Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Psicose compartilhada

Por

Carol Tamminga

, MD, UT Southwestern Medical Dallas

Última revisão/alteração completa dez 2018| Última modificação do conteúdo dez 2018
Clique aqui para a versão para profissionais

A psicose compartilhada ocorre quando a pessoa adquire um delírio de alguém com quem ela tem um relacionamento pessoal íntimo.

A psicose diz respeito a sintomas, como delírios, alucinações, pensamento e fala desorganizados e comportamento motor bizarro e inadequado (incluindo a catatonia) que indicam que a pessoa perdeu o contato com a realidade. (Consulte também Introdução à esquizofrenia e transtornos relacionados.)

A psicose compartilhada (antigamente denominada folie à deux) agora é considerada um subconjunto do transtorno delirante. É um transtorno raro que costuma ocorrer em uma pessoa ou grupo de pessoas (geralmente uma família) que têm parentesco com alguém que tem um transtorno delirante significativo. O membro socialmente dominante do relacionamento tem o transtorno primário e impõe o delírio ou convence a pessoa ou pessoas menos dominante(s) do relacionamento a acreditar em suas convicções incomuns. 

O médico tenta identificar qual pessoa no relacionamento tem a psicose primária, porque a pessoa com o transtorno secundário normalmente não mantém as crenças delirantes quando é afastada da pessoa com o transtorno primário. Psicoterapia e terapia geralmente conseguem ajudar pessoas com psicose compartilhada. Os sintomas psicóticos são tratados com medicamentos antipsicóticos conforme necessário.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS