Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Dermatite de estase

Por

Thomas M. Ruenger

, MD, PhD, Georg-August University of Göttingen, Germany

Última revisão/alteração completa abr 2021| Última modificação do conteúdo abr 2021
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A dermatite de estase é uma inflamação na pele da parte inferior das pernas, resultante de estagnação do sangue e de líquidos.

Sintomas de dermatite de estase

A princípio, a pele fica pruriginosa, vermelha, escamosa e espessa, geralmente nas canelas. Algumas zonas da pele podem se romper e acabar formando uma ferida aberta (úlcera). As úlceras, às vezes, se tornam infectadas com bactérias, causando celulite Celulite A celulite é uma infecção bacteriana que se espalha na pele e nos tecidos que se encontram imediatamente por debaixo dela. Essa infecção é mais frequentemente causada por estreptococos ou estafilococos... leia mais Celulite (uma infecção bacteriana da pele) e são, geralmente, dolorosas.

Quando a insuficiência venosa crônica é a causa, a pele pode ficar com uma tona­lidade amarelo-amarronzada, veias varicosas Veias varicosas As veias varicosas são veias superficiais das pernas anormalmente dilatadas. Elas podem doer, provocar coceiras ou sensação de cansaço. Os médicos podem detectar veias varicosas examinando a... leia mais Veias varicosas (veias dilatadas e tortuosas) geralmente se desenvolvem, e a pele pode ficar dura, espessa, dolorida e sensível. Esta complicação é chamada lipodermatosclerose. Lipodermatosclerose confere à parte inferior da perna um formato de pino de boliche invertido, com o aumento do tamanho da panturrilha e estreitamento no tornozelo.

Diagnóstico de dermatite de estase

Os médicos diagnosticam dermatite de estase em pessoas que apresentam alterações características da pele e outros sintomas de inchaço nas pernas e insuficiência venosa crônica.

Às vezes, avaliação mais abrangente e exames de imagem (como ultrassonografia) são necessários.

Tratamento de dermatite de estase

  • Medidas para prevenir o sangue de estagnar-se nas pernas

  • Medidas para aliviar a dermatite

  • Para úlceras, compressas especiais ou uma bota de pasta de Unna

  • Para infecção, antibióticos

A causa do inchaço crônico é tratada.

Tratamento da insuficiência venosa crônica

O tratamento de longo prazo tem como finalidade tratar a insuficiência venosa crônica Tratamento A insuficiência venosa crônica se caracteriza por uma lesão nas veias da perna, que impede que o sangue flua normalmente. A síndrome pós-flebite é uma insuficiência venosa crônica decorrente... leia mais Tratamento , evitando que o sangue fique estagnado nas veias ao redor dos tornozelos. Quando está sentada, a pessoa deve elevar as pernas acima do nível do coração. As meias elásticas de prescrição médica, que exerçam a pressão apropriada (meias de compressão), também impedem a estagnação do sangue e diminuem o inchaço. As meias de suporte que se vendem nos centros comerciais geralmente não são adequadas.

Tratamento de dermatite

Para as dermatites recentes, e se não existirem úlceras, um creme ou pomada de corticosteroide aplicada nas áreas afetadas pode ajudar. Se o distúrbio piorar, conforme evidenciado por aumento do calor, da vermelhidão, do exsudato, ou por pequenas úlceras, um curativo mais absorvente, como curativo hidrocoloide, pode ser usado.

Na dermatite de estase, a pele fica irritada com facilidade. Não se devem administrar cremes com antibióticos, nem cremes de primeiros socorros (anestésicos), álcool de lanolina, tintura de hamamélis de Virgínia, lanolina, nem outras substâncias químicas, uma vez que podem piorar ainda mais a doença.

Tratamento de úlceras

As úlceras são mais bem tratadas com compressas e curativos feitos com pasta de óxido de zinco. Curativos especiais hidrocoloides ou hidrogel que absorvem a umidade também podem ser usados.

Algumas pessoas podem precisar de uma bota de pasta Unna, que é uma bandagem elástica cheia de uma pasta gelatinosa que contém zinco. Essa cobertura é aplicada no tornozelo e na parte inferior da perna, onde endurece, de forma semelhante ao gesso, mas mais fina. Essa bota limita o inchaço e ajuda a proteger a pele de possíveis irritações e a massa acelera a sua cura. No início, essa bota é mudada a cada dois ou três dias, mas depois é trocada apenas uma ou duas vezes por semana. Depois que a úlcera cicatriza, um suporte elástico deve ser aplicado antes que a pessoa levante pela manhã. Independentemente do curativo usado, a redução do inchaço (geralmente com compressão) é essencial para a cicatrização.

Os antibióticos aplicados sobre a pele são úteis para o tratamento de algumas áreas de pele em ferida ou irritadas e úlceras. Antibióticos administrados por via oral são usados para tratar celulite. Por vezes, é possível realizar enxertos de pele de outras partes do corpo, para cobrir úlceras muito grandes.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Teste os seus conhecimentos
Nevos
Qual das seguintes opções é um sinal de que o nevo pode ter se transformado em melanoma (um câncer de pele)?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS