Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Síndrome da Pele Escaldada por Estafilococos

(doença de Ritter)

Por

Wingfield E. Rehmus

, MD, MPH, University of British Columbia

Última revisão/alteração completa abr 2021| Última modificação do conteúdo abr 2021
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A síndrome da pele escaldada por estafilococos é uma complicação de uma infecção cutânea por estafilococos, na qual a pele forma uma bolha e descasca, como se tivesse sido queimada.

  • Além da pele que se solta, a pessoa sente febre, calafrios e fraqueza.

  • O diagnóstico está baseado no aspecto da pele, mas às vezes uma biópsia é feita.

  • Com o tratamento adequado, ao prognóstico é excelente.

  • O tratamento envolve antibióticos administrados por via intravenosa e cuidados com a pele.

Certos tipos de estafilococos secretam substâncias tóxicas que fazem com que a camada superior da pele (epiderme) se separe das demais. Visto que a toxina se espalha por todo o organismo, a infecção estafilocócica de uma pequena zona da pele pode levar ao descolamento de pele por todo o corpo. No entanto, a maioria das áreas de descamação da pele não estão realmente infectadas com a bactéria.

A síndrome da pele escaldada por estafilococos ocorre quase exclusivamente em lactentes e crianças com menos de 6 anos. A síndrome raramente ocorre em idosos, exceto naqueles com insuficiência renal ou sistema imunológico enfraquecido.

Sintomas

Nos recém-nascidos, a infecção pode surgir na zona da fralda ou à volta do resto do cordão umbilical.

Em crianças mais velhas, o rosto é o típico local da infecção.

Nos adultos, a infecção pode começar em qualquer parte.

Em todas as pessoas com esse distúrbio, a pele em volta da infecção crostosa fica vermelha brilhante em 24 horas. Essas áreas são dolorosas. A pele pode ficar extremamente macia e enrugada, com consistência parecida à do papel. Depois, outras áreas grandes da pele distantes da infecção inicial, geralmente áreas de atrito, como pregas cutâneas, e nas nádegas, mãos e pés, ficam avermelhadas e formam bolhas finas e grandes que se rompem com facilidade e começam a descascar.

A camada superior da pele começa, então, a soltar-se, muitas vezes em grandes tiras, mesmo quando se toca ligeiramente ou se pressiona suavemente. As áreas com pele removida parecem escaldadas. Depois de 2 ou 3 dias, grandes áreas da pele podem ser afetadas e a pessoa pode adoecer, manifestando febre, calafrios e debilidade. Com a perda da barreira de proteção da pele, outras bactérias e organismos infecciosos podem penetrar com facilidade no corpo, provocando infecções nessas e em outras áreas, podendo se espalhar pela corrente sanguínea ( sepse Sepse e choque séptico Sepse é uma resposta séria e generalizada do corpo à bacteremia ou a outra infecção, juntamente com o mau funcionamento ou insuficiência de um sistema essencial do organismo. Choque séptico... leia mais ). Além disso, nesse processo, a pessoa pode perder quantidades significativas de líquido, devido à supuração e evaporação, resultando em desidratação.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Às vezes, uma biópsia de tecido e culturas

O diagnóstico da síndrome da pele escaldada por estafilococos é baseado na constatação do descolamento da pele, depois de uma aparente infecção estafilocócica.

Se não se encontrar qualquer sinal de infecção estafilocócica, os médicos podem realizar uma biópsia, na qual se recolhe uma pequena amostra da pele, que é enviada ao laboratório para ser testada. Coletas feitas do nariz, da membrana mucosa fina que cobre os olhos (conjuntiva), da garganta, das passagens nasais e da parte superior da garganta (nasofaringe), amostras de sangue e urina, e amostras de onde o médico acredita ser a área de infecção inicial (como cordão ou pele umbilical) são enviadas para análise laboratorial e identificação das bactérias.

Prognóstico

Com diagnóstico e tratamento imediatos, a síndrome da pele escaldada por estafilococos raramente leva à morte. A camada mais superficial da pele se renova rapidamente, e a cicatrização ocorre em 5 a 7 dias após o início do tratamento.

Tratamento

  • Antibióticos

  • Tratamento da pele semelhante ao de queimaduras

O tratamento da síndrome da pele escaldada por estafilococos é feito com antibióticos por via intravenosa no hospital e, posteriormente, por via oral.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS