Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Eritrasma

Por

Wingfield E. Rehmus

, MD, MPH, University of British Columbia

Última modificação do conteúdo fev 2021
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

É uma infecção intertriginosa por Corynebacterium minutissimum, que é mais comum em pacientes diabéticos e em indivíduos que vivem em climas mais quentes. O diagnóstico é clínico. O tratamento é com claritromicina oral ou antibióticos tópicos.

O eritrasma assemelha-se a intertrigo ou tinha. Mais comumente afeta os pés, onde se manifesta como descamação superficial, fissuras e maceração, tipicamente confinadas ao 3º e 4º espaço interpododáctilos. Eritrasma na virilha manifesta-se como mancha rósea ou de cor marrom, irregular, mas bem delimitada, com descamação fina. Eritrasma também comete as axilas, dobras submamárias ou abdominais, períneo, principalmente em mulheres obesas de meia-idade e em diabéticos.

Eritrasma sob a luz de Wood fluoresce com a característica cor vermelho-coral devido à produção de porfirinas pela bactéria causadora. Diferencia-se da tinha pela ausência de hifas no raspado de pele.

O diagnóstico diferencial do eritrasma inclui a celulite estreptocócica perianal. A celulite estreptocócica perianal causa dor e eritema vermelho claro apenas na pele perianal e não tem fluorescência ao exame com luz de Wood. Culturas para estreptococos do grupo A realizadas em esfregaços de pele de crianças afetadas são positivas. Geralmente é necessária terapia oral direcionada a estreptococos para tratar a infecção estreptocócica perianal.

Tratamento

  • Claritromicina oral

  • Antibióticos tópicos

O tratamento do eritrasma é uma dose de oral de 1 g de claritromicina. Eritromicina tópica, clindamicina, mupirocina a 2%, ácido fusídico e peróxido de benzoíla também são eficazes. Antissépticos tópicos contendo clorexidina ou cloreto de benzalcônio demonstraram ser eficazes contra Corynebacterium in vitro e podem ajudar pacientes com eritrasma.

Um a dois tratamentos (80 J/cm2) com luz vermelha de banda larga (635 nm) foram bem-sucedidos em uma pequena série de casos. A recorrência é comum.

Se o exame com luz de Wood e hidróxido de potássio (KOH) ou cultura fúngica não estiverem disponíveis para distinguir entre eritrasma e infecção fúngica superficial, deve-se considerar uma combinação de preparações tópicas antibacterianas e antifúngicas.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS