Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Aditivos e contaminantes alimentares

Por

Adrienne Youdim

, MD, David Geffen School of Medicine at UCLA

Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Aditivos

São substâncias químicas combinadas aos alimentos para facilitar seu processamento e preservação ou para melhorar sua palatabilidade. Somente quantidades seguras de aditivos testadas em laboratório são permiti­das em alimentos preparados comercialmente.

Analisar os benefícios dos aditivos (p. ex., redução do sabor, aumento da variedade de alimentos, proteção contra doenças de origem alimentar) em relação aos seus riscos costuma ser complexo. Por exemplo, o nitrito, usado em carnes curadas, inibe o crescimento de Clostridium botulinum e melhora o sabor. Entretanto, o nitrito converte-se em nitrosaminas, que são carcinógenas em animais. Por outro lado, a quantidade acrescentada a carnes curadas é pequena quando comparada à quantidade de nitratos presentes naturalmente em alimentos convertidos em nitrito pelas glândulas salivares. A vitamina C da dieta pode reduzir a formação de nitrito no trato gastrointestinal.

Raramente, alguns aditivos (p. ex., sulfitos) causam reações de hipersensibilidade alimentar (alergia). A maioria dessas reações é provocada por alimentos comuns.

Contaminantes

Às vezes, quantidades limitadas de contaminantes são permitidas porque eles não podem ser eliminados por completo sem danificar os alimentos. Pesticidas, metais pesados (chumbo, cádmio, mercúrio), nitratos (em folhas de vegetais verdes), aflatoxinas (em oleaginosas e leite), hormônios (em derivados do leite e carne), pelos e fezes de animais e partes de insetos são contaminantes comuns.

A Food and Drug Administration (FDA) estima níveis de segurança que não causariam doenças e efeitos adversos às pessoas. Entretanto, é muito difícil demonstrar uma relação causal entre a exposição a níveis extremamente baixos e os efeitos adversos; efeitos adversos a longo prazo, embora improváveis, são possíveis. Níveis seguros costumam ser determinados por consensos, não por evidências. Os chamados elementos químicos ambientais que causam desequilíbrio endócrino (p. ex., inseticidas, petroquímicos e solventes industriais) podem comprometer o sistema endócrino e alterar os níveis hormonais, causando modificações nos órgãos reprodutivos, na função imunitária, na função, no crescimento e no desenvolvimento do sistema nervoso e certos tipos de câncer.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS