Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Exame físico do recém-nascido

Por

Deborah M. Consolini

, MD, Sidney Kimmel Medical College of Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa set 2019| Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O médico geralmente realiza um exame físico completo do recém-nascido nas primeiras 24 horas de vida. O exame começa com uma série de medições que incluem peso, comprimento e circunferência da cabeça. O peso médio ao nascimento é de 3,2 kg (7 libras) e a altura média é de 51 cm (20 pol.), ainda que exista uma ampla faixa considerada normal. Em seguida, o médico examina a pele, a cabeça e o rosto, o coração e os pulmões, o abdômen e os genitais do recém-nascido e avalia o sistema nervoso e os reflexos. Os médicos também realizam exames preventivos de forma rotineira, para detectar problemas que eles não podem ver durante o exame físico ( Exames preventivos no recém-nascido).

da pele

Os médicos examinam a pele e observam sua cor. A pele costuma ser avermelhada, embora seja comum que os dedos das mãos e dos pés tenham um matiz azulado devido à má circulação do sangue durante as primeiras horas. Algumas vezes, são encontrados pontinhos roxo-avermelhados (chamados de petéquias) em algumas partes do corpo que foram pressionadas com força durante o parto. Entretanto, a existência de petéquias por todo o corpo pode ser um sinal de um distúrbio e precisa ser avaliada pelo médico. É comum ter secura e descamação da pele no prazo de alguns dias, especialmente nas dobras dos pulsos e tornozelos.

Muitos recém-nascidos desenvolvem uma erupção cutânea aproximadamente 24 horas após o nascimento. Esta erupção cutânea, chamada de eritema tóxico, consiste de manchas planas e vermelhas frequentemente acompanhadas de uma saliência branca, semelhante a uma espinha, no centro da mancha. Esse quadro é inofensivo e desaparece em 7 a 14 dias.

Cabeça e pescoço

Os médicos examinam a cabeça, a face e o pescoço do recém-nascido para detectar a presença de anomalias. Algumas anomalias ocorrem durante o parto. Outras anomalias podem ser causadas por um defeito congênito.

Um parto normal, com a cabeça saindo primeiro, deixa a cabeça do bebê levemente deformada durante alguns dias. Os ossos que formam o crânio se sobrepõem, permitindo que a cabeça fique comprimida no parto. Alguma inflamação e contusão do couro cabeludo são normais. Algumas vezes, hemorragia de um dos ossos do crânio e da sua cobertura externa causa uma pequena protuberância na cabeça que desaparece em alguns meses (chamada um cefalematoma). Quando o bebê nasce com as nádegas, os genitais ou os pés surgindo primeiro (posição pélvica), a cabeça geralmente não fica deformada. No entanto, as nádegas, os genitais ou os pés podem ficar inchados ou com hematomas. O parto de bebês na posição pélvica é em geral evitado atualmente. Quando o bebê se encontra em posição pélvica, os médicos geralmente recomendam um parto por cesariana (parto cirúrgico de um bebê mediante incisão do abdômen e do útero), o que minimiza o perigo para o bebê.

A pressão durante o parto vaginal pode causar hematomas na face do recém-nascido. Além disso, a compressão sofrida no canal do parto pode fazer com que a face pareça inicialmente assimétrica. Essa assimetria às vezes ocorre quando um dos nervos que inervam os músculos da face é danificado durante o parto. A recuperação ocorre gradualmente nas semanas seguintes.

O processo do parto pode também causar a formação de hemorragias subconjuntivais (o rompimento de vasos sanguíneos na superfície dos olhos) nos olhos do recém-nascido. Estas hemorragias ocorrem com frequência, não precisam de tratamento e normalmente desaparecem no prazo de duas semanas.

Os médicos examinam as orelhas e observam se elas estão adequadamente formadas e corretamente posicionadas. Por exemplo, orelhas de implantação baixa ou incorretamente formadas podem significar que o recém-nascido tem um distúrbio genético e/ou perda auditiva.

Os médicos também examinam a boca para detectar a presença de problemas. Alguns recém-nascidos nascem com dentes, que talvez precisem ser removidos, ou com um lábio leporino ou fenda palatina. Os médicos examinam os recém-nascidos para ver se eles têm um épulis (um tumor não canceroso nas gengivas), porque estes tumores podem causar problemas de alimentação e bloquear as vias respiratórias.

O pescoço é examinado para detectar a presença de inchaço, tumores, torções ou espasmos.

Coração e pulmões

(Consulte também Defeitos congênitos do coração.)

O médico ouve o coração e os pulmões através de um estetoscópio para detectar qualquer anomalia. Os médicos conseguem ouvir sons anormais como, por exemplo, um sopro cardíaco ou congestão pulmonar. O médico examina a cor da pele do recém-nascido. Uma cor azulada da face e do torso pode ser um sinal de doença cardíaca ou pulmonar congênita. A frequência e a força da pulsação são examinadas. Os médicos observam o recém-nascido respirar e contam o número de inspirações por minuto. Grunhidos e/ou narinas dilatadas com a respiração e uma respiração demasiadamente rápida ou lenta podem ser sinais de problemas.

Abdômen e genitais

O médico examina o formato geral do abdômen e também verifica o tamanho, o formato e a posição de órgãos internos como os rins, o fígado e o baço. Rins aumentados podem indicar um bloqueio do fluxo da urina.

O médico examina os genitais para se certificar de que a uretra esteja aberta e corretamente posicionada. O médico também faz uma inspeção para se certificar de que os genitais são obviamente masculinos ou femininos. Em um menino, os testículos devem estar situados no escroto. Em uma menina, os lábios vaginais estão proeminentes devido a exposição aos hormônios da mãe e permanecem inchados nas primeiras semanas. A presença de secreções da vagina do bebê contendo sangue e muco também é normal. O médico examina o ânus para se certificar de que a abertura está corretamente posicionada e não está fechada.

Sistema nervoso

O médico examina o estado de alerta mental e tônus muscular do recém-nascido, bem como sua capacidade de mover os braços e as pernas igualmente. Movimentos desiguais podem ser um sinal de anomalia dos nervos (como, por exemplo, paralisia nervosa).

Os médicos testam os reflexos do recém-nascido por meio de diversas manobras. Os reflexos mais importantes em um recém-nascido são o reflexo de Moro, o reflexo de busca e o reflexo de sucção.

Os três reflexos comuns dos recém-nascidos

No reflexo de Moro, quando os recém-nascidos se assustam, eles choram e abrem os braços com os dedos esticados e encolhem as pernas.

No reflexo de busca, quando qualquer um dos lados de sua boca ou lábio é tocado, os recém-nascidos viram a cabeça em direção a esse lado e abrem a boca. Esse reflexo permite que os recém-nascidos encontrem o mamilo.

No reflexo de sucção, quando um objeto (por exemplo, uma chupeta) é colocado na boca do recém-nascido, eles começam a sugar imediatamente.

Músculos e ossos

O médico examina a flexibilidade e a mobilidade dos braços, pernas e quadris e faz uma inspeção para ver se o recém-nascido quebrou algum osso durante o parto (especialmente a clavícula) ou se apresenta membros deformados ou ausentes ou deslocamento dos quadris.

A coluna é examinada quanto à presença de defeitos ou deformidades (por exemplo, espinha bífida).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Asma
Vídeo
Asma
A asma, ou doença reativa das vias respiratórias, é uma doença crônica que resulta na restrição...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS