Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Introdução a questões sociais que afetam os idosos

Por

Daniel B. Kaplan

, PhD, LICSW, Adelphi University School of Social Work;


Barbara J. Berkman

, DSW, PhD, Columbia University School of Social Work

Última revisão/alteração completa mai 2019| Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Com a idade, a capacidade para realizar as tarefas diárias (capacidade funcional) declina em certo grau em cada um. Além disso, pessoas idosas, em média, tendem a ter mais disfunções e incapacidades do que pessoas jovens. Mas as mudanças que acompanham o envelhecimento são mais do que simples mudanças na saúde. Questões sociais (como condições de vida ou tipo de atividades diárias) influenciam o risco e a experiência de doença de um idoso.

Os médicos frequentemente fazem o que se chama histórico social, isso os ajuda e a outros membros da equipe de saúde a avaliar as necessidades de cuidados e de apoio social da pessoa. Os médicos usam o histórico social para ajudar o idoso e qualquer cuidador a planejar os cuidados. Os médicos podem fazer perguntas sobre o seguinte:

  • Estado civil familiar e conjugal

  • Formas alternativas de viver

  • Situação financeira

  • Histórico de trabalho

  • Educação

  • Atividades diárias típicas (por exemplo, como preparam as refeições, que atividades dão sentido à vida e quais problemas podem ocorrer)

  • Necessidade e disponibilidade dos cuidadores

  • Histórico de perdas, traumas (por exemplo, padrões de violência familiar, episódios de agressão sexual ou muitos anos de opressão racial) e o enfrentamento de problemas surgidos das adversidades

  • Histórico de uso de substâncias e questões legais

  • As responsabilidades próprias de cuidados do idoso (porque as pessoas idosas que cuidam de familiares podem relutar em relatar seus próprios sintomas para que qualquer procedimento médico ou hospitalização não interfira nos cuidados oferecidos)

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Continuidade de cuidados
Vídeo
Continuidade de cuidados

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS