Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Catarata congênita

(Infantile Cataract)

Por

Leila M. Khazaeni

, MD, Loma Linda University School of Medicine

Última revisão/alteração completa jul 2020| Última modificação do conteúdo jul 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Uma catarata congênita é uma turvação indolor do cristalino que está presente no nascimento ou logo após o nascimento.

(Ver também Catarata em adultos.)

As cataratas congênitas têm muitas causas. Elas podem ser hereditárias (vários tipos de doenças genéticas ou cromossômicas), estar relacionadas a distúrbios do metabolismo (por exemplo, a galactosemia) ou ser causadas por infecções contraídas no útero (por exemplo, a rubéola) ou por outra doença da mãe durante a gestação.

As cataratas congênitas podem afetar somente um olho ou ambos. Elas podem não ser notadas a menos que um exame ocular completo seja realizado ao nascimento. Como no caso de outras cataratas, a turvação do cristalino às vezes bloqueia a visão. Os bebês com cataratas devem ser sempre avaliados por um médico especializado na avaliação e tratamento de todos os tipos de distúrbios oculares (oftalmologista).

Algumas cataratas cobrem somente parte do cristalino (catarata parcial) e a turvação começa durante os primeiros dez anos de vida. A visão é melhor em olhos com catarata parcial.

Tratamento

  • Às vezes, remoção cirúrgica das cataratas

  • Tratamento da ambliopia, caso esteja presente

Se necessário, os oftalmologistas removem todo o cristalino com catarata através de uma pequena incisão no olho. Às vezes, como na cirurgia de catarata no adulto, os médicos implantam uma lente de plástico ou silicone (lente intraocular) na mesma cirurgia. No entanto, para muitos bebês, os médicos aguardam até que a criança esteja mais velha, geralmente cerca de 2 anos de idade, para implantar o cristalino. Até então, a criança usa lentes de contato duras para corrigir a visão.

Após a remoção da catarata de um olho, a qualidade da imagem no olho tratado ainda é inferior à do outro olho (presumindo-se que o outro olho seja normal). Como o olho melhor é preferido, o cérebro suprime a imagem de pior qualidade e ocorre o desenvolvimento de ambliopia (redução da visão que ocorre porque o cérebro ignora a imagem recebida de um dos olhos). Se os médicos não conseguirem corrigir a visão suficientemente no olho tratado cirurgicamente, eles costumam forçar a criança a usar o olho tratado colocando um tampão sobre o olho melhor ou usando colírios para turvar a visão no olho melhor. O tampão ou uso de colírio no olho melhor ajuda o olho tratado desenvolver uma visão normal.

Após a remoção de cataratas de ambos os olhos, as crianças que tinham imagens com qualidade similar em ambos os olhos desenvolvem mais frequentemente visão igual em ambos os olhos.

Mais informações

O seguinte é um recurso em inglês que pode ser útil. Vale ressaltar que O MANUAL não é responsável pelo conteúdo desse recurso.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS