Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Deficiência de riboflavina

(Deficiência de vitamina B2)

Por

Larry E. Johnson

, MD, PhD, University of Arkansas for Medical Sciences

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

Em geral, a deficiência de riboflavina ocorre com outras deficiências de vitamina B. Sinais e sintomas são faringite, lesões dos lábios e das mucosas bucais, glossite, conjuntivite, dermatite seborreica e anemia normocítica normocrômica. O diagnóstico costuma ser clínico. O tratamento consiste em administração por via oral ou, se necessário, IM de riboflavina.

A riboflavina é uma coenzima fundamental para a realização de muitas reações de oxirredução que ocorrem no metabolismo dos carboidratos e das proteínas (ver tabela Fontes, funções e efeitos das vitaminas). É essencialmente não tóxica.

Suas fontes alimentares são leite, queijos, fígado, carnes, ovos e cereais enriquecidos (Ver também Visão geral das vitaminas.)

Etiologia

A deficiência primária de riboflavina resulta da ingestão inadequada de:

  • Cereais fortificados

  • Leite

  • Outros produtos de origem animal

Deficiência secundária de riboflavina é mais comumente causada por:

Sinais e sintomas

Os sinais mais comuns da deficiência de riboflavina são palidez e maceração da mucosa dos ângulos da boca (estomatite angular) e superfície dos lábios vermelha (queilose), por fim substituída por fissuras lineares. Essas fissuras podem tornar-se infectadas com Candida albicans, causando lesões esbranquiçadas. A língua pode tornar-se magenta.

Ocorre dermatite seborreica, geralmente afetando pregas nasolabiais, orelhas, pálpebras, escroto e grandes lábios. Essas áreas tornam-se vermelhas, escamosas e gordurosas.

Raramente ocorrem neovascularização e queratite da córnea, causando lacrimejamento e fotofobia.

Diagnóstico

  • Teste terapêutico

  • Excreção urinária de riboflavina

As lesões características da deficiência de riboflavina são inespecíficas. Deve-se suspeitar de deficiência de riboflavina se houver sinais característicos em pacientes com outras deficiências de vitaminas do complexo B.

O diagnóstico da deficiência de riboflavina é confirmado por exame laboratorial, geralmente dosando-se a excreção urinária de riboflavina.

Tratamento

  • Riboflavina oral e outras vitaminas solúveis em água

Administra-se 5 a 10 mg de riboflavina VO uma vez ao dia até a recuperação. Outras vitaminas solúveis em água também são administradas.

Pontos-chave

  • Deficiência de riboflavina provoca diversas lesões inespecíficas da pele e das mucosas, incluindo maceração da mucosa nos ângulos da boca (estomatite angular) e as superfícies dos lábios (queilose).

  • Suspeitar de deficiência de riboflavina em pacientes com sintomas característicos e outras deficiências de vitamina B; confirmá-la com um ensaio terapêutico com suplementos de riboflavina ou medição da excreção urinária de riboflavina.

  • Tratar com suplemento de riboflavina e outras vitaminas solúveis em água.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS