Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Linfangite

Por

A. Damian Dhar

, MD, JD, North Atlanta Dermatology

Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

É uma infecção aguda bacteriana (em geral, por estreptococos) dos canais linfáticos periféricos.

As causas típicas da linfangite são os estreptococos. Causas raras da linfangite incluem infecções estafilocócicas, infecções por Pasteurella, Erysipelothrix, antraz, infecções por herpes simples, linfogranuloma venéreo, infecções por riquétsias, esporotricose, infecções por Nocardia, leishmaniose, tularemia, infecções por Burkholderia e infecções micobacterianas atípicas. Patógenos penetram os canais linfáticos a partir de abrasão, ferimento ou infecção coexistente (em geral, celulite). Os pacientes com linfedema subjacente estão em risco especial.

Trajetos eritematosos, sensíveis, irregulares e quentes se desenvolvem na extremidade, estendendo-se proximais à lesão periférica em direção aos linfonodos regionais, que estão evidentemente aumentados de tamanho e sensíveis. Manifestações sistêmicas (p. ex., febre, taquicardia, crises de calafrios, cefaleia) podem ocorrer e ser mais intensas do que demonstram os achados cutâneos. Leucocitose é comum. Pode ocorrer bacteremia. Raramente, há celulite com supuração, necrose e ulceração ao longo dos canais linfáticos afetados em consequência da linfangite primária.

O diagnóstico da linfangite é clínico. Geralmente, não há necessidade de isolar o agente causal.

A maioria dos casos responde rapidamente aos antibióticos antiestreptocócicos (ver Tratamento da celulite). Se a resposta ao tratamento é ruim ou as manifestações são incomuns, patógenos raros devem ser considerados.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS