Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Radiografias simples

Por

Mehmet Kocak

, MD, Rush University Medical Center

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

Os raios-X são ondas de radiação de alta energia que podem penetrar a maioria das substâncias (em graus variados). Em doses muito baixas, os raios-X são usados para produzir imagens que ajudam o médico a diagnosticar doenças. Em altas doses, os raios-X (terapia de radiação) são usados para tratar câncer.

As radiografias podem ser usadas isoladamente como radiografias simples ou combinadas com outras técnicas, como tomografia computadorizada (TC). (Consulte também Considerações gerais sobre exames de imagem.)

Procedimento para raios-X

Nas imagens de raios-X convencional, a pessoa é posicionada de modo que a parte do corpo a ser avaliada fique entre a fonte dos raios-X e um aparelho que registra a imagem. O examinador fica atrás de uma tela que bloqueia os raios-X e faz com que a máquina funcione por apenas alguns segundos. A pessoa deve permanecer imóvel enquanto a radiografia é tirada. Várias radiografias podem ser tiradas para obter imagens de diferentes ângulos.

Você sabia que

  • A exposição à radiação na maioria das radiografias diagnósticas é muito pequena.

Um feixe de raios-X é passado pela parte do corpo a ser avaliada. Tecidos diferentes bloqueiam diferentes quantidades de raios-X, dependendo da densidade do tecido. Os raios-X que passam pelos tecidos são registrados em um filme ou em uma placa detectora de radiação, produzindo uma imagem que mostra os diferentes níveis de densidade do tecido. Quanto mais denso o tecido, mais raios-X ele bloqueia e mais branca fica a imagem:

  • O metal aparece completamente branco (radiopaco).

  • O osso aparece quase branco.

  • Gordura, músculo e líquidos aparecem como tons de cinza.

  • O ar e o gás aparecem em preto (radiolucentes).

Usos das radiografias

As radiografias simples são normalmente o primeiro exame de imagem realizado para avaliar os braços, as pernas ou o tórax e, às vezes, a coluna e o abdômen. Essas partes do corpo contêm importantes estruturas com densidades muito diferentes, que são facilmente distinguidas nas radiografias. Assim, as radiografias simples são usadas para detectar:

  • Fraturas: o osso, quase branco, exibe um contraste nítido com os músculos cinza em torno dele.

  • Pneumonia: o ar preto nos pulmões exibe um contraste nítido com os tecidos brancos infectados, que bloqueiam uma quantidade maior de raios-X.

  • Bloqueios intestinais: o ar preto no intestino bloqueado exibe um contraste nítido com os tecidos cinza ao seu redor.

Mamografia

Na mamografia, as radiografias também são utilizadas para triar e diagnosticar distúrbios da mama, incluindo câncer de mama.

A exposição à radiação é uma preocupação porque o tecido mamário é sensível à radiação. Unidades especializadas em mamografias e técnicas digitais de imagem são usadas para minimizar a exposição à radiação.

Variações das radiografias

Radiografias com um meio de contraste radiopaco

As radiografias simples podem ser realizadas depois que um meio de contraste radiopaco (às vezes, chamado incorretamente de corante) é administrado, normalmente por injeção intravenosa, por via oral ou injetada através de um tubo no reto. O meio de contraste radiopaco faz com que o tecido ou a estrutura sendo analisada pareça mais radiopaca (mais branca) do que os tecidos adjacentes; portanto, pode ser melhor visualizá-los em uma radiografia.

Na angiografia convencional, tira-se radiografias, depois que um meio de contraste radiopaco é injetado nos vasos sanguíneos.

Antes de tirar radiografias do trato gastrointestinal, a pessoa possivelmente precisará ingerir bário ou gastrografina (que são meios de contraste radiopacos) em um líquido ou em um alimento. As radiografias mostram, então, o esôfago, o estômago e o intestino delgado, delineado pelo bário ou pela gastrografina. Ou um examinador pode injetar bário por um tubo inserido no ânus (enema de bário) e, em seguida, bombear, cuidadosamente, ar para a parte inferior do intestino (cólon) para expandi-lo. O bário facilita a detecção de úlceras, tumores, bloqueios, pólipos e diverticulite. Um enema de bário pode causar cólicas leves a moderadas e uma necessidade urgente de defecar.

No caso de exames de imagem do esôfago, estômago e trato intestinal superior, a endoscopia substituiu em grande parte as radiografias obtidas após utilização de bário ou gastrografina.

Fluoroscopia

Essa técnica produz imagens que mostram o movimento, semelhante às imagens de uma câmera de vídeo. A fluoroscopia pode mostrar órgãos ou estruturas como funcionam: as batidas do coração, os intestinos movendo o alimento ou os pulmões inflando e desinflando.

A fluoroscopia é utilizada comumente

  • Durante o estudo eletrofisiológico (em caso de ritmos cardíacos anormais) e durante o cateterismo coronário para determinar se um cateter está inserido corretamente no coração

  • Com um meio de contraste radiopaco (como bário), normalmente administrado pela boca, para avaliar o trato gastrointestinal

  • Durante a avaliação de lesões musculoesqueléticas para observar movimentos dos ossos e articulações

Desvantagens das radiografias

Outros exames de imagem podem fornecer informações mais detalhadas, ser mais seguros ou mais rápidos, ou ajudar o médico a diagnosticar um distúrbio com mais exatidão do que radiografias simples.

A principal desvantagem é a

  • Exposição à radiação

Exposição à radiação

Nas radiografias simples, cada imagem requer somente uma quantidade muito pequena de radiação. Nas radiografias do tórax, a quantidade de exposição à radiação com uma única imagem é semelhante à quantidade que a maioria das pessoas recebe do ambiente em 2,4 dias (exposição à radiação de fundo).

No entanto, alguns exames de raios-X requerem várias imagens, uma alta dose de radiação para cada imagem, ou as duas coisas. Assim, a exposição total à radiação é mais alta, como é o caso dos exemplos a seguir:

  • No caso de radiografias da lombar, realizadas em séries: A quantidade de radiação é igual a três meses de exposição de fundo.

  • Na mamografia, a quantidade é igual a aproximadamente um a dois meses de exposição de fundo.

A fluoroscopia normalmente exige doses de radiação mais altas que radiografias simples de rotina; portanto, outros exames de imagem são realizados no lugar da fluoroscopia, sempre que possível.

Os examinadores tomam precauções para minimizar a exposição da pessoa à radiação. As mulheres que estão ou que podem estar grávidas devem dar essa informação ao médico. Em seguida, o examinador pode tomar todas as precauções possíveis para proteger o feto da exposição. Para avaliar o abdômen ou a pelve de uma mulher grávida, o médico pode, às vezes, usar um exame de imagem que não usa radiação, como uma ultrassonografia. No entanto, as radiografias simples que não envolvem o abdômen ou a pelve normalmente expõem o útero a somente uma pequena quantidade de radiação.

Outras desvantagens

Alguns exames específicos têm outros riscos. Por exemplo, o bário ingerido ou inserido por enema pode causar constipação.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Raios X
Vídeo
Raios X
A tecnologia de raios X utiliza raios de alta energia que podem atravessar certos tecidos...
Exame de tomografia computadorizada (TC)
Vídeo
Exame de tomografia computadorizada (TC)
Um exame de TC é utilizado para detectar lesão em ossos e tecidos moles. Durante o procedimento...

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS