Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Como tratar o recém-nascido consciente asfixiando

Por

Charles D. Bortle

, EdD, Einstein Medical Center

Última modificação do conteúdo jan 2017
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Recursos do assunto

Sufocamento em um recém-nascido é geralmente causado pela inalação de um pequeno objeto que o bebê colocou na boca, como alimento, brinquedo ou outro objeto pequeno (p. ex., botão, moeda ou balão). Se a obstrução das vias aéreas é grave, então administram-se tapas nas costas, seguidas de compressões torácicas para desalojar o objeto.

Indicações

  • Asfixia devido à obstrução grave das vias aéreas superiores decorrente de um objeto estranho.

Bebê asfixiando com obstrução grave das vias aéreas como indicado por:

  • Cianose

  • Retrações

  • Incapacidade de chorar ou produzir muito som

  • Tosse fraca e ineficaz

  • Estridor

Não interferir se o recém-nascido conseguir chorar e produzir sons significativos, tossir de forma eficaz ou respirar adequadamente, pois não apresenta obstrução grave das vias aéreas. Além disso, tosse e choro fortes podem ajudar a remover o objeto da via respiratória.

How to Treat the Choking Conscious Infant
How to Treat the Choking Conscious Infant
VIDEO

Contraindicações

Contraindicações absolutas:

  • Não aplicar tapas nas costas ou compressões no peito se o recém-nascido parar de respirar por outras razões além de via aérea obstruída, como asma, infecção, edema ou golpe na cabeça.

Contraindicações relativas:

  • Nenhuma

Complicações

  • Lesão ou fratura de arco costal

  • Lesão de órgão interno

Equipamento

  • Nenhuma

Considerações adicionais

  • Realiza-se esse procedimento rápido de primeiros socorros imediatamente sempre que o bebê está sufocando.

Posicionamento

  • Para tapas nas costas, segurar a criança de bruços ao longo do antebraço usando a coxa ou o colo como apoio. Segurar o tórax do bebê com a mão e a mandíbula com os dedos. Apontar a cabeça do bebê para baixo e em um nível mais baixo do que o corpo.

  • Para compressões no peito, segurar a criança virada para cima e com a cabeça para baixo, ao longo do antebraço, usando a coxa ou o colo como apoio. Manter a cabeça do bebê na mão.

Pancadas nas costas — bebês.

Pancadas nas costas são aplicadas com o bebê em posição de cabeça para baixo, para desalojar os corpos estranhos da árvore traqueobrônquica. (Adaptado de Standards and Guidelines for Cardiopulmonary Resuscitation [CPR] and Emergency Cardiac Care [ECC], no Journal of the American Medical Association 25:2956 e 2959, 6 de junho de 1986. Copyright 1986, American Medical Association.)

Pancadas nas costas — bebês.

Empuxos torácicos — bebês.

Empuxos torácicos são aplicados na metade inferior do esterno, logo abaixo do nível do mamilo.

Empuxos torácicos — bebês.

Anatomia relevante

  • As pregas vocais da laringe protegem as vias respiratórias. Alimentos e objetos estranhos que são aspirados e causam obstrução das vias aéreas superiores geralmente se alojam nesse nível.

  • Em bebês e crianças, a cartilagem cricoide é a parte mais estreita da via aérea superior. Os objetos podem ficar presos entre as pregas vocais e o anel cricoide, resultando em obstrução particularmente difícil de resolver.

Descrição passo a passo dos procedimentos e principais pontos de ensino

  • Determinar se há obstrução grave das vias aéreas, que pode colocar em risco a vida do bebê. Procurar sinais de obstrução grave das vias aéreas como incapacidade de chorar de forma audível, tossir de forma eficaz ou respirar adequadamente (p. ex., estridor, retrações, cianose).

  • Se o bebê apresentar choro forte ou estiver tossindo com força, não executar esses procedimentos. Se foi determinado que o bebê tem obstrução grave das vias aéreas, usar os procedimentos a seguir.

  • Pedir que alguém ligue para o 190 e começar os primeiros socorros. Se estiver sozinho, gritar por ajuda e começar os primeiros socorros.

  • Segurar o bebê de bruços ao longo do antebraço usando a coxa ou o colo como apoio. Segurar o tórax do bebê com a mão e abrir a mandíbula puxando-a com os dedos. Apontar a cabeça do bebê para baixo e em um nível mais baixo do que o corpo.

  • Aplicar até 5 tapas rápidos e fortes nas costas entre as escápulas do bebê usando a palma da mão livre.

  • Verificar na boca se o corpo estranho aspirado está visível; se puder ser removido facilmente, removê-lo.

  • Se o objeto não sair da via aérea após 5 tapas nas costas, virar a criança para cima.

  • Segurar o bebê virado para cima ao longo do antebraço usando a coxa ou o colo como apoio. Segurar a cabeça na mão com a cabeça mais baixa que o tronco.

  • Colocar 2 dedos no meio do esterno do bebê logo abaixo dos mamilos. Evitar os arcos costais inferiores ou a ponta do esterno.

  • Aplicar até 5 compressões rápidas, comprimindo o tórax em cerca de 1/3 a ½ da profundidade do tórax — geralmente cerca de 1,5 a 4 cm (0,5 a 1,5 polegadas) para cada compressão.

  • Continuar a aplicar 5 tapas nas costas seguidos de 5 compressões no peito até o objeto ser desalojado ou o recém-nascido ficar inconsciente.

  • Não tentar agarrar e remover o objeto se o bebê estiver consciente.

  • Se o bebê não responder (estiver inconsciente), pedir ajuda e começar RCP no bebê. Se estiver sozinho, após 1 minuto de RCP, ligar para o 190.

  • Se o bebê estiver inconsciente e se for possível ver o objeto bloqueando a via aérea, tentar removê-lo com um dedo. Tentar remover o objeto somente se for possível vê-lo.

Cuidados posteriores

  • Um médico deve examinar o bebê o mais rápido possível, mesmo após reversão bem-sucedida da obstrução das vias respiratórias e da retomada da respiração normal.

Alertas e erros comuns

  • Não aplicar tapas nas costas ou compressões no peito se o bebê asfixiando conseguir chorar de forma audível, tossir com força ou respirar adequadamente.

  • Não aplicar tapas nas costas ou compressões no peito se o recém-nascido parar de respirar por outras razões além de uma via aérea obstruída (p. ex., asma, infecção, angioedema, traumatismo craniano). Aplicar RCP nesses casos.

  • Não fazer varreduras cegas com os dedos em bebês.

  • Não realizar compressões abdominais (manobra de Heimlich) em lactentes.

Dicas e truques

  • É importante usar a gravidade como um aliado. Manter a cabeça do recém-nascido em uma posição mais baixa do que o tronco durante o procedimento.

Referências

  • American Heart Association: Basic Life Support (BLS) Provider Manual. Dallas, American Heart Association, 2016.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Como fazer uma cricotiroidotomia com fio guia
Vídeo
Como fazer uma cricotiroidotomia com fio guia
Como inserir uma linha de infusão intraóssea manualmente
Vídeo
Como inserir uma linha de infusão intraóssea manualmente

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS