Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Nistagmo

Por

Lawrence R. Lustig

, MD,

  • Columbia University Medical Center and New York Presbyterian Hospital

Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

O nistagmo é um movimento rítmico dos olhos, que pode ter várias causas.

Distúrbios vestibulares podem resultar em nistagmo, pois o sistema vestibular e os núcleos oculomotores estão interligados. A presença de nistagmo vestibular ajuda a identificar distúrbios vestibulares e, por vezes, distingue a vertigem central da periférica. Nistagmo vestibular tem um componente lento causado pela ação vestibular e um componente rápido, de correção, que faz o movimento na direção oposta. A direção do nistagmo é definida pela direção do componente rápido, pois é mais fácil de ver. O nistagmo pode ser rotatório, vertical ou horizontal e pode ocorrer espontaneamente, com o olhar, ou com o movimento da cabeça.

A inspeção inicial para o nistagmo é feita com o paciente deitado de costas com o olhar desfocado (lentes de +30 dioptrias ou de Frenzel podem ser usadas para evitar a fixação olhar). O paciente é, então, lentamente girado para a esquerda e, em seguida, para uma posição lateral direita. A direção e a duração do nistagmo são anotadas. Se o nistagmo não for detectado, o teste de Dix-Hallpike (ou Barany) é realizado. Nessa manobra, o paciente senta-se ereto em uma maca, de modo que, quando deitado de costas, a cabeça se estenda para além do fim da maca. Com suporte do examinador, o paciente é rapidamente deitado, e a cabeça é estendida para trás 45° abaixo da linha horizontal e rodado 45° para a esquerda. Observam-se a direção e duração do nistagmo, bem como a sensação de vertigem. Volta-se o paciente à posição vertical e a manobra é repetida com a rotação para a direita. Qualquer posição ou manobra que cause nistagmo deve ser repetida para verificar se ele é fatigável.

Nistagmo secundário aos distúrbios do sistema nervoso periférico tem período de latência de 3 a 10 segundos e é rapidamente fatigável, enquanto o nistagmo secundário às alterações do sistema nervoso central não tem nenhum período de latência e não fadiga. Durante o nistagmo induzido, o paciente é instruído a se concentrar em um objeto. Nistagmo causado por distúrbios periféricos sofrem inibição por meio da fixação visual. Em razão das lentes de Frenzel impedirem a fixação visual, elas devem ser removidas para avaliar a fixação visual.

A estimulação calórica do canal auditivo induz nistagmo em pessoa com sistema vestibular intacto. A falha para induzir nistagmo ou uma diferença de > 20 a 25% no tempo de duração entre os lados sugere lesão no lado da resposta diminuída. A quantificação da resposta calórica é mais bem feita com a eletronistagmografia (computadorizada) formal.

A capacidade do sistema vestibular para responder à estimulação periférica pode ser avaliada à beira do leito. Cuidados devem ser tomados para não irrigar uma orelha com perfuração da membrana timpânica conhecida ou infecção crônica. Com o paciente na posição supina e a cabeça elevada a 30°, cada orelha é irrigada sequencialmente com água gelada. Alternativamente, utiliza-se água morna (40 a 44° C), tomando cuidado para não queimar o paciente com água excessivamente quente. Água fria causa nistagmo no lado oposto; água morna provoca nistagmo no mesmo lado. Um dispositivo mnemônico é FOMM (Fria no lado Oposto e Morna no Mesmo lado). Para pacientes com perfuração da membrana timpânica, pode-se substituir a água por ar quente e frio.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS