Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Conjuntivite de inclusão do adulto

(Conjuntivite por clamídia do adulto; conjuntivite de piscina)

Por

Melvin I. Roat

, MD, FACS, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo abr 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Recursos do assunto

A conjuntivite de inclusão do adulto é causada por Chlamydia trachomatis sexualmente transmissível. Os sintomas incluem hiperemia unilateral crônica e secreção mucopurulenta. O diagnóstico é clínico. O tratamento é feito com antibióticos sistêmicos.

A conjuntivite de inclusão do adulto é causada pelos sorotipos D a K da Chlamydia trachomatis. Na maioria dos casos, a conjuntivite de inclusão do adulto resulta de contato sexual com uma pessoa que tem infecção genital. Normalmente, os pacientes tiveram um novo parceiro sexual nos últimos 2 meses. Raramente, a conjuntivite de inclusão do adulto é adquirida de água de piscina contaminada clorada de maneira incompleta.

Sinais e sintomas

A conjuntivite de inclusão do adulto tem um período de incubação de 2 a 19 dias. A maioria dos pacientes tem secreção mucopurulenta unilateral. A conjuntiva tarsal é frequentemente mais hiperêmica do que bulbar. Caracteristicamente, há uma resposta folicular tarsal acentuada. Ocasionalmente, ocorrem opacidades corneanas superiores e vascularização. Linfonodos pré-auriculares podem estar inchados no lado do olho envolvido. Muitas vezes, os sintomas estiveram presentes por várias semanas ou meses e não responderam a antibióticos tópicos.

Diagnóstico

  • Avaliação clínica

  • Exames laboratoriais

Cronicidade (sintomas por > 3 semanas), secreção mucopurulenta, resposta folicular tarsal marcada e falha dos antibióticos tópicos diferenciam a conjuntivite de inclusão do adulto de outras conjuntivites bacterianas. Esfregaços, culturas bacterianas, e estudos de clamídia devem ser feitos. Técnicas de coloração de imunofluorescência, PCR e culturas especiais são utilizadas para detectar C. trachomatis. Esfregaços e raspados conjuntivais devem ser examinados microscopicamente e coloração com corante de Gram para identificar bactérias e coloração com corante de Giemsa para identificar os corpos de inclusão característicos de células epiteliais basófilas citoplasmáticas da conjuntivite por clamídia.

Dicas e conselhos

  • Se os pacientes têm sintomas de conjuntivite bacteriana, além de uma resposta folicular tarsal marcada (muitas vezes com secreção mucopurulenta), sintomas por > 3 semanas ou falta de resposta a antibióticos tópicos, fazer esfregaços, culturas bacterianas e estudos de clamídia.

Tratamento

  • Azitromicina ou doxiciclina oral

Azitromicina, 1 g, VO, uma única vez, ou doxiciclina, 100 mg VO bid ou eritromicina, 500 mg VO qid, durante 1 semana cura a conjuntivite e infecção genital concomitante. Parceiros sexuais também requerem tratamento.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Glaucoma
Vídeo
Glaucoma
Dentro do olho há duas câmaras cheias de líquido. Líquido intraocular, ou líquido ocular,...
Como irrigar o olho
Vídeo
Como irrigar o olho

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS