Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Eritromelalgia

Por

Koon K. Teo

, MBBCh, PhD, McMaster University, Hamilton, Ontario, Canada

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Eritromelalgia é a vasodilatação paroxística de pequenas artérias de pés e mãos e, com menor frequência, de face, orelhas e joelhos, desencadeando dor em queimação, aumento da temperatura da pele e rubor.

Essa enfermidade rara pode ser primária (de causa desconhecida) ou secundária às doenças mieloproliferativas (p. ex., policitemia vera e trombocitemia), hipertensão, insuficiência venosa, diabetes melito, lupus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide, líquen escleroso, gota, doenças medulares ou esclerose múltipla. Menos frequente é a associação dessa doença ao uso de alguns fármacos (p. ex., nifedipino, bromocriptina). Uma forma rara hereditária de eritromelalgia inicia-se ao nascimento ou na infância.

A dor em queimação, calor e rubor em pés e mãos duram alguns minutos ou várias horas. Na maioria dos pacientes, os sintomas são deflagrados por calor (temperaturas de 29 a 32° C) e são classicamente aliviados por imersão em água gelada. Não se evidenciam alterações tróficas. Os sintomas podem permanecer em baixa intensidade por muitos anos ou se tornarem graves o suficiente para provocar incapacidade total. A disfunção vasomotora generalizada é comum e pode ocorrer fenômeno de Raynaud.

O diagnóstico da eritromelalgia é clínico. Realizam-se exames para detectar as causas. Como a eritromelalgia pode preceder a doença mieloproliferativa em vários anos, pode ser indicada a realização de hemograma seriado.

O diagnóstico diferencial engloba distrofias reflexas pós-traumáticas, síndrome ombro-mão, neuropatia periférica, causalgia, doença de Fabry e celulite bacteriana.

O tratamento da eritromelalgia envolve orientação para evitar calor, além de repouso, elevação do membro e aplicação de frio. Para eritromelalgia primária, a gabapentina pode ser benéfica. Para eritromelalgia secundária, trata-se a doença subjacente; ácido acetilsalicílico pode ser útil quando há envolvimento de uma doença mieloproliferativa.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral da síndrome de Wolff-Parkinson-White
Vídeo
Visão geral da síndrome de Wolff-Parkinson-White
Modelos 3D
Visualizar tudo
Sistema linfático
Modelo 3D
Sistema linfático

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS