honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Infecções cerebrais parasitárias

Por

John E. Greenlee

, MD, University of Utah School of Medicine

Última revisão/alteração completa jul 2020| Última modificação do conteúdo jul 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

Em algumas partes do mundo, podem ocorrer infecções cerebrais causadas por lombrigas ou outros parasitas. Essas infecções são mais comuns em países em desenvolvimento e áreas rurais. São menos comuns nos Estados Unidos.

Neurocisticercose

A neurocisticercose é causada por larvas de tênia de porco. De todas as larvas que causam infecções no cérebro, a larva de tênia é a que causa, de longe, a maioria dos casos de infecções no cérebro no hemisfério ocidental.

Depois de as pessoas ingerirem alimentos contaminados com ovos da larva de tênia, as secreções no estômago fazem os ovos eclodirem em larvas. Elas entram na corrente sanguínea e são distribuídas por todo o corpo, incluindo o cérebro e a medula espinhal. As larvas formam os cistos (grupos de larvas fechados em uma parede de proteção). (A infecção causada por cistos é chamada cisticercose ou, quando os cistos se formam no cérebro, neurocisticercose). Esses cistos causam alguns sintomas até se degenerarem e as larvas morrerem, desencadeando inflamação, inchaço e sintomas como dores de cabeça, convulsões, alterações de personalidade e comprometimento mental.

Às vezes, os cistos bloqueiam o fluxo do líquido cefalorraquidiano nos espaços do cérebro (ventrículos), fazendo pressão. Esta doença é chamada hidrocefalia. O aumento na pressão pode causar cefaleias, náusea, vômito e sonolência.

Os cistos podem se romper e derramar seu conteúdo no líquido cefalorraquidiano, causando meningite.

Sem tratamento, as pessoas com neurocisticercose podem morrer.

Os médicos suspeitam de neurocisticercose nas pessoas que moram ou vieram de países em desenvolvimento e que apresentam sintomas típicos. Imagem por ressonância magnética (RM) ou tomografia computadorizada (TC) geralmente mostram os cistos. Mas geralmente é preciso fazer exames de sangue e punção lombar para obter uma amostra do líquido cefalorraquidiano para confirmar o diagnóstico. Ocasionalmente, é necessária uma biópsia do cisto.

A infecção é tratada com albendazol ou praziquantel (medicamentos usados para tratar infecções por vermes parasitas, chamados de anti-helmíntico). Os corticosteroides são administrados para reduzir a inflamação que surge quando as larvas morrem. As convulsões são tratadas com medicamentos anticonvulsivantes.

Ocasionalmente, é necessário fazer cirurgia para colocar um dreno (shunt) para remover o líquido cefalorraquidiano em excesso e aliviar a hidrocefalia. O shunt é um pedaço de tubo plástico colocado nos espaços dentro do cérebro. O tubo é colocado embaixo da pele, geralmente no abdômen, onde é possível drenar o excesso de líquido. Também pode ser necessário fazer uma cirurgia para remover os cistos do cérebro.

Outras infecções

A equinococose (doença hidática ou hidatidose) e a cenurose são infecções por outros tipos de larvas de tênias. A equinococose pode produzir grandes cistos no cérebro. A cenurose, como a cisticercose, produz cistos que podem obstruir o fluxo de líquido em volta do cérebro.

A esquistossomose é uma infecção causada por trematódeos sanguíneos. Em algumas pessoas com esquistossomose, grupos de células inflamadas (granulomas) se desenvolvem no cérebro.

Equinococose, cenurose e esquistossomose podem causar sintomas semelhantes aos da cisticercose, incluindo convulsões, cefaleias, mudança de personalidade e incapacidade mental. Os sintomas causados pela equinococose ou cenurose podem levar anos para se desenvolver.

Os médicos podem diagnosticar, com frequência, essas infecções com base nos resultados da RM ou da TC, mas, às vezes, é preciso tomar uma punção lombar. O líquido cefalorraquidiano pode ter um grande número de glóbulos brancos, chamados eosinófilos.

Essas três infecções podem ser tratadas, em geral, com medicamentos anti-helmínticos, como o albendazol, mebendazol, praziquantel e pamoato de pirantel. Mas na equinococose ou cenurose, cistos podem frequentemente ser removidos cirurgicamente.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS