Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Qualidade de vida em pessoas idosas

Por

Richard W. Besdine

, MD, Warren Alpert Medical School of Brown University

Última revisão/alteração completa abr 2019| Última modificação do conteúdo abr 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Qualidade de vida, com frequência, é definida como um padrão de saúde, conforto e felicidade e, como tal, é altamente pessoal. O que uma pessoa considera qualidade de vida pode ser muito diferente do que outra pessoa pensa a respeito. No entanto, para muitas pessoas, a qualidade de vida muitas vezes gira em torno da saúde e das opções de cuidados de saúde. Por essa razão, as pessoas e seus médicos devem considerar o impacto sobre a qualidade de vida ao tomarem as decisões sobre questões de saúde.

Qualidade de vida relacionada à saúde

A forma como a saúde afeta a qualidade de vida depende da pessoa. A qualidade de vida relacionada à saúde tem múltiplas dimensões, as quais incluem:

  • Prevenir sintomas desconfortáveis (tais como dor, falta de ar, náusea, constipação)

  • Sentir-se emocionalmente saudável

  • Ser capaz de realizar atividades normais envolvidas na vida diária (como tomar banho, vestir-se e ir ao banheiro)

  • Manter relações interpessoais próximas com amigos e familiares

  • Desfrutar de atividades sociais

  • Sentir-se satisfeito com os aspectos médicos e financeiros do tratamento de saúde

  • Ter uma imagem corporal e sexualidade saudáveis (incluindo relações íntimas)

Alguns dos fatores que influenciam a qualidade de vida relacionada à saúde (como comprometimento mental, incapacidade, dor crônica e isolamento social) podem ser óbvios para as pessoas e seus médicos. Por exemplo, a maioria das pessoas considera que evitar ou controlar a dor crônica é importante para manter uma alta qualidade de vida. Outras influências podem não estar manifestamente ligadas aos cuidados de saúde, como a qualidade das relações próximas, influências culturais, religião, espiritualidade, valores pessoais e experiências anteriores de uma pessoa com cuidados de saúde. A forma como alguns fatores afetam a qualidade de vida pode não ser necessariamente prevista. Além disso, alguns fatores que acabam afetando a qualidade de vida podem nem ter sido previstos.

Igualmente, as perspectivas sobre a qualidade de vida podem mudar com as circunstâncias. Por exemplo, pessoas que sofreram um acidente vascular cerebral que tenha causado incapacidade grave podem optar por manter uma qualidade de vida que, antes do acidente vascular cerebral, teriam considerado ruim ou mesmo inaceitável.

Comunicar-se com profissionais da área da saúde

As pessoas devem conversar com seus médicos e outros profissionais de saúde sobre sua qualidade de vida e sobre como seus problemas de saúde afetam sua vida. Os médicos devem ouvir cuidadosamente para determinar os objetivos de cuidados de saúde e as preferências da pessoa. Mesmo as pessoas com demência ou comprometimento cognitivo leve podem tornar conhecidas suas preferências quando os médicos recorrem a explicações e perguntas simples. Ter familiares presentes ao discutir as preferências de uma pessoa com comprometimento cognitivo pode ser útil.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Continuidade de cuidados
Vídeo
Continuidade de cuidados

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS