Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Líquen simples crônico

(Neurodermatite)

Por

Thomas M. Ruenger

, MD, PhD, Georg-August University of Göttingen, Germany

Última modificação do conteúdo fev 2021
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

O líquen simples crônico é uma dermatite crônica causada por coçar e/ou esfregar repetidamente a pele. Coçar ou esfregar causa ainda mais prurido, o que leva a coçar e/ou esfregar adicionais, criando um círculo vicioso (ciclo de prurido-coçar). O diagnóstico é por exame. O tratamento é direcionado à causa inicial do prurido e inclui orientações e técnicas comportamentais para prevenir o ato de coçar e a fricção, corticoides tópicos e anti-histamínicos.

Etiologia do líquen simples crônico

Líquen simples crônico é a pele espessa e coriácea (liquenificada) com descamação variável secundária a repetidas coçaduras ou atrito. Líquen simples crônico não é um processo primário. A percepção de prurido em uma área específica da pele (com ou sem doença de base) provoca atrito e trauma mecânico resultando em liquenificação secundária seguida de prurido. É observado com frequência em pacientes com alterações da ansiedade e estresse emocional inespecífico. Pacientes com atopia ou dermatite atópica são particularmente suscetíveis, dada sua predisposição ao prurido. O líquen simples crônico do escroto ou da vulva costuma ser causado por um sinal de prurido desencadeado por radiculopatia do neurônio sensitivo sacral.

Fisiopatologia do líquen simples crônico

A partir de um sinal de prurido inicial (cuja razão às vezes não é clara), o paciente reage coçando e/ou friccionando a pele repetidamente. A fisiopatologia do líquen simples crônico é desconhecida, mas pode ter relação com a alteração na maneira como o sistema nervoso percebe e processa a sensação de prurido.

Sinais e sintomas do líquen simples crônico

O líquen simples crônico é caracterizado por placas (únicas ou múltiplas) pruriginosas, secas, descamativas, hiperpigmentadas, liquenificadas de formato irregular, oval ou angular. Acomete as regiões mais fáceis de atingir, como pernas, braços, pescoço, tronco superior e região genital. Não ocorre em áreas da pele em que o paciente não consegue alcançar, como o meio das costas (a menos que o paciente utilize uma ferramenta para coçar as costas).

Prurigo nodular é uma doença relacionada, provavelmente uma manifestação mais proeminente. Nessa doença, as lesões cutâneas (nódulos) são mais espessas e geralmente múltiplas.

Diagnóstico do líquen simples crônico

  • Avaliação clínica

O diagnóstico de líquen simples crônico é feito pelo exame físico. Uma placa completamente desenvolvida é frequentemente hiperpigmentada com quantidades variáveis de eritema bem demarcado e com linhas de pele exageradas e uma aparência espessada e coriácea característica da liquenificação.

Tratamento do líquen simples crônico

  • Tratamento da causa do prurido

  • Orientações e alterações comportamentais

  • Corticoides (com mais frequência tópicos, mas algumas vezes, injetados por via intralesional)

  • Anti-histamínicos

Se for possível identificar uma causa inicial para o prurido (p. ex., radiculopatia, sapatos mal ajustados, atopia), deve-se tratar ou abordá-la. Do contrário, o tratamento primário do líquen simples crônico é informar o paciente sobre os efeitos do ato de coçar e friccionar.

O tratamento secundário é com corticoides tópicos. Em geral, lesões espessas e bem definidas requerem corticoide tópico de alta potência (p. ex., pomada de clobetasol). Pode-se aumentar mais a eficácia usando o corticoide tópico sob oclusão, como por exemplo cobrindo a área tratada com filme plástico e deixando-o durante a noite. Há também produtos comerciais disponíveis nos quais um corticoide tópico (p. ex., flurandrenolida) é integrado a uma fita adesiva oclusiva. Pode-se aplicar injeções locais de um corticoide de ação estendida a pequenas áreas, como uma suspensão injetável de cristal de acetonida de triancinolona a 5 a 10 mg/mL; o tratamento pode ser repetido a cada 3 a 4 semanas.

Anti-histamínicos orais bloqueadores de H1, emolientes e creme tópico de capsaicina também podem ser úteis.

Pontos-chave

  • Começando com um prurido inicial, o coçar e/ou esfregar crônico causa mais prurido, criando um círculo vicioso.

  • Placas ressecadas, escamosas, hiperpigmentadas, liquenificadas e que coçam ocorrem em formas irregulares, ovais ou angulares nas pernas, braços, pescoço, parte superior do tronco e região anogenital.

  • O diagnóstico é clínico; biópsia é raramente necessária.

  • Se identificável, deve-se abordar a causa do prurido inicial.

  • Os pacientes precisam ser orientados quanto ao círculo vicioso do ato de coçar e friccionar e evitar fazer isso repetidamente; corticoides tópicos e anti-histamínicos ajudam a controlar o prurido.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS