honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Retinopatia da prematuridade (RDP)

Por

Leila M. Khazaeni

, MD, Loma Linda University School of Medicine

Última revisão/alteração completa jul 2020| Última modificação do conteúdo jul 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A retinopatia da prematuridade é um distúrbio no qual os pequenos vasos sanguíneos no fundo dos olhos (retina) do bebê prematuro crescem de maneira anômala.

  • A retinopatia da prematuridade está significativamente associada ao parto prematuro e a maioria dos casos ocorre em bebês que nascem antes de 30 semanas de gestação.

  • Nos casos mais graves, o crescimento rápido e anômalo dos pequenos vasos sanguíneos pode causar o descolamento da retina e a perda de visão.

  • Uma vez que os recém-nascidos afetados não apresentam sintomas, o diagnóstico depende de um exame cuidadoso do olho por um especialista (oftalmologista).

  • Esse distúrbio é, em geral, brando e se resolve sem tratamento, mas os olhos precisam ser monitorados por um oftalmologista até o crescimento dos vasos sanguíneos amadurecer.

  • Caso o distúrbio seja grave, o recém-nascido precisa de tratamento a laser, injeções de bevacizumabe ou cirurgia para evitar a perda da visão.

Os vasos sanguíneos da retina começam a crescer quando o feto tem aproximadamente 18 a 20 semanas de idade gestacional e continuam a crescer até que o desenvolvimento do feto esteja completo. Quando o bebê nasce muito prematuramente, pode ocorrer uma interrupção no crescimento dos vasos sanguíneos que irrigam a retina. Quando o crescimento recomeça, ocorre de forma desorganizada. Os pequenos vasos sanguíneos podem sangrar durante um crescimento rápido desorganizado. Nos casos mais graves, esse processo pode acabar causando o descolamento da retina do fundo do olho e perda de visão grave.

Viewing the Retina

Viewing the Retina

Os bebês prematuros correm um risco maior de ter retinopatia da prematuridade se tiverem doenças sérias como infecções, sangramento cerebral ou distúrbios pulmonares (como, displasia broncopulmonar). O risco também é maior para bebês prematuros que recebem oxigênio por tempo prolongado (por exemplo, porque os pulmões ainda não amadureceram).

Diagnóstico

  • Exames de olho

A retinopatia da prematuridade não causa sintomas; assim, o diagnóstico depende de um exame cuidadoso do fundo do olho por um oftalmologista (um médico especializado na avaliação e tratamento de todos os tipos de distúrbios oculares). Por isso, o oftalmologista deve examinar rotineiramente os olhos de todos os recém-nascidos prematuros que pesam menos de 1.500 gramas ao nascer ou que permaneceram no útero menos de 30 semanas. Os exames oculares são repetidos a cada 1 a 3 semanas, conforme necessário, até o crescimento dos vasos sanguíneos da retina estar concluído.

Os bebês recém-nascidos com retinopatia grave devem passar por exames oculares pelo menos uma vez por ano durante toda a vida. Se for detectado precocemente, o descolamento da retina pode ser tratado cirurgicamente para tentar evitar a perda da visão no olho afetado.

Prognóstico

A retinopatia da prematuridade é, em geral, leve e se resolve espontaneamente. Contudo, entre 20 e 40% dos bebês afetados que pesam menos de um quilograma no nascimento apresentam distúrbio grave e, em aproximadamente 4% desses bebês, ele avança até causar o descolamento da retina e perda de visão no prazo de dois a 12 meses após o parto.

Uma criança que teve retinopatia da prematuridade e se curou corre um risco maior de desenvolver outros problemas de visão, como miopia,estrabismo e ambliopia. Algumas crianças que tiveram retinopatia da prematuridade moderada e já curada ficam com cicatrizes na retina e correm o risco de apresentar descolamento da retina quando forem mais velhas. Em casos raros, pode ocorrer também glaucoma e cataratas.

Prevenção

Quando o recém-nascido prematuro precisa de oxigênio, a saturação de oxigênio é monitorada cuidadosamente de maneira que a menor quantidade de oxigênio necessária seja administrada. Os níveis de oxigênio podem ser indiretamente monitorados usando um oxímetro de pulso (um sensor externo que mede a concentração de oxigênio no sangue passando por um dedo da mão ou do pé).

Tratamento

  • Fotocoagulação a laser

  • Bevacizumabe

  • Às vezes, cirurgia

No caso de retinopatia da prematuridade muito grave, tratamento com fotocoagulação a laser é realizado nas porções externas da retina. Nesse tratamento, o raio laser é usado para interromper o crescimento anômalo de vasos sanguíneos e diminuir o risco de descolamento da retina e de perda da visão.

Um medicamento denominado bevacizumabe também pode ser injetado para interromper o crescimento anômalo dos vasos sanguíneos na retina.

Caso a retinopatia da prematuridade venha a provocar o descolamento parcial ou total da retina, às vezes é realizada cirurgia para prendê-la de volta ao lugar e evitar uma perda de visão ainda mais acentuada.

Mais informações

O seguinte é um recurso em inglês que pode ser útil. Vale ressaltar que O MANUAL não é responsável pelo conteúdo desse recurso.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS