Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Nefronoftise e doença renal tubulointersticial autossômica dominante (DRTAR)

Por

Navin Jaipaul

, MD, MHS, Loma Linda University School of Medicine

Última modificação do conteúdo jan 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Nefronoftise e doença renal tubulointersticial autossômica dominante (DRTAD) são doenças hereditárias que causam cistos restritos à medula renal ou à junção corticomedular e, eventualmente, insuficiência renal em estágio final.

Nefronoftise e doença renal tubulointersticial autossômica dominante (DRTAD) são agrupadas porque compartilham várias características. Patologicamente, podem causar cistos restritos a medula renal ou junção corticomedular, assim como uma tríade de atrofia tubular, desintegração da membrana basal tubular e fibrose intersticial. Cistos podem ou não estar presentes e são um resultado da dilatação tubular. Provavelmente, compartilham mecanismos similares, apesar de não serem bem caracterizados. Ambas as doenças apresentam as seguintes características:

  • Defeito na concentração urinária resistente à vasopressina (ADH) que causa poliúria e polidipsia

  • Perda de sódio intensa o suficiente para exigir suplementação

  • Anemia

  • Tendência a proteinúria leve e sedimento urinário benigno

  • Eventualmente, doença renal em estágio terminal (DRET)

As principais diferenças entre a nefronoftise e a doença medular renal cística incluem os padrões de herança e a idade de início da doença renal crônica.

Nefronoftise

A herança é autossômica recessiva. A nefronoftise é responsável por até 15% dos casos de insuficiência renal crônica em crianças e adultos jovens (< 20 anos de idade). Há 3 tipos:

  • Infantil, idade média de início 1 ano

  • Juvenil, idade média de início 13 anos

  • Adolescente, idade média de início 19 anos

Onze mutações em genes foram identificadas em pacientes com nefronoftise. As mutações do gene NPHP1 são as mais comuns, identificadas em cerca de 30 a 60% dos pacientes. Ao redor de 10% dos pacientes com nefronoftise também apresentam outras manifestações, incluindo retinite pigmentar, fibrose hepática, retardo intelectual e outras alterações neurológicas.

A DRET geralmente se desenvolve durante a infância e causa restrição do crescimento e doença óssea. Entretanto, em muitos pacientes, esses problemas desenvolvem-se lentamente ao longo de anos e são tão bem compensados que não são reconhecidos como anormais até que surjam sintomas urêmicos significativos. Algumas vezes, desenvolve-se hipertensão.

Diagnóstico

  • Exames de imagem, exames genéticos ou ambos

Deve-se suspeitar do diagnóstico em crianças com as seguintes características, em especial quando o sedimento urinário é benigno:

  • Polidipsia e poliúria

  • Diminuição progressiva da função renal, particularmente sem hipertensão

  • Achados extrarrenais associados

  • Anemia desproporcional ao grau da insuficiência renal

Geralmente, a proteinúria está ausente. O diagnóstico é confirmado por exames de imagem, mas os cistos geralmente ocorrem tardiamente na doença. Ultrassonografia, TC, ou RM podem mostrar limites renais lisos com rins de tamanho normal ou pequenos, perda da diferenciação corticomedular e múltipos cistos na junção corticomedular. Hidronefrose tipicamente está ausente. Dispõem-se de exames genéticos para diagnóstico.

Tratamento

  • Cuidados de suporte

No início da doença, o tratamento é feito pelo controle da hipertensão, alteraçòes eletrolíticas, distúrbios ácido-básicos e anemia. Crianças com restrição de crescimento podem responder a suplementos nutricionais e tratamento com hormônio de crescimento. Essencialmente, todos os pacientes desenvolvem doença renal crônica e exigem diálise ou transplante.

Doença renal tubulointersticial autossômica dominante (DRTAD)

Doença renal tubulointersticial autossômica dominante (anteriormente conhecida como doença renal cística medular) é um grupo de doenças genéticas raras. Um relatório de consenso (1) dos Kidney Disease Improving Global Outcomes (KDIGO) propôs classificar essas doenças com base no gene causador, do qual 4 são atualmente conhecidos ( Doença renal tubulointersticial autossômica dominante: classificação baseada em gene).

Tabela
icon

Doença renal tubulointersticial autossômica dominante: classificação baseada em gene

Gene causador

Terminologia anterior

Características

Uromodulina (UMOD)

Doença renal da uromodulina (DRU)

Doença renal associada à uromodulina (DRAU)

Nefropatia hiperuricêmica juvenil familiar (NHJF)

Doença renal cística medular tipo 2 (DRCM2)

Raramente presente na infância

Gota precoce com hiperuricemia

Mucina-1 (MUC1)

Doença renal de mucina-1 (DRM)

Doença renal cística medular tipo 1 (DRCM1)

Nenhuma apresentação na infância

Renina (REN)

Nefropatia hiperuricêmica juvenil familiar tipo 2 (NHJF2)

Apresentação frequente na infância

Hipotensão leve

Risco de anemia, hiperuricemia e hiperpotassemia

Fator nuclear do hepatócito 1-beta (HNF1B)

Diabetes mellitus de início na maturidade do tipo Young 5 (MODY5)

Cisto renal e síndrome do diabetes (CRSD)

Apresentação frequente na infância

Resultados ultrassonográficos pré-natais

Anormalidades genitais

Atrofia pancreática

Hipomagnesemia, hipopotassemia

Anormalidades no teste de enzima hepática

Alterações histopatológicas comuns para essas doenças incluem

  • Fibrose intersticial

  • Atrofia tubular

  • Espessamento das membranas basais tubulares

  • Possível formação de cistos como resultado da dilatação tubular

  • Ausência do complemento e coloração de imunoglobulina na imunofluorescência.

A doença renal tubulointersticial autossômica dominante afeta indivíduos entre 30 e 70 anos de idade. Cerca de 15% de todos os pacientes não têm história familiar, o que sugere uma nova mutação esporádica. Hipertensão é comum, mas geralmente apenas modesta e normalmente não precede o início da disfunção renal. Hiperuricemia e gota são comuns e podem preceder o início de insuficiência renal significativa. A DRET tipicamente ocorre entre 30 e 50 anos de idade. Deve-se suspeitar de DRTAD em pacientes com os seguintes achados, especialmente quando o sedimento urinário é benigno:

Proteinúria ausente ou leve. Os resultados dos exames de imagem apresentam muitas semelhanças com os da nefronoftise; entretanto, os cistos renais medulares só são visíveis algumas vezes. Exames genéticos podem confirmar o diagnóstico. A biópsia renal pode ser necessária em pelo menos um membro familiar afetado.

O tratamento geralmente é semelhante ao tratamento da nefronoftise. Alopurinol pode melhorar o controle da gota.

Referência sobre o tratamento

Pontos-chave

  • Nefronoftise e doença renal tubulointersticial autossômica dominante causa incapacidade de concentrar a urina (com polidipsia e poliúria), perda de sódio, anemia e DRET.

  • Nefronoftise é autossômica recessiva e causa DRET durante a infância, enquanto DRTAD é autossômica dominante e provoca DRET aos 30 a 50 anos de idade.

  • Obter imagem renal e, quando disponível, exame genético.

  • Tratar as doenças associadas e tratamento de suporte da doença renal.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS