Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Síndrome da cauda equina

Por

Michael Rubin

, MDCM, New York Presbyterian Hospital-Cornell Medical Center

Última revisão/alteração completa jun 2021| Última modificação do conteúdo jun 2021
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A síndrome da cauda equina ocorre quando o feixe de nervos que se estende da parte inferior da medula espinhal é comprimido ou danificado.

  • A causa mais comum de síndrome da cauda equina é um disco com hérnia.

  • A síndrome da cauda equina causa dor intensa na região lombar, problemas urinários (como incontinência) e perda de sensibilidade nas nádegas, na área genital, na bexiga e no reto.

  • Os médicos avaliam imediatamente pessoas com sintomas de síndrome da cauda equina e realizam uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada para confirmar o diagnóstico.

  • Muitas vezes, é necessário cirurgia para aliviar a pressão sobre a cauda equina, e analgésicos e corticosteroides são usados para aliviar a dor.

Um ramo de nervos que se estende para baixo, a partir da parte inferior da medula espinhal, até os ossos das vértebras e pelo osso na base da espinha (sacro). Este ramo é chamado de cauda equina, que significa o rabo do cavalo em latim, pois se parece a ele. Os sintomas que resultam de compressão ou lesão na cauda equina são chamados de síndrome da cauda equina.

Síndrome da cauda equina

Um ramo de nervos que se estende para baixo, a partir da parte inferior da medula espinhal, até os ossos das vértebras e pelo osso na base da espinha (sacro). Este ramo é chamado de cauda equina, que significa o rabo do cavalo em latim, pois se parece a ele.

A cauda equina pode ser comprimida por um disco rompido ou com hérnia, um tumor ou um abscesso. Pode ser danificado por uma lesão ou inchaço, pois fica inflamado (como ocorre na espondilite anquilosante). Os sintomas resultantes são chamados de síndrome da cauda equina.

Síndrome da cauda equina

Causas

A causa mais comum de síndrome da cauda equina é

Outras causas incluem:

Alguns desses quadros causam inflamação e/ou inchaço, exercendo pressão sobre os nervos. Um tumor pode exercer pressão direta sobre a cauda equina.

Sintomas

As pessoas com síndrome da cauda equina podem apresentar dor intensa na região lombar, geralmente devido à doença que está causando a síndrome da cauda equina. Elas podem perder a sensibilidade nas nádegas, na área genital, na bexiga e no reto – a área do corpo que tocaria uma sela (chamado anestesia em sela). Ou seja, essas pessoas podem ser menos capazes de sentir dor, toque, temperatura e vibração nessas áreas.

O controle dos músculos e da sensação podem ser prejudicados nas pernas.

Outros sintomas de síndrome da cauda equina podem incluir:

Sem tratamento, a síndrome da cauda equina pode causar paralisia completa das pernas.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Exames de diagnóstico por imagem

Os médicos suspeitam de síndrome da cauda equina com base nos sintomas e nos resultados de um exame físico. No entanto, os sintomas tendem a variar.

Quando há suspeita de síndrome da cauda equina, faz-se uma ressonância magnética (RM) imediatamente. Se a RM não estiver disponível, recorre-se à mielografia Mielografia Em algumas ocasiões, é necessário recorrer a procedimentos diagnósticos para confirmar o diagnóstico sugerido pelo histórico clínico e pelo exame neurológico. A eletroencefalografia... leia mais Mielografia com tomografia computadorizada (TC). Esses testes geralmente podem confirmar o diagnóstico.

Tratamento

  • Cirurgia

  • Geralmente corticosteroides

As pessoas que sofrem de síndrome da cauda equina necessitam de assistência médica imediata.

Os médicos focam no tratamento da doença que está causando a síndrome da cauda equina. Por exemplo, uma cirurgia é feita imediatamente para aliviar a pressão sobre a cauda equina causada por um disco com hérnia. Esse tratamento pode prevenir danos permanentes.

São usados medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) ou outros analgésicos. Se esses medicamentos não aliviarem a dor, corticosteroides, administrados por via oral ou injeção, podem ajudar. Os corticosteroides também podem reduzir o inchaço.

O nível de recuperação da pessoa frequentemente depende da causa e da rapidez com que for tratada. Os sintomas têm mais chance de diminuir ou desaparecer se a causa for identificada e tratada imediatamente.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS