o vaso sanguíneo e, assim, interromper a hemorragia (embolização) ou injeta vasopressina para reduzir o fluxo sanguíneo para o vaso com hemorragia. É possível que a pessoa com hemorragia contínua venha a precisar de cirurgia e, por isso, é importante que o médico conheça o local da hemorragia.

O médico pode administrar um inibidor da bomba de prótons (IBP) pela veia (por via intravenosa) a pessoas com hemorragia digestiva alta para ajudar a controlar a hemorragia.

A hemorragia de hemorroidas internas para espontaneamente, na maioria dos casos. No caso de pessoas com hemorragia que não cessa sem tratamento, o médico realiza uma anuscopia e pode colocar ligaduras de borracha ao redor das hemorroidas, injetar substâncias que estancam a hemorragia, bem como realizar uma eletrocauterização ou cirurgia (consulte tratamento de hemorroidas Tratamento As hemorroidas são vasos dilatados e tortuosos situados na parede da parte inferior do reto e ânus. Os vasos incham devido ao aumento da pressão. Nódulos se formam dentro ou fora do ânus, o... leia mais Tratamento ).

Informações essenciais para idosos

Em idosos, as hemorroidas Hemorroidas As hemorroidas são vasos dilatados e tortuosos situados na parede da parte inferior do reto e ânus. Os vasos incham devido ao aumento da pressão. Nódulos se formam dentro ou fora do ânus, o... leia mais Hemorroidas e o câncer colorretal Câncer colorretal O histórico familiar e alguns fatores alimentares (dieta pobre em fibras e com alto teor de gordura) aumentam o risco de a pessoa desenvolver câncer colorretal. Os sintomas característicos incluem... leia mais Câncer colorretal são as causas mais frequentes de hemorragia menor. Úlceras pépticas Úlcera péptica A úlcera péptica é uma úlcera de forma redonda ou oval na qual o revestimento do estômago ou duodeno foi corroído pelo ácido gástrico e sucos digestivos. Úlceras pépticas podem resultar de infecções... leia mais Úlcera péptica , doença diverticular Definição de doença diverticular A doença diverticular é caracterizada por pequenas bolsas em formato de balão (divertículos) que se projetam através das camadas de estruturas específicas do trato gastrointestinal (digestivo)... leia mais (como a diverticulite) e vasos sanguíneos anormais (angiodisplasia) são as causas mais comuns de hemorragias intensas. O sangramento das veias expandidas no esôfago (varizes esofágicas Varizes esofágicas Varizes esofágicas são veias dilatadas no esôfago que podem causar uma hemorragia importante. Varizes esofágicas são causadas por hipertensão arterial nos vasos sanguíneos no fígado e ao redor... leia mais Varizes esofágicas ) é menos comum do que em pessoas mais jovens.

Pessoas mais velhas toleram mal hemorragias digestivas abundantes. O médico deve diagnosticar pessoas idosas rapidamente e o tratamento deve começar antes do que em pessoas mais jovens, que conseguem tolerar melhor episódios recorrentes de hemorragia.

Pontos-chave sobre a hemorragia gastrointestinal

  • A hemorragia retal pode resultar de hemorragia digestiva baixa ou alta.

  • A hemorragia cessa espontaneamente na maioria das pessoas.

  • A endoscopia normalmente é a primeira opção de tratamento para pessoas com hemorragia que não cessa sem tratamento.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
OUTROS TÓPICOS NESTE CAPÍTULO
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Teste os seus conhecimentos
Colite induzida por Clostridium difficile
A colite induzida por Clostridium difficile é uma inflamação do intestino grosso que resulta em diarreia. A inflamação é causada pela infecção por certas bactérias. Qual das seguintes é a causa usual do crescimento dessas bactérias no intestino?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS