Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Ciática

Por

Peter J. Moley

, MD, Hospital for Special Surgery

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Ciática é a dor ao longo dos nervos ciáticos. Esses nervos se estendem da região lombar, passam pelas nádegas e descem pelas pernas, terminando logo abaixo do joelho.

  • Uma hérnia de disco, complicações da osteoartrite, lesões ou o estreitamento do canal medular podem causar ciática.

  • A ciática pode causar dor intensa que é sentida desde a região lombar, descendo pela nádega e por trás de uma ou de outra perna.

  • O diagnóstico se baseia na avaliação de um médico e, às vezes, nos resultados de diagnósticos por imagem ou exames eletrodiagnósticos.

  • O tratamento inclui medidas para aliviar a dor e, às vezes, cirurgia.

Os dois nervos ciáticos são os maiores e mais largos nervos do corpo. Eles são compostos por várias raízes nervosas que emergem da medula espinhal na região lombar. Cada nervo ciático é quase tão largo quanto um dedo. Em cada lado do corpo, o nervo ciático corre desde a parte inferior da coluna vertebral, passando por trás da articulação do quadril e descendo pela nádega e por trás do joelho. Nesta região, o nervo ciático se divide em diversos ramos e continua até o pé.

Quando o nervo ciático ou as raízes nervosas que compõe o nervo ciático são comprimidos, pinçados, estão inflamados ou lesionados, a dor – ciática – pode irradiar ao longo do nervo ciático até o pé (consulte também Compressão da medula espinhal). Ciática acomete cerca de 5% das pessoas com dor lombar.

Em algumas pessoas, nenhuma causa pode ser detectada. Em outras, a causa pode ser uma hérnia de disco, projeções irregulares do osso devido a osteoartrite, estreitamento do canal medular (estenose medular) ou inchaço devido a uma entorse de ligamento. Raramente, a doença de Paget do osso, uma lesão nervosa devido ao diabetes (neuropatia diabética), um tumor na coluna vertebral ou um acúmulo de sangue (hematoma) ou pus (abscesso) pressionando o nervo causa ciática. Algumas pessoas parecem ser propensas à ciática.

Ciática

Em cada lado do corpo, o nervo ciático corre desde a parte inferior da coluna vertebral, por atrás da articulação do quadril, em direção à nádega e a parte de trás do joelho. Nesta região, o nervo ciático se divide em diversos ramos e continua até o pé. Quando o nervo ciático ou as raízes nervosas que compõe o nervo ciático são pinçados, estão inflamados ou lesionados, a dor – ciática – pode irradiar-se ao longo do nervo ciático até o pé.

Ciática

Sintomas

Geralmente, a ciática só afeta um lado. A dor é sentida desde a região lombar, passando pela nádega e descendo por trás de uma perna. A dor costuma ser em queimação, pungente ou em pontadas. Dor que começa em um local, mas se desloca para outro, geralmente ao longo do trajeto do nervo, é chamada de dor irradiada.

Ciática pode causar uma sensação de formigamento ou uma dor persistente ou lancinante que desce pela trajetória do nervo. Pode ser sentida dormência ou fraqueza na perna ou no pé. Andar, correr, subir escadas, esticar a perna e, algumas vezes, tossir ou esticar-se piora a dor, que é diminuída ao endireitar as costas ou ficar em pé.

Se a cauda equina (o feixe de nervos que se estende a partir da região lombar) for afetada, o controle da bexiga e do intestino pode ser perdido. Caso esses sintomas sérios se desenvolvam, será necessário assistência médica imediata.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Às vezes, exames de imagem, estudos eletrodiagnósticos ou ambos

Os médicos costumam basear o diagnóstico de ciática na dor característica. Durante um exame físico, os médicos verificam a força e os reflexos da pessoa.

Os médicos podem solicitar outros exames se as pessoas tiverem fraqueza ou dormência ou se seus sintomas tiverem duração superior a seis semanas. Ressonância magnética (RM) e tomografia computadorizada (TC) são exames de imagem que podem ajudar os médicos a identificar anomalias da coluna vertebral que estão causando a ciática. Exames dos nervos e músculos (exames eletrodiagnósticos), como estudos de condução nervosa e eletromiografia, podem ajudar os médicos a identificar a raiz nervosa espinhal afetada e a gravidade da lesão.

Prevenção

Nem sempre é possível evitar a ciática, mas as pessoas podem reduzir seu risco do seu surgimento

  • Exercitando-se

  • Fortalecendo e alongando os músculos

  • Mantendo um peso saudável

  • Mantendo uma boa postura

  • Usando técnicas adequadas de levantamento de peso

Exercícios regulares são uma maneira eficaz de reduzir o risco de desenvolver uma dor ciática. Exercícios aeróbicos e exercícios específicos para fortalecimento e alongamento muscular podem ajudar.

Exercícios aeróbicos, como nadar ou andar, melhoram a forma física como um todo e fortalecem os músculos em geral.

Exercícios específicos para fortalecer e alongar os músculos do abdômen, nádegas e costas (músculos do tronco) podem ajudar a estabilizar a coluna vertebral e diminuir o estresse nos discos que protegem a coluna vertebral e os ligamentos que a mantêm no lugar.

Exercícios de fortalecimento muscular incluem inclinações pélvicas e exercícios abdominais. Exercícios de alongamento incluem o alongamento joelho-tórax. Os exercícios de alongamento podem aumentar a dor nas costas em algumas pessoas e, portanto, devem ser feitos com cautela. Como uma regra geral, qualquer exercício que cause ou aumente a dor nas costas deve ser interrompido. Os exercícios devem ser repetidos até que se sinta os músculos levemente, mas não completamente, fatigados. A respiração durante cada exercício é importante. As pessoas que sentem dores nas costas devem consultar um médico antes de começarem a se exercitar.

Exercícios para prevenir a dor na região lombar

Inclinações pélvicas

Deite-se de costas com os joelhos dobrados, os calcanhares no chão e o peso nos calcanhares. Pressione a região lombar contra o chão, contraia as nádegas (levantando um centímetro e meio do chão) e contraia os músculos abdominais. Mantenha a posição e conte até 10. Repita 20 vezes.

Exercícios para prevenir a dor na região lombar

Exercícios abdominais

Deite-se de costas com o joelho dobrado e os pés no chão. Coloque as mãos cruzando o tórax. Contraia os músculos abdominais, levantando os ombros levemente cerca de 25 centímetros do chão, enquanto mantém a cabeça para trás (o queixo não pode tocar o tórax). Depois, solte os músculos abdominais lentamente, baixando os ombros. Fazer 3 séries de 10 repetições.

Exercícios para prevenir a dor na região lombar

Alongamento joelho-tórax

Deite-se de costas. Coloque ambas as mãos atrás de um joelho e traga-o para o tórax. Conte até 10. Abaixe lentamente a perna e repita com a outra. Faça este exercício 10 vezes.

Exercícios para prevenir a dor na região lombar

Exercícios também podem ajudar as pessoas a manter um peso adequado, pois ter sobrepeso aumenta o risco.

Manter uma boa postura em pé, sentado e dormindo reduz a tensão nas costas. Deve-se evitar andar desengonçado. Os assentos de cadeira podem ser ajustados para ficar em uma altura que permita que os pés fiquem retos no chão, com os joelhos dobrados levemente e a região lombar ereta no encosto da cadeira. Se a cadeira não oferece suporte para a região lombar, pode ser utilizado um travesseiro. É aconselhado sentar com os pés no chão ao invés de cruzar as pernas. As pessoas devem evitar ficar em pé ou sentadas por longos períodos. Se ficar em pé ou sentado por longos períodos for inevitável, mudar de posição frequentemente pode reduzir o estresse das costas.

Aprender a levantar peso corretamente ajuda a prevenir lesões nas costas. Os quadris devem ficar alinhados com os ombros (não devem ficar rotacionados para nenhum dos lados). As pessoas não devem se curvar com as pernas quase completamente retas e esticar os braços para pegar um objeto. Ao invés disso, devem se curvar com os quadris e joelhos. Curvar-se assim mantém as costas eretas e ao esticar os braços em direção ao objeto, os cotovelos ficam na lateral do corpo. Por fim, mantendo o objeto próximo ao corpo, devem levantar o objeto esticando as pernas. Desta forma, as pernas, e não as costas, levantam o objeto. Elevar um objeto acima da cabeça ou se virar enquanto levanta este objeto aumenta o risco de lesões nas costas.

Tratamento

  • Medidas para aliviar a dor

  • Às vezes, cirurgia para a dor intensa

Normalmente, a dor desaparece sozinha. Se não desaparecer, as pessoas podem tentar vários métodos de alívio da dor ou podem necessitar de cirurgia. Alongar os músculos isquiotibiais depois de se aquecer, pode ajudar.

Medidas para aliviar a dor

Um a dois dias de repouso no leito pode aliviar a dor. Repousos mais duradouros enfraquecem os músculos do tronco e aumentam a rigidez, piorando assim a dor nas costas e retardando a recuperação. Para muitas pessoas, dormir de lado com os joelhos dobrados e um travesseiro entre os joelhos, proporciona o alívio da dor. Pessoas que dormem de costas podem colocar um travesseiro embaixo dos joelhos. As pessoas podem continuar a dormir de bruços se for confortável para elas.

A aplicação de frio (como bolsas de gelo) ou calor (como uma bolsa térmica) ou a administração de analgésicos vendidos sem prescrição médica (como paracetamol e anti-inflamatórios não esteroides [AINEs]) podem ajudar a aliviar a dor. Medicamentos, como gabapentina, que reduzem a dor no nervo, anticonvulsivantes ou certos antidepressivos podem ajudar algumas pessoas. Se a dor for intensa ou persistir, os médicos podem administrar corticosteroides tomados por via oral ou injetado no espaço epidural (entre a coluna vertebral e a camada externa do tecido que cobre a medula espinhal).

Fisioterapia e o alongamento suave dos músculos isquiotibiais após o aquecimento pode ajudar a aliviar os espasmos musculares (Consulte também Prevenção.)

Cirurgia

Se uma hérnia de disco estiver causando dor ciática implacável ou crônica, especialmente se acompanhada de fraqueza e/ou a perda de sensação, poderá ser necessária a remoção cirúrgica do disco (discectomia) e, em alguns casos, de parte da vértebra (laminectomia). Normalmente é necessária uma anestesia geral. A internação geralmente dura 1 ou 2 dias. Com frequência, técnicas microcirúrgicas, com uma pequena incisão e uma anestesia local na coluna vertebral (que adormece apenas uma parte específica do corpo), podem ser utilizadas para remover a parte com hérnia do disco. Em geral, não é necessário hospitalizar o paciente para este procedimento. Após o procedimento, a maioria das pessoas pode retomar suas atividades dentro de seis semanas a três meses. A cirurgia tende a resultar em uma recuperação mais rápida em comparação ao tratamento sem cirurgia. Contudo, depois de um ou dois anos, pessoas tratadas com e sem cirurgia apresentam aproximadamente o mesmo grau de recuperação.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Biópsia
Vídeo
Biópsia
Uma biópsia é um procedimento em que uma amostra de tecido é retirada do corpo para exame...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Espondilite anquilosante
Modelo 3D
Espondilite anquilosante

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS