Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Transtorno de personalidade esquizoide

Por

Andrew Skodol

, MD, University of Arizona College of Medicine

Última revisão/alteração completa jan 2020| Última modificação do conteúdo jan 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos

O transtorno de personalidade esquizoide é caracterizado por um padrão generalizado de distanciamento e desinteresse geral nos relacionamentos sociais e expressão limitada de emoções nos relacionamentos.

  • A pessoa com transtorno de personalidade esquizoide parece não ter nenhum interesse em ter relacionamentos íntimos com outras pessoas e prefere ficar sozinha.

  • O médico diagnostica o transtorno de personalidade esquizoide tomando por base sintomas específicos, incluindo distanciamento e desinteresse geral nos relacionamentos sociais e expressão limitada de emoções.

  • Terapia cognitivo-comportamental que dá enfoque à aquisição de habilidades sociais pode ajudar a pessoa com esse transtorno a mudar.

Os transtornos de personalidade são padrões persistentes e generalizados no modo de pensar, perceber, reagir e se relacionar que causam sofrimento significativo à pessoa e/ou prejudicam sua capacidade funcional.

A pessoa com transtorno de personalidade esquizoide tem dificuldade de se relacionar com os outros de maneira significativa.

O transtorno de personalidade esquizoide ocorre em aproximadamente 3% a 5% da população geral dos Estados Unidos. Ele ocorre com um pouco mais de frequência em homens.

Com frequência, outros transtornos ocorrem concomitantemente. Até metade das pessoas com transtorno de personalidade esquizoide teve no mínimo um episódio de depressão maior. Elas muitas vezes também têm outros transtornos de personalidade. As mais comuns são

Causas

Acredita-se que fatores genéticos desempenham uma função no desenvolvimento do transtorno de personalidade esquizoide. Esse transtorno pode ser mais comum em pessoas com familiares com esquizofrenia ou transtorno de personalidade esquizoide.

Ter cuidadores que eram emocionalmente insensíveis, negligentes e distantes durante a infância pode contribuir para o desenvolvimento do transtorno de personalidade esquizoide. Ter esse tipo de cuidador pode reforçar a sensação na criança de que relacionamentos com outras pessoas não são gratificantes.

Sintomas

Distanciamento dos outros

A pessoa com transtorno de personalidade esquizoide parece não ter nenhum desejo de manter relacionamentos íntimos com outras pessoas, incluindo parentes. Ela não tem amigos íntimos ou confidentes, exceto às vezes um parente de primeiro grau (um dos pais ou irmãos). Ela raramente namora e com frequência não se casa. Uma vez que a pessoa prefere estar só, ela tende a escolher atividades e passatempos que não exigem interação com os outros (por exemplo, jogos de computador).

A atividade sexual com os outros é de pouco, se algum, interesse para ela. Ela também parece desfrutar menos de experiências sensoriais e corporais (por exemplo, uma caminhada na praia).

A pessoa com transtorno de personalidade esquizoide não parece se incomodar com o que os outros pensam sobre ela, seja bom ou ruim. A pessoa pode parecer indiferente ou narcisista. Ela não percebe indícios normais da interação social e, com isso, pode parecer socialmente inepta.

Expressão limitada de emoções

A pessoa com transtorno de personalidade esquizoide raramente reage (por exemplo, sorrindo ou gesticulando) ou demonstra emoção em situações sociais. Ela tem dificuldade de expressar raiva, mesmo quando é provocada. Ela não reage adequadamente a acontecimentos importantes da vida e pode parecer passiva em resposta a mudanças nas circunstâncias. Assim, ela pode parecer não ter direcionamento na vida.

Em casos raros, quando essa pessoa se sente à vontade em se expor, ela admite que sofre, sobretudo durante as interações sociais.

Persistência dos sintomas

Os sintomas do transtorno de personalidade esquizoide tendem a permanecer estáveis ao longo do tempo, mais que qualquer outro transtorno de personalidade.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico com base em critérios específicos

Normalmente, o médico diagnostica os transtornos de personalidade tomando por base os critérios no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), Quinta Edição (DSM-5), publicado pela Associação Americana de Psiquiatria.

Para que o médico diagnostique a pessoa com transtorno de personalidade esquizoide, ela precisa ter um distanciamento persistente e desinteresse geral nos relacionamentos sociais e expressão limitada de emoções nas interações interpessoais, indicado por no mínimo quatro dos itens a seguir:

  • Nenhum desejo ou prazer com relacionamentos íntimos, incluindo aqueles com membros da família.

  • Forte preferência por atividades solitárias.

  • Pouco, se algum, interesse em atividade sexual com outra pessoa.

  • Desfrutar de poucas, se alguma, atividades.

  • Não ter amigos íntimos ou confidentes, exceto possivelmente parentes de primeiro grau.

  • Aparente indiferença quanto a elogios ou críticas dos outros.

  • Frieza emocional e distanciamento e não expressar emoção em resposta a eventos ou interações com outras pessoas.

Além disso, o início dos sintomas precisa ter ocorrido no começo da idade adulta.

Tratamento

  • Terapia cognitivo-comportamental que dá enfoque a habilidades sociais

O tratamento geral do transtorno de personalidade esquizoide é o mesmo que o de todos os transtornos de personalidade.

Uma vez que a pessoa com transtorno de personalidade esquizoide é distante ou indiferente, o médico tem dificuldade em estabelecer um relacionamento colaborador e mutuamente respeitoso com ela. Para ajudar a estabelecer um relacionamento e, com isso, incentivar a pessoa a participar do tratamento, o médico pode tentar discutir assuntos que são atraentes para pessoas que preferem atividades que não exigem interação com outros (por exemplo, colecionar selos).

Não há muitas informações sobre o efeito da psicoterapia ou farmacoterapia sobe o transtorno de personalidade esquizoide.

Terapia cognitivo-comportamental que dá enfoque à aquisição de habilidades sociais pode ajudar a pessoa a mudar. Por exemplo, a pessoa pode aprender a reconhecer indícios de interação social (verbais e não verbais, como expressões faciais e linguagem corporal).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS