Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Tuberculose (TB) em recém-nascidos

(Tuberculose perinatal)

Por

Brenda L. Tesini

, MD, University of Rochester School of Medicine and Dentistry

Última revisão/alteração completa nov 2018| Última modificação do conteúdo nov 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Tuberculose é uma infecção contagiosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis.

  • Recém-nascidos podem ser expostas à bactéria de várias maneiras.

  • Os sintomas incluem febre, diminuição da energia e dificuldade para respirar.

  • O diagnóstico pode envolver uma radiografia do tórax, um exame de sangue, exame e cultura de líquido e de amostras de tecido e uma punção lombar.

  • Um antibiótico pode ser administrado para bebês que foram expostos a alguém com infecção ativa mesmo que não esteja doente.

  • Recém-nascidos e gestantes infectados recebem antibióticos para tratar a infecção.

Bebês são infectados quando são expostos à Mycobacterium tuberculosis. Bebês podem ser expostos de várias maneiras:

  • Antes do nascimento: A infecção ocorre se a bactéria atravessar a placenta (o órgão que fornece nutrição a ele) e infectar o feto.

  • Durante o nascimento: A infecção ocorre se o recém-nascido respirar ou ingerir fluido infectado do canal de parto.

  • Após o nascimento: A infecção ocorre se o recém-nascido inalar gotículas infectadas que foram expelidas pela tosse ou espirro por familiares ou funcionários do berçário.

Cerca de 50% das crianças nascidas de mães com infecção pulmonar ativa por tuberculose desenvolvem a infecção durante o primeiro ano de vida, a menos que antibióticos preventivos ou uma vacina chamada bacilo Calmette-Guérin (BCG) seja administrada. Pessoas com infecção pulmonar ativa por tuberculose estão doentes e podem transmitir a doença aos outros.

Sintomas

Alguns recém-nascidos não apresentam sintomas.

Os recém-nascidos podem parecer doentes e podem ter febre, baixa energia, dificuldade para respirar ou uma pneumonia de difícil tratamento. Eles podem ter atraso no crescimento e no aumento de peso (insucesso de desenvolvimento). Como a tuberculose costuma afetar múltiplos órgãos, os recém-nascidos também podem ter fígado e baço aumentados.

Diagnóstico

  • Radiografia do tórax

  • Cultura e exame de amostras de tecido ou líquido

  • Às vezes, testes na pele

Alguns recém-nascidos precisam de testes e outros não.

Recém-nascidos que precisam de testes

Os seguintes testes são feitos em qualquer recém-nascido que tenha sintomas sugerindo tuberculose ou que nasceu de uma mãe com infecção ativa por tuberculose:

  • Radiografia do tórax

  • Cultura e exame de amostras de tecido ou líquido

  • Punção lombar

  • Exames de sangue

  • Às vezes, teste cutâneo para tuberculose

Uma radiografia do tórax pode mostrar sinais de tuberculose.

Amostras de fluidos e tecido são coletadas da garganta, estômago, urina e placenta. Estas amostras são examinadas ao microscópico para investigar se há bactérias de tuberculose e são usadas para fazer crescer bactérias em uma cultura.

Uma punção lombar é feita para coletar uma amostra de líquido cefalorraquidiano para testes.

Exames de sangue são feitos para determinar se o recém-nascido tem alguma outra infecção, como infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV).

Às vezes, um teste cutâneo para tuberculose é feito em recém-nascidos. Nesse teste, uma pequena quantidade de proteína derivada das bactérias da tuberculose (tuberculina) é injetada sob a pele. Aproximadamente 2 dias depois, o local da injeção é analisado. Se o local da injeção estiver maior do que determinado tamanho, o teste é considerado positivo, indicando que o recém-nascido foi infectado pela bactéria da tuberculose. No entanto, às vezes, o teste não mostra uma infecção, mesmo que o recém-nascido esteja infectado. Nesses casos, se os médicos ainda estiverem preocupados, eles podem fazer exames adicionais.

Recém-nascidos que podem precisar de testes

Qualquer recém-nascido que pareça estar bem e cuja mãe tem um teste cutâneo positivo, mas não tem sinais de tuberculose em uma radiografia do tórax nem evidências de uma infecção ativa por tuberculose, deve ser monitorado cuidadosamente pelos médicos. Todos os seus membros da família devem ser avaliados. Se, após a avaliação os médicos determinarem que o recém-nascido não foi exposto a uma infecção ativa por tuberculose, o recém-nascido não precisará ser testado ou tratado. Se, após a avaliação os médicos determinarem que o recém-nascido foi exposto a uma infecção ativa por tuberculose, os testes acima são feitos no recém-nascido.

Prevenção

Os médicos normalmente administram o antibiótico isoniazida a bebês que foram expostas a uma infecção ativa por tuberculose mesmo que não estejam doentes, porque esse medicamento ajuda a prevenir a ativação da infecção.

Em grande parte do mundo em desenvolvimento, onde o risco de desenvolver tuberculose é maior, uma vacina chamada bacilo Calmette-Guérin (BCG) é rotineiramente administrada a recém-nascidos para ajudar a prevenir tuberculose na infância. Os médicos geralmente não recomendam a vacina BCG para pessoas que vivem em países desenvolvidos porque o risco de infecção é menor.

Tratamento

  • Isoniazida

  • Outros medicamentos

Recém-nascidos com infecção ativa por tuberculose podem ser tratados com uma combinação dos antibióticos isoniazida, rifampicina, pirazinamida, etionamida e etambutol e, às vezes, outros medicamentos.

Recém-nascidos com teste cutâneo positivo ou que são expostos a tuberculose ativa após o nascimento recebem isoniazida para evitar o desenvolvimento da infecção.

Em recém-nascidos, todos os medicamentos para tuberculose são tomados durante pelo menos seis meses.

Gestantes em alto risco de desenvolver tuberculose recebem isoniazida, juntamente com suplementos de vitamina B6 (piridoxina) por 9 meses. Algumas mulheres expostas à tuberculose durante a gravidez podem não receber isoniazida e vitamina B6 até após o primeiro trimestre ou após o parto, dependendo do seu risco de desenvolver tuberculose ativa.

Gestantes com infecção ativa por tuberculose recebem uma combinação de isoniazida, etambutol e rifampicina por pelo menos 9 meses.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Como tirar a temperatura de um bebê ou de uma criança
Vídeo
Como tirar a temperatura de um bebê ou de uma criança
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrose cística: Espessamento do muco
Modelo 3D
Fibrose cística: Espessamento do muco

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS